sexta-feira, 15 de junho de 2018

Iema certifica mais de 200 alunos da Unidade Vocacional Praia Grande 15 de junho de 2018

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (14), a segunda certificação de 2018 dos Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) do Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) da Unidade Vocacional da Praia Grande. Foram certificados mais de 200 alunos do curso de pintura em tecido, libras, inglês básico e intermediário, informática, corte e costura, pintura em tecido e MDF, boas práticas para serviços de alimentação, francês aplicado para o comércio e turismo, além da oficina de comidas regionais maranhenses.

O reitor do Iema, Jhonatan Almada, durante a certificação, ressaltou aos formandos a importância das capacitações oferecidas pelo Instituto. “O conhecimento que receberam aqui é de vocês. Ninguém pode tomar.” O secretário de Educação Profissional e Inclusão Social, André Bello, e o deputado Bira do Pindaré acompanharam o reitor na certificação que aconteceu no Convento das Mercês, local onde ocorreram aulas de alguns cursos.

De acordo com Josélia Castro, coordenadora dos cursos vocacionais do Iema, na UV Praia Grande foram certificados um total de 234 alunos em oito cursos com carga horária de 160 horas e uma oficina de 40 horas. “Foi um trabalho bastante proveitoso e com grande rendimento. Já temos alunos produzindo e gerando a própria renda, com isso nós atingimos o objetivo do Iema que é qualificar para fomentar a geração de emprego”, declarou.

Durante a certificação, houve exposição de peças produzidas no curso de pintura em tecido, desfile de moda com roupas feitas pelas alunas de corte e costura, apresentação musical do Coral de Libras, além de degustação de pratos típicos feitos pelos alunos da oficina de comidas regionais maranhenses.

Conceição Câmara é técnica em gastronomia e ministrou a oficina de comidas regionais Maranhenses pela segunda vez no Iema. “Eu sinto uma imensa emoção. Esta é uma ótima oportunidade para esses estudantes.”

Para a aluna Irlana Ferreira, a capacitação no curso de Libras básico é um diferencial no mercado de trabalho. “Sou bacharel em fisioterapia e vejo esse curso como algo único no minha profissão, porque se eu tiver um paciente surdo vou saber me comunicar com ele. Uma fisioterapeuta que sabe Libras é bem raro”, concluiu acrescentado a paixão que sentiu por estudar uma língua tão importante. “Amei a experiência, me apaixonei pela língua e pretendo chegar ao intermediário e ser fluente na língua”, concluiu.

Os cursos de inglês, francês, informática e Libras deverão ser ofertados em módulos avançados em agosto de 2018. Além disso, a oficina de comidas regionais maranhenses será ofertada como curso FIC em gastronomia.

Sem comentários:

Enviar um comentário