quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Mais de três milhões de aposentados têm que fazer prova de vida


Aposentados e pensionistas têm até o dia 28 de fevereiro para fazer o recadastramento do INSS se não quiserem ter o benefício suspenso.

Mais de três milhões de aposentados e pensionistas de todo o Brasil têm até o fim fevereiro para provar que estão vivos e continuar recebendo os benefícios.
Dona Ignez tem 87 anos e todo ano sabe que tem um compromisso importante: ir ao banco onde recebe a aposentadoria para fazer a prova de vida. “Se eu não fizer, os meus benefícios serão cortados e aí fica difícil”, conta a aposentada.

É isso mesmo! O aposentado ou pensionista todo ano tem que provar que está vivo, fazer um recadastramento. Quem não fizer essa comprovação, pode ficar sem o pagamento. A Previdência diz que é uma proteção contra fraudes.
“Em alguns lugares no Brasil você tem pessoas vendendo cartões de benefícios de pessoas já falecidas, e é esse grupo de pessoas, que a gente tenta localizar para evitar fraudes no pagamento de benefícios”, explica Francisco Soares Lopes, presidente do INSS.

Nem o presidente Michel Temer escapou. Em 2017, ele ficou dois meses sem receber a aposentadoria como procurador do estado de São Paulo, porque não tinha feito a prova de vida.

Até o dia 28 de fevereiro, mais de três milhões de aposentados têm que fazer a prova de vida, se não quiserem ter o benefício suspenso. E não é difícil. Não precisar ir ao INSS, basta ir à agência bancária onde recebe o pagamento, e apresentar um documento de identificação com foto para fazer o recadastramento da senha usada para sacar o benefício.

Quem não puder ir por algum problema de saúde, pode fazer a comprovação de vida por meio de um procurador cadastrado no INSS, com um atestado médico emitido há menos de 30 dias.

Suely já fez o dever de casa. “Muito importante nós comprovarmos que estamos vivos, né, para não ter fraude”, diz Suely Duarte, também aposentada.

Sem comentários:

Enviar um comentário