domingo, 26 de abril de 2020

Por que alguns animais são afetados pelo coronavírus e outros não?




Por Carolina Fioratti

O novo coronavírus fez milhares de vítimas pelo mundo, e um medo comum é que nossos bichinhos de estimação entrem nessa conta. Na quarta-feira (22), foi divulgado o caso dos primeiros gatos de Nova York (EUA) a testarem positivo para o vírus. Há evidências de que outros animais também tenham contraído a doença, mesmo que de forma leve: cães, furões e até mesmo tigres. Mesmo assim, o número é baixo. Afinal, por que tão poucos animais desenvolvem a Covid-19? 

Antes de falarmos sobre isso, é preciso reforçar que o principal vetor da doença é o ser humano. Não há indícios de que os pets possam passar aos seus donos o Sars-CoV-2, apenas o contrário. Por isso, não há motivo para pânico – e muito menos se afastar de vez do seu companheiro. 

Todos os mamíferos vertebrados possuem uma proteína reguladora de pressão arterial chamada ACE2. É nela que o novo coronavírus se liga para realizar a infecção (pense no Sars-CoV-2 como uma chave, e a ACE2 como uma fechadura). Mas, se todos os vertebrados têm isso, qualquer um deles pode ser infectado? Não exatamente. 

A forma dessa fechadura não é a mesma para todos. Porém, os primatas e gatos domésticos são os vertebrados com a ACE2 mais parecida com a nossa (são praticamente idênticas). E é por esse motivo, talvez, que tenhamos escutado sobre casos de infecção em felinos da Bélgica, Hong Kong e, agora, Nova York. O Sars-CoV-1, causador do surto de SARS em 2002, mostrou comportamento semelhante, utilizando o ACE2 como porta de entrada para as células e também passando de humanos para gatos.

Sem comentários:

Enviar um comentário