sábado, 27 de março de 2021

Covid-19: Vereador Batista Matos está internado em estado grave e família pede orações

 

Publicado em 27 de março de 2021 por 

Covid-19: Vereador  Batista Matos está internado em estado grave e família pede orações

A assessoria do vereador de São Luís, Batista Matos, divulgou comunicado, neste sábado (27), informando que o parlamentar está na UTI em decorrência de complicações da Covid-19. A família pede orações diante do quadro do vereador.

“A confiança na competência e dedicação da equipe médica que o assiste nos dá a certeza de que ele está em segurança e se restabelecerá completamente”, diz a nota.

Batista Matos, que foi curado de um câncer recentemente, está internado no hospital São Domingos há 25 dias e a situação é um pouco delicada.

Idosos de 72 a 74 anos recebem vacina a partir desta segunda-feira (29), no Pátio Norte em Ribamar

Uma parceria da prefeitura de São José de Ribamar, prefeitura de Paço do Lumiar e o Governo do Estado vai garantir vacinação via drive thru, a partir desta segunda-feira (29). O objetivo é aumentar a cobertura vacinal nas duas cidades.

A vacinação é para o grupo de idosos de 72 a 74 anos e será realizada no Pátio Norte Shopping até quinta-feira (1º), das 8h às 16h.

É necessário levar documento de identificação com foto, carteira de vacinação, cartão do SUS e comprovante de residência.

Vale destacar, que quem tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em São José de Ribamar e já possui agendamento para a segunda dose, pode procurar o Liceu Ribamarense ou qualquer Unidade Básica de Saúde.

Fique atento ao calendário de vacinação no drive thru no Pátio Norte Shopping

29 de março – segunda-feira

Idosos com 74 anos.
Pela manhã, os nascidos entre janeiro a junho. À tarde, os nascidos de julho a dezembro;

30 de março – terça-feira

Idosos com 73 anos.
Pela manhã, os nascidos entre janeiro a junho. À tarde, os nascidos de julho a dezembro;

31 de março – quarta-feira

Idosos com 72 anos.
Pela manhã, os nascidos em janeiro, fevereiro e março. À tarde, os nascidos em abril, maio e junho.

1º de abril – quinta-feira

Idosos com 72 anos.
Pela manhã, os nascidos em julho, agosto e setembro. À tarde, os nascidos em outubro, novembro e dezembro.

Novos calendários serão divulgados em breve.

sexta-feira, 26 de março de 2021

Presidente edita decreto que regulamenta o pagamento do Auxílio Emergencial 2021

 

por

 Aquiles Emir

 -
Saque do auxílio emergencial

Beneficiários começam a receber no mês de abril 

O presidente Jair Bolsonaro editou nests sexta-feira (26) o decreto que regulamenta o pagamento do Auxílio Emergencial 2021, instituído no último dia 18 de março por meio de Medida Provisória. O texto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O apoio financeiro será pago a trabalhadores informais de baixa renda e aqueles inscritos em programas sociais como o Bolsa Família, caso o novo benefício seja mais vantajoso. A previsão é que os pagamentos comecem a partir do dia 4 ou 5 de abril, segundo informou o próprio presidente em sua live semanal nas redes sociais.  A nova rodada do Auxílio Emergencial pagará quatro parcelas com valor médio de R$ 250 cada uma. Esse valor pode chegar a R$ 375, no caso de famílias que tenham apenas a mãe como provedora, ou R$ 150, no caso de família unipessoal (formada por uma única pessoa).

Ao longo do ano passado, o auxílio chegou a atingir 68 milhões de pessoas, mas agora o novo programa deve atender, nas projeções do governo, cerca de 45,6 milhões de famílias. Essa redução se dá, segundo o governo, após o cruzamento de dados que concentrou as transferências no público considerado mais vulnerável.

Pelo decreto, as parcelas do auxílio serão pagas independentemente de novo requerimento, desde que o beneficiário atenda aos requisitos estabelecidos na Medida Provisória.

O governo vai usar a mesma base de dados de quem se cadastrou para o programa no ano passado, pelo aplicativo ou pelo site da Caixa Econômica Federal, além daquelas pessoas inscritas no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e no Bolsa Família. Uma das novidades é o recebimento do benefício ficará limitado a um beneficiário por família.

Critérios – Os trabalhadores formais (com carteira assinada e servidores públicos) continuam impedidos de solicitar o auxílio emergencial. Além disso, cidadãos que recebam benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família e do PIS/PASEP, não fazem parte do público que receberá as parcelas de R$ 250. Para fins de elegibilidade, serão avaliados os critérios com base no mês de dezembro de 2020, informou o governo.

O novo auxílio será pago somente a famílias com renda per capita de até meio salário mínimo e renda mensal total de até três salários mínimos. Para o público do Bolsa Família, segue valendo a regra quanto ao valor mais vantajoso a ser recebido entre o programa assistencial e o auxílio emergencial 2021. Os integrantes do Bolsa Família receberão o benefício com maior parcela (R$ 375).

As pessoas que não movimentaram os valores do Auxílio Emergencial e sua extensão, disponibilizados na poupança digital em 2020, não terão direito ao novo benefício, assim como quem estiver com o auxílio do ano passado cancelado no momento da avaliação de elegibilidade para 2021.

O auxílio emergencial 2021 ainda prevê outros critérios de elegibilidade. Estão excluídos os residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares. Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019 ou tinha em 31 de dezembro daquele ano a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil, ou tenha recebido em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil, também não poderá solicitar o novo benefício.

Quem ainda não terá direito a receber o novo auxílio são pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes, quem estiver no sistema carcerário em regime fechado ou tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão, quem tiver indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal ou tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte.

(Agência Brasil)

quinta-feira, 25 de março de 2021

CAEMA conclui intervenções na Jerônimo de Albuquerque

CAEMA conclui intervenções na Jerônimo de Albuquerque

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) concluiu, no início da noite desta quarta-feira (24), a recomposição asfáltica do trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque, na Cohama. Na madrugada de sábado (20), a tubulação de esgoto não suportou o lançamento irregular de água da chuva na rede de esgotamento, causando afundamento de parte da via.

“Foram cinco dias de muito trabalho. Identificamos o problema, reconstruímos a rede, desta vez quatro vezes mais forte que a antiga, e, após doze horas de testes com carga total, partimos para a fase de aterro e agora a pavimentação. Apesar das chuvas, finalizamos dentro do prazo estimado”, resumiu Clenilson Novaes, diretor de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente da CAEMA.

O afundamento do trecho da via, próximo ao elevado da Cohama, obrigou a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) a isolar a área e reduzir o fluxo de veículos, durante os serviços da CAEMA. A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP), responsável pela construção e manutenção das redes de drenagem de água de chuva, deu apoio logístico no início dos trabalhos.

O incidente trouxe à tona um importante alerta para a população: água de chuva não é esgoto. “Domicílios, prédios empresariais e as próprias estruturas das prefeituras precisam estar interligadas exclusivamente com as redes de drenagem, uma vez que a rede de esgoto não é dimensionada para este fim. Por isso, cuidar da rede de esgoto é um dever de todos”, lembrou o diretor de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente da CAEMA.

Além da Prefeitura, deram suporte aos trabalhos da CAEMA, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, as equipes técnicas da Equatorial Energia e da Oi. As empresas atenderam a todos os chamados da Companhia, no sentido de orientar as intervenções de forma a não comprometer nenhuma fiação ou cabeamento que pudesse instabilizar o fornecimento de energia elétrica e de telefonia móvel e fixa.

quarta-feira, 24 de março de 2021

Butantan entrega mais 2,2 milhões de doses de vacina CoronaVac

 Por Agência Brasil

Butantan entrega mais 2,2 milhões de doses de vacina CoronaVac

Mais 2,2 milhões de doses da vacina CoronaVac fabricadas pelo Instituto Butantan contra o novo coronavírus foram liberadas nesta quarta-feira (24), para uso em todo o país. Desde o começo do mês de março foram entregues 14,3 milhões de doses, quantitativo maior do que o disponibilizado em janeiro e fevereiro juntos, o que representa a produção de quase 25 mil vacinas por hora, informou o órgão.

Segundo o governador de São Paulo, João Doria, o volume de vacinas distribuído é quatro vezes mais do que a Espanha aplicou e o dobro de vacinas que a Alemanha aplicou. “Hoje o Butantan é um orgulho para o Brasil, um orgulho para os brasileiros que já tiveram a oportunidade de receberem as suas vacinas”, destacou o governador João Doria.

Com o novo carregamento, o total de imunizantes oferecidos por São Paulo ao Programa Nacional de Imunizações chega a 27,8 milhões de doses desde o início das entregas, em 17 de janeiro. Até o fim de abril, o total de vacinas garantidas pelo Butantan ao país somará 46 milhões de doses.

O Butantan deve entregar outras 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até o dia 30 de agosto, totalizando 100 milhões de unidades. Atualmente, 85% das vacinas disponíveis no país contra a covid-19 são fabricadas pelo Butantan.

A produção da vacina segue em ritmo constante e acelerado. No último dia 4, uma remessa de 8,2 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), correspondente a cerca de 14 milhões de doses, desembarcou em São Paulo para produção local.

Outros 11 mil litros de insumos enviados pela biofarmacêutica Sinovac, parceira internacional no desenvolvimento do imunizante mais usado no Brasil contra a covid-19, chegaram ao país em fevereiro.

Até o fim de março, o Butantan aguarda nova carga de IFA correspondente a cerca de 6 milhões de doses, o que permitirá o cumprimento integral do acordo inicial de 46 milhões de doses contratadas pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o Instituto Butantan, o órgão formou uma força-tarefa para acelerar a produção de doses da vacina para todo o país. Uma das medidas foi dobrar o quadro de funcionários na linha de envase para atender a demanda urgente por imunizantes contra o novo coronavírus.

segunda-feira, 22 de março de 2021

Aspirina pode reduzir risco de internação em UTI e morte por Covid, diz estudo

 


O uso de doses baixas de aspirina pode ajudar a proteger os pulmões, de acordo com a pesquisa

Ryan Prior, da CNN 
21 de março de 2021 às 23:55 | Atualizado 22 de março de 2021 às 11:38
Aspirina
Segundo o estudo, o remédio também pode ajudar a manter pacientes fora da UTI
Foto: Jeanette Martin/Gettyimages

O uso de doses baixas de aspirina pode ajudar a proteger os pulmões e reduzir a necessidade de colocar pacientes em ventiladores, afirma um estudo feito por pesquisadores da George Washington University, dos Estados Unidos, publicado na revista Anesthesia & Analgesia.

Segundo o estudo, o remédio também pode ajudar a manter pacientes fora da UTI e reduzir o risco de morte, provavelmente evitando pequenos coágulos sanguíneos.

A aspirina é um dos medicamentos de venda livre mais amplamente disponíveis no mercado. Seu custo, de apenas alguns centavos por dose nos Estados Unidos, é muito pequeno em comparação com outros medicamentos usados no tratamento da Covid-19, como o Remdesivir, por exemplo, que pode custar milhares de dólares.

A aspirina pode ajudar a prevenir a formação de coágulos sanguíneos, e é por isso que as pessoas que tiveram um ataque cardíaco costumam ser aconselhadas a tomar aspirina infantil todos os dias.

"A razão pela qual começamos a olhar para a aspirina e Covid é porque, na primavera, todos nós percebemos que todos esses pacientes começaram a ter muitas complicações trombóticas, ou muitos coágulos sanguíneos que se formaram em seus corpos", disse à CNN Jonathan Chow, professor-assistente de anestesiologia e medicina intensiva na Escola de Medicina e Ciências da Saúde da George Washington.

"É por isso que pensamos que o uso de um agente antiplaquetário, ou um diluente do sangue, como a aspirina, pode ser útil no Covid-19", complementou.

Análise

A equipe analisou os registros de 412 pacientes internados em vários hospitais dos Estados Unidos entre março e julho de 2020.

Cerca de 24% dos pacientes receberam aspirina nas primeiras 24 horas depois de serem hospitalizados ou nos sete dias anteriores à admissão hospitalar. A maioria, 76%, não recebeu o medicamento.

O uso de aspirina foi associado a uma redução de 44% na ventilação mecânica, a uma redução de 43% de internação na UTI e a uma redução de 47% na mortalidade hospitalar, apontam os pesquisadores.

Outros estudos fizeram descobertas semelhantes. Um deles, publicado na revista PLOS One, analisou mais de 30 mil veteranos norte-americanos com Covid-19 e descobriu que aqueles que já tomavam aspirina tinham metade do risco de morrer do que aqueles que não receberam as pílulas diárias.

Os responsáveis pelo estudo, porém, pediram cautela com os resultados, pois a equipe ainda não selecionou pacientes para os testes clínicos randômicos com aspirinas e placebos.

Segundo Chow, um estudo desenvolvido no Reino Unido deve apontar se a aspirina melhora definitivamente os resultados em comparação com pacientes que não tomam a droga.