quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

“Apelo de Bolsonaro ao STF aumenta suspeitas graves do caso”, diz Márcio Jerry

O deputado federal eleito Marcio Jerry (PCdoB) chamou atenção para o fato do pedido de suspensão sobre a investigação do caso Queiroz ter sido feito por Flávio Bolsonaro (PSL). Para ele, o apelo do filho do presidente ao STF “aumenta muito as suspeitas graves no caso”.
Nesta quinta-feira (17), o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou suspender provisoriamente o procedimento investigatório instaurado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz considerada “atípicas” pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
“Flávio Bolsonaro recorreu ao STF para proteger o amigo e ex-funcionário Queiroz. Quem não deve, não teme, Sr Flávio Bolsonaro. O apelo ao STF aumenta muito as suspeitas graves no caso”, disparou Jerry por meio das redes sociais.
Vice-presidente do STF e ministro de plantão durante o recesso do Judiciário, Fux atendeu a pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro, de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.
Queiroz foi convocado duas vezes a depor pelo Ministério Público do Rio, mas não compareceu, sob o argumento de que tem problemas de saúde. Flavio Bolsonaro foi chamado, mas também não foi. Familiares do ex-assessor também não compareceram.
Luiz Fux determinou a suspensão da investigação temporariamente, até que Marco Aurélio Mello tome uma decisão, após o recesso, que termina no próximo dia 31.

Sem comentários:

Enviar um comentário