quarta-feira, 7 de março de 2018

Dia internacional da Mulher, 8 de Março. As mulheres do Maranhão

MARÇO LILÁS É LANÇADO EM PAÇO DO LUMIAR




A Prefeitura de Paço do Lumiar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, lançou nesta segunda-feira (7), a campanha nacional do Março Lilás, de Conscientização e Combate ao Câncer de Colo de Útero, que vai desenvolver ações de atenção especial à saúde feminina até o dia 23. Nesta quinta-feira, 8, as ações serão realizadas, a partir das 8h, no Centro de Saúde (CS) Vila São Pedro, no Pau Deitado. Na sexta, 9, será a vez da CS Vila São José. (Veja a programação completa no final do texto).

A solenidade de abertura foi realizada no Centro de Especialidade e Diagnóstico Médico (CED), no prédio do CSU/Semus, no Maiobão. Presentes, acompanhando os trabalhos de abertura, a vice-prefeita Maria Paula Azevedo; o secretário municipal de Saúde, Juarez Lima; o secretário-adjunto de Saúde, Elizeu Costa, a secretária extraordinária da Mulher, Carla Sousa, além de servidores, comunidade e convidados.

Durante todo o mês serão realizadas consultas, ações de cidadania e palestras em unidades básicas e postos de saúde de diversos bairros de Paço do Lumiar. Da programação constam bate-papos sobre a prevenção e promoção da saúde da mulher, como forma de conscientizá-las sobre os riscos de doenças como câncer de mama e do colo de útero.

À abertura compareceram mais de 200 mulheres. Elas foram informadas de que durante o mês de março a programação atenderá a todas as unidades do Programa Saúde da Família (PSF) do município, onde serão oferecidos procedimentos como: consultas ginecológicas, realização de preventivos, além de planejamento familiar e marcação de ultrassonografia transvaginal.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Juarez Lima, essa é uma forma de valorizar as mulheres luminenses, levando saúde e prevenção. "Em março, buscamos a reflexão sobre o papel e a importância da mulher na sociedade, sem se restringir apenas ao dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Por isso ocorre o Março Lilás, cor que simboliza a igualdade e é símbolo da luta das mulheres em todo o mundo", ressaltou Juarez Lima.

A programação do Março Lilás em Paço do Lumiar será desenvolvida em 10 localidades, onde haverá palestras abordando Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), câncer de mama e de colo de útero; autoexame das mamas; importância dos hábitos de higiene na prevenção das doenças ginecológicas; intensificação nas coletas de preventivos; aferição de pressão e glicemia; testes rápidos de colesterol, HIV, sífilis, hepatite B e C; consulta ginecológica; orientação nutricional com verificação de peso e altura e orientação de alimentação saudável; palestras sobre saúde bucal e aplicação tópica de flúor; distribuição de kits (preservativos e lubrificantes), além de brindes e lanche.

Programação

DIA 08/03 (Quinta), a partir das 8h, Centro de Saúde (CS) Vila São Pedro

DIA 09/03 (Sexta), a partir das 8h, CS Vila São José

DIA 14/03 (Quarta), a partir das 8h, UBS Iguaíba

DIA 15/03 (Quinta), a partir das 14h, CS Tambaú

DIA 16/03 (Sexta), a partir das 8h, CS STª Rita de Cássia

DIA 19/03 (Segunda), a partir das 8h, UBS Mojó

DIA 20/03 (Terça), a partir das 14h, Centro de Especialidades e Diagnóstico Médico

DIA 22/03 (Quinta), a partir das 8h, UBS Pirâmide

DIA 22/03 (Quinta), a partir das 14h, Academia Maiobão

DIA 23/03 (Sexta), a partir das 8h, UBS Safira

Prefeitura dará reajuste de 6,81% para professores de Paço do Lumiar


Os professores da rede municipal de Paço do Lumiar terão um reajuste de 6,81% nos vencimentos, conforme anunciou o prefeito Domingos Dutra (PCdoB). O Projeto de Lei nº 005/2018, do Executivo, que define o percentual de reajuste do salário-base dos professores de Município de Paço do Lumiar, teve seu regime de urgência aprovado pela Câmara Municipal nesta terça-feira, 6, seguiu para as comissões da Casa e deverá ser aprovado em plenário na sexta-feira, 9.
Com o aumento, a remuneração para regime de 40 horas dos profissionais do magistério da educação básica vai variar de R$ 2.844,24 a R$ 6.900,01. E dos profissionais do magistério especialistas da educação básica, de R$ 3.413,10 a R$ 6.900,03, dependendo da titulação.
No caso de professores com doutorado, por exemplo, a Prefeitura de Paço do Lumiar pagará salários de até R$ 6.900,00.
O reajuste passa a valer de forma integral retroativo ao dia 1º de janeiro de 2018. A medida integra o plano de valorização da educação no município. Segundo o secretário municipal de Educação, Fábio Rondon, mais de 700 professores serão beneficiados pelo reajuste em Paço do Lumiar.
O percentual de 6,81% segue o do piso nacional do magistério, concedido pelo Ministério da Educação (MEC), que passou a valer em 2018. Por Lei, o piso nacional dos professores é reajustado anualmente.
“Muitos estados e municípios não deram esse reajuste, pois alegam que já pagam um valor acima do piso e, por isso, não se sentem obrigados a concedê-lo. O Maranhão e Paço do Lumiar são uns dos poucos que estão concedendo-o”, afirmou o secretário Fábio Rondon. “Mesmo diante de uma crise que tem obrigado a contingenciamentos de despesas, o prefeito Dutra determinou que seguíssemos o reajuste do piso e assim foi feito”, acrescentou o secretário de Educação. 
OUTROS PROJETOS
Na sessão desta terça-feira na Câmara Municipal de Paço do Lumiar também foram aprovadas as tramitações em regime de urgência e seguiram para as comissões técnicas da Casa os projetos de lei do Executivo que tratam da reorganização administrativa do Poder Executivo Municipal no âmbito da administração direta (PL 03); o que institui o programa ProUni em Paço (PL 04) e o que cria novos cargos públicos efetivos e  cria vagas nos cargos públicos efetivos já pertencentes ao quadro funcional da administração direta em Paço (PL 05).
Foi ainda aprovado em definitivo o PL 01, do Executivo, que autoriza o Poder Executivo Municipal a doar um terreno no Paranã ao Sesi para a construção da escola Indústria do Conhecimento. O mesmo projeto já havia sido rejeitado na Câmara em novembro do ano passado.

terça-feira, 6 de março de 2018

Motorista que causou acidente e matou cinco militares, estava completamente embriagado; confira nos vídeos

Preso depois de causar o acidente que resultou na morte de cinco militares (reveja) que estavam numa viatura na PA-287, entre as cidades de Redenção do Pará a Conceição de Araguaia, o motorista da carreta estava completamente embriagado.

Tragédia! Cinco policiais militares morrem em grave acidente nesta manhã de hoje

Uma carreta foi a responsável por grave acidente que envolveu uma viatura da Polícia Militar, resultando na morte de cinco policiais. O motorista foi preso em flagrante e levado para a prisão


Estavam na viatura os militares Sgt F Freitas, CB Campos, CB Aguiar, Sd Marcos Silva e Sd Resley, quando a carreta atingiu o veículo na manhã de hoje, dia 05, na PA – 287, na estrada que liga Redenção do Pará a Conceição do Araguaia.

A Polícia Rodoviária Federal esteve no local e prendeu o condutor da carreta, que foi levado para a delegacia e submetido a exames para saber se havia ingerido bebida alcoólica.

No plantão do Socorrão, enfermeira vai atender um taxista morto por assaltantes; era seu marido


Crime 

A enfermeira  Elisabeth Rodrigues tomou um susto quando foi acionada para acompanhar o atendimento de um taxista que chegou ao Socorrão I, o Hospital Djalma Marques, no centro de São Luís. Era o seu marido Eloneide Ferreira da Silva ( foto abaixo) que havia sido assaltado e esfaqueado por quatro vezes dentro do táxi que dirigia, na avenida dos Africanos.
Ele havia recentemente vendido um ponto de lanchonete para comprar o táxi e foi trabalhar na praça. Na noite de sábado, dois homens apareceram no posto, no Anel Viário, na Beira Mar, mas ninguém quis levá-los para o Coroado, Eloneide aceitou porque seu expediente estava se encerrando e ele ia pra casa no Parque Timbira, próximo do Coroado.
Na avenida dos Africanos, os bandidos anunciaram o assalto, e começaram a esfaquear o taxista pelas costas e nas mãos. Levaram relógio, celular, e o dinheiro arrecadado com as corridas e fugiram. O taxista ainda andou um pedaço e pediu ajuda. Levado ao Socorrão, não resistiu aos ferimentos e morreu

UemaSul promove atividade de recepção aos estudantes calouros e veteranos




O início do primeiro semestre letivo de 2018 marca um importante ciclo para a Universidade Estadual da Região Tocantina (UemaSul). Há 1 ano, com a Aula Inaugural promovida pela reitoria, começavam oficialmente as primeiras aulas e no intuito de acolher e familiarizar os estudantes no ambiente universitário, a instituição promoveu nesta segunda-feira (05), a abertura do III Semana do Calouro. Nos três turnos no campus de Imperatriz, e no turno noturno do campus de Açailândia, foram ministradas aulas magnas, com a participação de convidados, em uma programação que segue até sexta-feira (9).


Em Imperatriz, durante a manhã, o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, ministrou a aula com o tema: A educação como agente de transformação social. “Temos que pensar que tipo de educação que nós queremos. Se é uma educação transformadora, que busque acabar com as violências, como as violências sociais, que é a maior de todas, ou se é uma educação que serve meramente para produzir riqueza material”, destacou o secretário, que é aluno egresso do antigo CESI/UEMA. Além do secretário, as professoras Fabrícia Carvalho, do Centro de Defesa dos Direitos Humanos, e Magali Nascimento, da Fapema, também proferiram palestras no campus de Imperatriz.


Em seu discurso, durante a abertura do evento, a reitora Elizabeth Nunes Fernandes reiterou o compromisso da gestão com o fortalecimento e com a expansão da UemaSul e deu as boas-vindas a todos os estudantes. “A UemaSul de hoje é a concretização de um sonho antigo, e, hoje, a presença de vocês aqui faz com que a gente sonhe cada vez mais alto, com outros horizontes”.


Em Açailândia a atividade reuniu estudantes dos quatro cursos oferecidos no campus, e entre eles estava o Sérgio Estevão, calouro do curso de Gestão Ambiental. “Na verdade, eu sou o primeiro da minha família a entrar em uma universidade. Moro em Itinga e sou de família humilde, então a expectativa para iniciar as aulas estava a maior possível. Espero me sair bem no curso e me sentir acolhido pela universidade em um evento como esse é fundamental para começar com o pé direito”, afirmou o estudante.


Obras





Em Imperatriz, a programação contou com a entrega da Biblioteca João do Vale para a comunidade acadêmica, depois das obras de reforma e da readequação das mobílias; e com o anúncio da ampliação do auditório, feito pelo secretário Clayton Noleto.

Já o campus de Açailândia, que atualmente passa por reformas, também receberá uma intervenção da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra). A proposta é construir um novo bloco com salas de aula e laboratórios para contemplar os quatro cursos do campus.

V Campanha Nacional de Hanseníase, Verminoses, Tracoma e Esquistossomose - Prevenção e saúde também são matérias da escola

A V Campanha Nacional de Hanseníase, Verminoses, Tracoma e Esquistossomose ocorrerá no primeiro semestre do ano letivo de 2018, em escolas públicas de municípios de brasileiros com vulnerabilidade social e elevado risco de adoecimento para esses doenças. Essa ação tem como público-alvo os escolares de 5 a 14 anos de idade matriculados no ensino fundamental. O objetivo é esclarecer sobre os sinais e sintomas e ensinar a se proteger dessas doenças, favorecendo o diagnóstico precoce e o tratamento imediato. Durante a Campanha, será realizada busca ativa de casos novos de hanseníase e exame dos contatos, profilaxia para as geo-helmintíases, exames para detecção e tratamento dos casos de tracoma em escolares e dos contatos domiciliares, além de exame parasitológico de fezes para esquistossomose, tratamento dos escolares e se indicado tratamento dos conviventes ou coletivo.

Município de Bequimão ganha academia a céu aberto




A cidade de Bequimão recebeu nesta terça-feira, o projeto Academia para Todos. (Foto: Handson Chagas)

A cidade de Bequimão recebeu nesta terça-feira (06), a entrega de uma área de lazer completa do projeto Academia para Todos, do Governo do Estado. O novo equipamento de esporte e lazer foi instalado pela Secretaria de Esportes e Lazer (Sedel), na praça Santo Antônio, Centro da cidade.

“Essa é mais uma parceria que o município de Bequimão faz com o Governo do Estado, dessa vez, trazendo essa academia que vai ajudar muito a saúde e o lazer dos munícipes. Nós já realizamos ações de saúde com aulas de professores de educação física e essa praça só vem para somar com nossos esforços”, agradeceu o prefeito de Bequimão, Zé Martins.

A iniciativa do Governo do Estado visa estimular a prática de atividades físicas e serve como alternativa de lazer e interação social, ampliando as possibilidades de acesso a equipamentos públicos de esporte e entretenimento com a estrutura adequada, estimulando hábitos saudáveis e mais qualidade de vida para a população maranhense.

Representando o governador Flávio Dino, o secretário de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, destaca a importância da ação. “Mais uma ação do Governo aqui na cidade de Bequimão se somando a tantas outras ações aqui já realizadas. Hoje, o Governo do Estado contempla o bem-estar físico da população”, destaca Márcio Jerry.



A cidade de Bequimão recebeu nesta terça-feira, o projeto Academia para Todos. (Foto: Handson Chagas)

Construída em parceria com a prefeitura de Bequimão e o Grupo FC de Oliveira, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, a praça agora conta com equipamentos que estimulam a musculatura, área de vivencia e jardim, tudo para oferecer uma experiência completa a população.

“Esse tipo de academia que estamos levando para o interior do estado traz inúmeros benefícios para a população. Aumenta a qualidade de vida, incentiva a prática de esportes, entre muitos outros benefícios para a população de todas as idades”, destaca o secretário de Estado de Esportes e Lazer, Hewerton Pereira.

Mais ações

Além da Academia, a cidade de Bequimão já foi contemplada com outras ações do Governo do Estado, como conta o diretor da Rádio Timbira, Robson Paz. “Esse é o Governo que mais fez obras para a população de Bequimão. Aqui, temos a ponte do Balandro, que era uma lenda do Maranhão e foi construída e entregue pelo governo Flávio Dino. Temos obras dos Diques da Produção, um IEMA, cinco sistemas de abastecimento simplificado de água beneficiando milhares de pessoas e muitas outras ações. É um momento de festa onde a população de Bequimão está feliz e agradece o governador Flávio Dino”, finaliza Robson Paz.

A iniciativa do Governo do Estado estimula a prática de atividades físicas e alternativa de lazer e interação social. (Foto: Handson Chagas)

segunda-feira, 5 de março de 2018

Simplício Araújo inicia preparação para lançamento de sua pré candidatura a Deputado Federal

Durante a noite de sexta e todo o dia sábado o Atual Secretário de Estado da Indústria, Comércio e Energia Simplicio Araújo realizou uma rodada de intensos diálogos políticos em Pedreiras e Trizidela do Vale. Na noite de sexta Simplicio Araújo realizou uma longa conversa com o médico, líder político e Presidente Municipal do solidariedade de Pedreiras Humberto Feitosa. Na pauta ajustes e estratégias eleitorais para os próximos anos.

Em artigo, Núbia Feitosa fala sobre a violência contra a mulher

Em agosto deste ano, a Lei 11.340/2006 – Lei Maria da Penha, completará doze anos. Tal lei criou mecanismos para coibir a violência doméstica contra a mulher e trouxe pela primeira vez no Brasil o reconhecimento das especificidades desse tipo de violência, evidenciando que a mesma se dá em sua grande maioria, a partir de relações íntimas de afeto. Ou seja, a nefasta e cruel realidade é que muitas mulheres são mortas em casa e seus assassinos são geralmente pessoas com quem as mesmas estabeleceram vínculos afetivos.



Não havemos de pensar que esta lei tem o condão de romper um dos grandes desafios atuais para o feminismo, que é propor ações para punir e tratar os agressores, bem como proteger suas vítimas. Apenas encarcerar agressores não é a solução. O apoio dado às vítimas de violência doméstica é quase inexistente em suas variadas formas. Assim, o Estado cada vez mais levianiza suas mulheres, criando leis sem se preocuparem com a logística de sua aplicabilidade, esperando que as mulheres se desatinem a denunciar seus algozes sem a menor proteção ou perspectiva de resolutividade imediata. No Brasil, a mulher que consegue juntar forças para ir a uma delegacia, geralmente é constrangida já nos balcões onde registra a ocorrência e tem que voltar para casa, muitas vezes para ser obrigada a dormir com o seu próprio algoz, fator preconizante para revelar a urgência de uma mudança cultural das instituições de Segurança e Justiça.

O Estado brasileiro tem por dever garantir tratamentos diferenciados a vítimas e agressores para reduzir também os índices de violência sexual e não o faz pois os números atuais ainda são cruéis:Uma em cada três brasileiras acima de 16 anos, foi vítima de violência no último ano. A violência contra a mulher é recorrente. Cerca de 66% dos brasileiros já presenciaram uma mulher sendo agredida fisicamente ou verbalmente. Eu faço parte desta estatística, mas não me permiti somente assistir, eu reagi e defendi a vítima, pois sei que a cultura social brasileira é permissiva com esse tipo de violência. A começar pelas delegacias, quando se recusam a registrar o BO, ou ainda somente registram e nada fazem.

O número de medidas protetivas cresce, mas não garante a segurança das mulheres. Isso acontece por inércia da justiça ou por puro descaso como fazem comigo, que fui espancada, baleada, sou perseguida e ameaçada e nunca o Estado se manifestou. Aliás, semana passada um homem armado entrou no meu local de trabalho, permanecendo lá por duas horas esperando eu chegar e como não logrou êxito, saiu dirigindo um Corola que tinha a placa de um Corsa. E ao tentar fazer o BO do referido fato na delegacia, tive o direito de registro da ocorrência negado, uma vez que foi exigida uma prova, que segundo eles poderia ser um “videozinho” mostrando o pistoleiro. Será que a Justiça brasileira se assemelha a um parceiro do algoz? A prova material do risco e perigo que enfrento a cada minuto, não pode ser exigida de mim, eu sou a vitima, o trabalho pericial cabe ao Estado. O mesmo Estado que não dá suporte psicológico ao seu contingente policial, que não analisa o comportamento de sua coorporação, que desdenha do poder ofensivo das pressões as quais seus homens são submetidos diariamente. Enfim, o mesmo Estado que não valoriza o lado humano do seu policial, deixando que muitos deles se transformem em agressores, espancadores e assassinos.

Por fim, considero que a banalização da violência e a indiferença para com os violentos, tem o poder de fabricar comportamentos como o meu, pois atualmente, não me sinto segura em nenhum lugar, e não posso escusar-me de dizer que vivo sob o manto da predominância do medo firmado por uma Constituição enganosa que prega a garantia da segurança. Quanto a mim, a garantia do Estado se mostrou na violência a que vivo e sou submetida a cada segundo de minha vida, arrastando a minha família nesta agonia.



Porém sou uma sobrevivente da vida como as mulheres o são e quando sinto que o desespero vai tomar conta de mim, eu me lembro de Nietzsche;

“ Quando você olha muito tempo para o abismo, o abismo olha para você”

E continuo me fortalecendo com o Salmo 23.

“ O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Jovem brasileiro ainda sonha com aposentadoria antes dos 60 anos Pesquisa Datafolha mostra que homens pararam de trabalhar antes das mulheres

  A nova proposta da equipe econômica é de idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres, além de 15 anos de contribuição (para trabalhadores do setor privado) ou de 25 anos (para servidores públicos) Gabriel Cabral/Folhapress

Apesar de todo o debate recente sobre a necessidade de adiar a idade de aposentadoria, os brasileiros que tem hoje de 16 a 24 anos esperam se aposentar aos 59,8, na média.

É o que mostra pesquisa Datafolha sobre valores e expectativas das diferentes faixas etárias de brasileiros.

A expectativa dos mais jovens é irrealista, porém, se for adiante a proposta em discussão no Congresso, cuja votação foi agora adiada para o próximo governo.

No texto em discussão, a idade mínima de aposentadoria para quem se aposenta será de no mínimo 62 anos para mulheres e 65 para homens daqui a 20 anos.

Até lá, pode ser ainda mais alta: o projeto de emenda constitucional prevê que a idade mínima se eleve sempre que a expectativa de sobrevida da população subir um ano, algo que pode ocorrer em cerca de uma década.

Em parte, essa discrepância entre os planos dos jovens e a crise da Previdência se deve à desinformação.

Pesquisa do Ibope feita pelo Ibope a pedido do Palácio do Planalto mostrou que, até dezembro do ano passado, 41% da população não tinha conhecimento das mudanças nas regras de aposentadoria, propostas pelo governo no final de 2016.
FUTURO LONGÍNQUO

E o governo tem responsabilidade nessa ignorância, opina o empresário e publicitário João Roberto (Bob) Vieira da Costa, especialista em comunicação pública.

“No mundo todo, a discussão sobre Previdência é difícil, por que as pessoas estão voltadas para seu dia a dia, os filhos que precisam criar, tarefas a resolver. A perspectiva da aposentadoria está num horizonte muito longínquo para a maioria. E, se está longe, a tendência é simplificar as opiniões: sou contra, pronto.”

Vieira da Costa argumenta que, além disso, o tema do debate é incômodo: “Remete ao envelhecimento, algo difícil de trabalhar com o público mais jovem”.

A dificuldade na comunicação da reforma é ainda maior se o público alvo forem os que estão mais próximos da aposentadoria: “A pessoa olha para trás e pensa que trabalhou para se dedicar a si mesmo, viajar, cuidar dos netos. Há um conjunto significativo de valores aspiracionaise o espaço para negociá-los praticamente não existe”.

Para o publicitário, a mensagem de que existe uma crise nas contas públicas não tem apelo. “Ninguém vai ser solidário com o problema do país, até porque o Estado não dá o básico em saúde, segurança, prestação de serviço.”

O adiamento da votação para o próximo governo pode ter ao menos uma vantagem na tarefa de convencimento dos defensores da reforma: há mais chance de ter ficado para trás o clima de polarização política atual.

“Se o debate está muito politizado, não adianta tentar convencer ninguém”, afirma Vieira da Costa.
No total da população, os brasileiros que ainda não se aposentaram esperam fazê-lo, na média, com 60,8 anos —no caso dos que têm 60 anos ou mais e ainda trabalham, a média citada é a mais alta, 63,7 anos.

Mais de um terço (36%) dos idosos ainda na ativa diz não ter ideia de quando vai parar, e são 31% os que esperam deixar a ativa antes dos 65 anos.
DESIGUALDADE

Dos brasileiros que já se aposentaram, há uma realidade desigual: homens se aposentam antes de mulheres e os mais ricos, antes dos mais pobres, na média. A pesquisa mostra que mulheres pararam de trabalhar em média aos 57,3 anos, idade que supera a dos homens, 55,3 anos. A média geral é 56,3.

Vinte por cento dos brasileiros se aposentaram antes dos 50 anos —aposentadorias precoces são garantidas pelo atual sistema de tempo de contribuição, sem idade mínima exigida.

Para economistas defensores da reforma, além de pressionar os cofres do governo, o sistema agrava a desigualdade de renda brasileira.

Isso ocorre porque, em geral, os mais ricos se aposentam e continuam trabalhando, elevando suas receitas.

A média de idade mais baixa de aposentadoria é entre os brasileiros com ensino médio: 51,2 anos, sendo que 38% deles parou antes dos 50.

A média mais alta é entre os com ensino fundamental: 57,8 anos, sendo que 35% deles trabalharam até após os 60. Na fatia com ensino superior, 60% se aposentaram entre os 50 e os 60 anos, e a média de idade é de 55,2 anos.

Algo semelhante ocorre em relação à renda: a idade média mais baixa está entre os que têm renda familiar mensal entre 5 e 10 salários mínimos: se aposentaram aos 53,1 anos, sendo 29% deles antes dos 50 anos.

O levantamento do Datafolha mostra ainda que recebem aposentadoria do governo 68% dos brasileiros acima de 60 anos (73% dos idosos e 65% das idosas). A fatia é maior entre os idosos com ensino superior (75%, contra 68% dos com fundamental e 62% dos com ensino médio).

Governador visitou e inaugurou a nova sede da AgemSul (Agência Metropolitana do Sudoeste Maranhense)


Em Imperatriz, o governador visitou e inaugurou a nova sede da Agência Metropolitana do Sudoeste Maranhense (Agemsul), na sexta-feira (2) localizada na Rua Itamar Guará, bairro Três Poderes.

Também foram sancionadas as Leis que reconhecem como Patrimônios Culturais e Imateriais do Maranhão o Salão do Livro de Imperatriz (Salimp), a Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz (Fecoimp) e a Exposição Agropecuária de Imperatriz (Expoimp).

“Foram visitas produtivas e com resultados concretos, confirmando mais uma vez nosso compromisso com a Região Tocantina”, disse Flávio Dino.

"Isso mostra como fazer um governo descentralizado. Um governo presente.Um governo que está no cotidiano junto com as comunidades, com os gestores municipais. Fazendo um governo integrado com os municípios e com as regiões. Fazendo dessa forma aquilo que o governador Flávio Dino chama de parcerias concretas", disse Márcio Jerry.

Educação para mudar a história do Maranhão


04/03/201806H 00Artigo do Governador do Maranhão, Flávio Dino

Esta semana que passou anunciei o novo piso salarial para professores da rede pública, que passa a ser de R$ 5.750,83 para a jornada de 40 horas semanais. Com isso, chegamos a mais de 30% de recomposição salarial nos meus 3 anos de governo, fazendo do professor maranhense o mais bem pago do país. Fazer essa decisão tornar-se possível exige esforço fiscal. Principalmente neste momento em que o país está mergulhado em uma das maiores crises econômicas de sua história. Tenho convicção de que esse esforço vale a pena.

Comungo da ideia de que a Educação é a única forma de enfrentarmos o maior problema do Brasil, que é a desigualdade: poucos com muito e muitos com quase nada. E é exatamente a Educação o único investimento capaz de desenvolver nosso Estado de forma sustentável e justa. Faço questão de transformar essa convicção, que é prioridade no campo das ideias, em prática.

Infelizmente, muitas vezes, a educação só é tratada como prioridade da boca para fora. No Maranhão, vimos os resultados: escolas de taipa, de barro e os piores índices educacionais do país.

Para mudar essa realidade, criamos o Escola Digna, que é o programa mais corajoso da história de nosso estado. Com ele, já entregamos mais de 700 novas escolas, construídas e reconstruídas. Também estamos investindo em transporte escolar com a entrega de mais de 80 ônibus para apoiar o trabalho das prefeituras e com o Programa Estadual de Apoio ao Transporte Escolar (PEATE). E também entregamos mais de 700 mil uniformes para nossos alunos.

A qualificação do corpo docente é uma meta, sendo oferecido cursos para mais de 50 mil professores. Portanto, o Escola Digna é um programa completo, que visa investir na Educação de forma plena.

Temos também o Bolsa Escola, que pelo terceiro ano garante a compra de material escolar para mais de 1 milhão de alunos. Foram investidos até agora R$ 150 milhões somente neste programa, estimulando também a economia e o emprego em mais de 1.000 estabelecimentos comerciais que vendem o material.

Menciono a criação de uma rede inédita de educação em tempo integral. Ainda este ano, serão mais de 40 escolas desse tipo funcionando, incluindo os IEMAs, que garantem o ensino profissionalizante no Maranhão.

O Aulão do Enem, o Cidadão do Mundo, o programa Mais Estágio e nossos programas de alfabetização fazem parte da revolução que estamos fazendo na Educação do Maranhão.

Os resultados já estão sendo colhidos. Entre 2013 e 2015, a nota do Maranhão no Ideb – o principal indicador da educação básica no país – aumentou 11%. E neste ano vamos aumentar ainda mais a nota.

Os professores são parceiros primordiais nessa batalha para mudar o Maranhão. Mas essa é uma missão de todos nós que acreditamos que o nosso estado deve estar entre os primeiros do país. Para lá estamos caminhando.