quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Murad, ex-secretário que declarou apoio a Bolsonaro, é preso por desvios milionários

Ricardo Murad, que na semana passada declarou apoio a Bolsonaro, além de preso, também teve sua candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral, o mesmo pode acontecer com o militar da reserva

Reprodução


O ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad (PRP), foi preso nesta quinta-feira (18) pela Polícia Federal por desvios milionários na pasta. A prisão aconteceu menos de uma semana depois de ele ter declarado apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Ele foi alvo da PF por envolvimento em esquema criminoso que desviou cerca de R$ 2 milhões do sistema de saúde estadual durante o último governo Roseana Sarney (MDB). Ele foi preso preventivamente por cinco dias com mandado de busca e apreensão em sua mansão.

Murad foi encaminhado para o presídio de Pedrinhas no mesmo dia em que o jornal Folha de S.Paulo denunciou o esquema de caixa dois da campanha de Bolsonaro. O ex-secretário que foi preso hoje teve sua candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. O mesmo pode acontecer com Bolsonaro, que foi denunciado hoje e que pode ter sua chapa impugnada neste segundo turno das eleições.

Sem comentários:

Enviar um comentário