quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Pessoas se importam mais com cães do que com outras pessoas, diz estudo


Você é todo durão, mas chora sem parar se um cachorro sofre durante um filme? Esta pesquisa é para você
PUBLICIDADE

“Prefiro bicho do que gente”. Você se identifica com essa frase? Sempre? Às vezes? Um estudo recente, publicado na revista Society & Animals, sugere o que muita gente já suspeitava: nós, humanos, nos importamos mais com os cachorros do que com outras pessoas.
Para investigar a nossa preferência por seres de quatro patas, pesquisadores da Universidade de Northeastern, nos EUA, entrevistaram 240 estudantes de graduação, entre 18 e 23 anos de idade, e entregaram a eles uma notícia falsa de jornal: um suposto relatório da polícia no qual a vítima fora atacada com um taco de beisebol e acabou inconsciente, com membros quebrados e outros múltiplos ferimentos.
Durante os testes, o que mudava na notícia era a identidade de vítima. Ao todo, foram quatro tipos: uma pessoa adulta, um bebê, um cachorro adulto e um filhotinho (pedimos desculpa pela imagem terrível que você deve ter imaginado).
Para medir o grau de empatia dos participantes, os cientistas elaboraram uma série de perguntas e criaram uma escala de acordo com os resultados obtidos após as respostas. A hipótese deles era a de que a vulnerabilidade – medida pela idade – seria o principal fator de decisão, e não necessariamente a espécie.

Sem comentários:

Enviar um comentário