sábado, 16 de setembro de 2017

Falece Marcelo Rezende, vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer


Ele foi vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer, informou o Hospital Moriah.

Por G1 SP
16/09/2017 19h16  Atualizado há 20 minutos
Morre o jornalista Marcelo Rezende
O jornalista Marcelo Rezende morreu, às 17h45 deste sábado (16), em São Paulo, aos 65 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer, informou o Hospital Moriah.
Rezende foi diagnosticado no início do ano com câncer no pâncreas com metástase no fígado. Ele se afastou do comando do programa Cidade Alerta, da TV Record, para fazer o tratamento de quimioterapia. Ele estava internado no Hospital Moriah, na Zona Sul de São Paulo.
Em um vídeo postado no dia 3, Marcelo Rezende falou sobre os altos e baixos do tratamento contra o câncer. "O que eu tenho, a doença que eu tenho, o câncer que eu tenho, tem altos e baixos, é como uma montanha-russa. Uma hora eu to lá em cima, outra hora eu to lá embaixo. O mais importante é que eu estou firme e estar firme é aqui, onde a mente funciona. E eu estou firme para enfrentar os baixos, até chegar o momento em que o alto vai deslizar e aí a cura vai chegar. E eu tenho certeza dela porque Deus está comigo, Deus está contigo", disse o jornalista.
Marcelo Luiz Rezende Fernandes nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de novembro de 1951.
Começou sua carreira como repórter esportivo nos anos 70 do Jornal dos Sports. Trabalhou em O Globo, revista Placar e chegou à TV em 1987 para trabalhar na Globo. Entre os destaques está a cobertura do caso da operação da polícia na Favela Naval, em Diadema e a apresentação do programa Linha Direta. Trabalhou também na Band e Rede TV.
O jornalista deixa cinco filhos e dois netos.
O jornalista Marcelo Rezende
O jornalista Marcelo Rezende (Foto: Reprodução/Facebook/Marcelo Rezende)

Veja íntegra da nota da TV Record:

A Record TV informa com grande pesar o falecimento de Marcelo Rezende, neste 16 de setembro de 2017, no Hospital Moriah, zona sul de São Paulo. Transmitimos nossas sinceras condolências ao familiares e amigos do jornalista com o qual tivemos a honra e o privilégio de trabalhar e que atuou com tanto brilhantismo em nossa programação.
O apresentador estava afastado do Cidade Alerta desde maio, quando descobriu um câncer no pâncreas e no fígado. Ele estava no comando do programa desde 2012 e ali imprimiu a sua marca, expondo os problemas de segurança pública do País com a coragem que sempre pautou sua trajetória, transformando o Cidade Alerta em um importante canal de denúncias. "Esse jornalismo que eu e alguns companheiros fazemos é o jornalismo que revela as mazelas do País", disse ele.
Com mais de 40 de carreira, Marcelo Rezende deixa um grande legado ao jornalismo do Brasil e da Record TV. Sua trajetória foi sempre guiada pela coragem em tocar em feridas sociais. Do flagrante de abuso policial na Favela Naval, em Diadema (SP), à corrupção no futebol, passando pelos inesquecíveis depoimentos de Francisco Assis Pereira, o Maníaco do Parque, e do ex-goleiro Bruno. Rezende foi um repórter investigativo de raro talento e um apresentador polêmico que não tinha medo de expor suas opiniões. Alguns dos episódios mais marcantes de sua carreira ele narrou no livro "Corta pra Mim", lançado em 2013 pela editora Planeta, que tornou-se rapidamente um best-seller.
Rezende iniciou sua carreira na mídia impressa, aos 17 anos, no Jornal dos Sports, em sua cidade natal, no Rio de Janeiro, e atuou como jornalista esportivo por um longo período. Atuou no jornal O Globo e em seguida na Revista Placar, da editora Abril, até que, por fim ingressou na televisão, em 1988, quando foi trabalhar no Globo Esporte. A carreira sofreu uma guinada quando foi designado para fazer reportagens investigativas. Em 1999, fez parte da equipe de criação do Linha Direta, do qual tornou-se apresentador.
Na Record TV, o jornalista apresentou o Cidade Alerta em duas ocasiões, entre 2004 e 2005, e de 2012 a 2017, além de ter comandado o Repórter Record e o quadro A Grande Reportagem, exibido pelo Domingo Espetacular. Trabalhou também na Rede TV! onde apresentou o Repórter Cidadão e o Rede TV! News. Na Band esteve a frente do Tribunal na TV.
No dia da estreia do novo Cidade Alerta, em 2012, Marcelo deu o tom do que o telespectador poderia esperar : "Nós não temos amigos, nem inimigos. Trabalhamos para o interesse público, o interesse da comunidade, o interesse da sociedade".
Nessa nova fase do Cidade Alerta, a carreira do Marcelo também foi marcada pela inusitada interação com a equipe de jornalistas espalhada pelo Brasil. Descontração e alegria que contagiaram milhões de brasileiros e marcaram uma nova alternativa de informar os telespectadores.

Bolsonaro em MG: saída para o mar, licença para matar e tumulto


  • Em agenda com protestos e prisões, deputado prega fuzilamento de autores de exposição no RS e critica Bolsa Família, direitos humanos e política ambiental
Em uma agenda de cunho eleitoral de dois dias em Belo Horizonte (quinta e sexta-feira), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato à Presidência da República em 2018, disse, entre outras declarações polêmicas, que fuzilaria os idealizadores da exposição Queermuseu – que foi encerrada em Porto Alegre após protestos -, prometeu retirar o Brasil de tratados internacionais de direitos humanos, defendeu as mortes pela polícia e reafirmou que a deputada Maria do Rosário (PT-RS) não merece ser estuprada por ser “feia” – o caso lhe rendeu uma condenação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). De quebra, prometeu dar a Minas Gerais uma saída para o mar.
Bolsonaro deu entrevistas a um canal de TV e a uma emissora de rádio, se encontrou com o prefeito Alexandre Kalil (PHS) e palestrou para estudantes da Universidade Fumec. No aeroporto, discursou de improviso a seguidores. “Nós vamos satisfazer o desejo do mar de ganhar Minas, podem ter certeza disso.” Posteriormente, à Rádio Itatiaia disse que era piada. Ao palestrar para alunos da Fumec, deu a entender que a declaração foi distorcida e afirmou que grande parte da imprensa é “canalha”.
Nós vamos satisfazer o desejo do mar de ganhar Minas, podem ter certeza disso
Ainda à Rádio Itatiaia, Bolsonaro disse que é preciso “dar direito ao policial de matar”. “Se não for assim, esqueça o combate à violência. Violência se combate com energia ou com mais violência ainda”, afirmou. Ele também prometeu que fará um pente-fino no programa Bolsa Família para revogar dois terços dos benefícios. “Gastamos em torno de 29 bilhões de reais por ano com o Bolsa Família. Isso é vergonhoso para nós, porque alguém está trabalhando para sustentar essas pessoas.”
É preciso dar direito ao policial de matar. Se não for assim, esqueça o combate à violência. Violência se combate com energia ou com mais violência ainda
Bolsonaro também foi ao estúdio da TV Verdade, onde chamou a exposição Queermuseu de “excrecência”. A mostra em prol da diversidade LGBT foi cancelada pelo Santander Cultural, em Porto Alegre, após críticas de grupos religiosos e do Movimento Brasil Livre (MBL) por suposto desrespeito religioso e incentivo à zoofilia e à pedofilia. “Tem que fuzilar os autores dessa exposição. Esses caras estão fazendo uma maldade com as criancinhas. É uma força de expressão, mas tem que fuzilar.”
Gastamos em torno de 29 bilhões de reais por ano com o Bolsa Família. Isso é vergonhoso para nós, porque alguém está trabalhando para sustentar essas pessoas

Tumulto em palestra

Na Fumec, houve tumulto entre alunos favoráveis e contrários ao deputado. Ao menos duas pessoas foram presas por terem feito comentários de teor racista e homofóbico. Bolsonaro foi recebido nos corredores da universidade aos gritos de “lixo”. No auditório, criticou seus detratores. “Esses que estão gritando aí fora, qual é o futuro deles no mercado de trabalho? Bolsa Família”, disse. A palestra foi interrompida diversas vezes por pessoas que conseguiam passar pelo controle da entrada e xingaram o pré-candidato. Do lado de fora, estudantes entoaram cantos contra o parlamentar e tocaram músicas, principalmente da cantora Anitta, em alto volume.
Confusão durante visita de Bolsonaro a universidade mineira
Confusão entre simpatizantes e opositores do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) na entrada de universidade em Belo Horizonte (Flávio Tavares/Hoje em Dia/Folhapress)
Em certo momento, Bolsonaro afirmou que seus opositores tinham “cérebro de ovo cozido”. O público da palestra foi ao delírio e passou a gritar “ovo cozido” para uma pessoa que estava sendo expulsa pelos seguranças.
O deputado distribuiu frases de efeito durante a exposição de pouco mais de uma hora. “A política ambiental está matando o Brasil”, afirmou no início do seu discurso. “Mais do que defender a liberdade de vocês, a arma defende a liberdade do povo”, disse em outra ocasião. “Nós temos que ter uma só nação, que volte a comemorar o dia do papai e o dia da mamãe”, declarou.
Jair Bolsonaro - 15/09/2017
Manifestantes contrários ao deputado federal Jair Bolsonaro batem no vidro do carro que o levava para palestra em faculdade em Belo Horizonte (Flávio Tavares/Hoje em Dia/Folhapress)
Ele ainda defendeu a ditadura chilena de Augusto Pinochet e disse que as eleições no Brasil são fraudadas. “Ninguém aqui tem como provar que não houve [fraude]”. Ao tratar de política externa, Bolsonaro reconheceu que tem “limitações”, mas declarou que “não teria pacto de direitos humanos com ninguém”. Também se mostrou favorável à legalização da maconha para fins medicinais e defendeu a redução da maioridade penal para 14 anos.
Mais do que defender a liberdade de vocês, a arma defende a liberdade do povo
Em outro momento polêmico, Bolsonaro disse que vai “enfrentar” o processo que responde no Supremo Tribunal Federal (STF)por ter dito que não estupraria a deputada Maria do Rosário “porque ela não mereceria”. Ele disse que fez a declaração por ter sido chamado de estuprador. “Respondi, sim, de forma deselegante, sim. Você não merece ser estuprada, você é muito feia. Os atributos estão ali. Quando me chamam de estuprador, eu tenho que rir e achar que tudo bem?”, declarou.

Palestra abordagem sobre a Violência Doméstica com Nubia Feitosa. Dia 19 no IESF. 19:00hrs


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Joesley diz a juiz que está preso porque "mexeu com poderosos"


  • 15/09/2017 21h49
  • 15/09/2017 21h49
  • São Paulo
Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil
O empresário Joesley Batista, do grupo J&F, disse hoje (15), durante audiência de custódia, em São Paulo, que está preso porque “mexeu com poderosos”. “Fui mexer com os poderosos e o dono do poder e estou aqui agora. Estou pagando por ter delatado”, disse.
Durante a audiência, Joesley criticou também o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por ter rescindido o acordo de colaboração. "Acho que o procurador foi muito questionado sobre a nossa imunidade e, por fim, ele decidiu pedir a quebra da nossa imunidade. Acho que esse foi um ato de covardia da parte dele depois de tudo que fizemos e entregamos de provas”, disse, acrescentando, “nós fizemos a maior e a mais efetiva colaboração".
O procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, anulou a imunidade penal que foi concedida por ele ao empresário Joesley Batista e a Ricardo Saud, ex-executivo da J&F. O benefício, que é a renúncia por parte da procuradoria a processar os acusados, foi anulado. Janot afirma que Batista e Saud omitiram da PGR informações durante o processo de assinatura do acordo de delação premiada.
Joesley foi ouvido pelo juiz João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Criminal Federal em São Paulo. Na audiência, o juiz decidiu manter a prisão preventiva do empresário, alegando que, por suas condições financeiras, há “risco concreto de fuga”. Com isso, Joesley ficará preso na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, na região da Lapa.
A audiência, que se refere à investigação dos irmãos Batista no processo que apura se teriam usado de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro, durou cerca de meia hora. Durante a audiência, Joesley negou que tenha sofrido maus-tratos durante sua prisão e reafirmou que é inocente. Segundo ele, a negociação de ações feitas pela empresa na Bolsa de Valores, um dia antes da divulgação dos áudios que envolviam o presidente da República, Michel Temer, foram “naturais”.
“Todas as operações foram naturais. Estamos tranquilos em afirmar que tudo foi feito dentro da normalidade”, disse. Segundo ele, as operações não tiveram como objetivo ter lucro ou prejuízo. “Vendi [ações] porque necessitava de caixa”.
“Vendemos antes, durante e continuamos vendendo porque precisamos de caixa. Por todo esse momento que temos passado, que é público, os bancos têm restringido o crédito para nós, não tem renovado as linhas de crédito”, disse ao juiz.

EXCLUSIVO! “Insatisfação geral”, diz Brandão sobre chegada de Roberto Rocha ao PSDB


Publicado em 15 de setembro de 2017 porgilbertoleda

WhatsAppEmailFacebookCompartilhar



O presidente estadual do PSDB no Maranhão, vice-governador Carlos Brandão, concedeu hoje (15) uma entrevista exclusiva ao Blog do Gilberto Léda, na qual comentou a recente notícia de que o senador Roberto Rocha acertou sua saída do PSB para filiar-se ao PSDB.

O movimento teria como objetivo garantir a candidatura do parlamentar ao governo em 2018, mas acaba por implodir a aliança tucana com o PCdoB, partido do governador Flávio Dino.

Segundo Brandão, da forma que ocorreu, a chegada de Rocha gerou grande insatisfação no partido, o que foi externado por lideranças tucanas em reunião na quinta-feira (14). Ele defende a manutenção da aliança com os comunistas.

“Insatisfação geral. Os prefeitos ligando, os vice-prefeitos, vereadores. Criou uma confusão muito grande dentro do partido. Isso vai nos levar a conversar com a direção nacional para rever isso, porque eu não posso ficar com toda a base insatisfeita”, declarou o vice-governador.

Ele apontou os avanços do PSDB no Estado para argumentar que a filiação do senador pode representar a ruptura de um projeto bem sucedido.

“Partido que até outro dia só tinha oito prefeitos, hoje tem 30 prefeitos. Um partido que até outro dia tinha nove vice-prefeitos, hoje tem 30 vice-prefeitos. Nós lançamos 76 candidatos e elegemos 60, sendo 30 prefeitos e 30 vice-prefeitos. Triplicamos o número de vereadores”, contabilizou.

Para Brandão, antes da sua gestão sob o comando da sigla, o PSDB “era um partido nanico”.

“Um partido que só existia em 80 municípios. Hoje é um partido que está em 217 municípios. Na última eleição tivemos cerca de 1 milhão de votos para prefeito. É um partido gigantesco hoje. Só perdemos para o PCdoB em termos de números de prefeitos, de musculatura. Então, como é que esse trabalho todo que foi feito, toda essa esrutura, de um partido que estava, aí, jogado. Fizemos uma aliança com o PCdoB e o resultado foi isso: foi o crescimento do partido”, avaliou.

O vice-governador reconhece que, no âmbito nacional, PSDB e PCdoB estão em campos opostos, mas ressalta que, no Maranhão a aliança fortaleceu os tucanos. Por isso defende a manutenção da união.

“O PCdoB tem uma situação, a nível nacional, contra o PSDB, mas aqui, a nível de estado, essa aliança fortaleceu o partido e a gente não pode desprezar isso. Acho que isso [o anúncio da filiação de Roberto Rocha] foi uma coisa muito ruim para o partido e nós discutimos ontem e a posição dos membros do partido é de insatisfação, de revolta e não concordar com esse projeto. Até porque, nada contra a pessoa do senador Roberto Rocha, ele pode ingressar no partido, mas da forma que foi feito é complicado. Acho que a gente teria que ser ouvido, a gente teria consultado as lideranças para que essas pessoas dissessem se estavam de acordo, ou não. Não dessa forma que foi feito”, acrescentou.

Conversa

Carlos Brandão explicou que a posição das lideranças locais será levada na próxima semana ao comando nacional do partido, num tentativa de reverter a tendência atual de rompimento com o PCdoB.

“Nós, com muita serenidade, com muita tranquilidade estamos tratando disso dentro do partido, mas vamos manifestar o que a gente ouviu da base para a executiva nacional. Vamos conversar com a executiva e expor que esse não é um posicionamento meu, por isso não me manifestei, fiz questão de ouvir o partido. Eu aqui estou sendo apenas o porta-voz da maioria esmagadora do partido. Não é o Brandão que tem nada contra a pessoa do Roberto Rocha, é o partido. O partido simplesmente não concorda com o projeto do senador Roberto Rocha”, reiterou.

Segundo ele, os tucanos maranhenses não apoiaram a ideia de “marchar com Roberto Rocha”.

“Nós não temos nenhum aliado nossa que queira marchar com o Roberto Rocha. Se assim o partido tivesse essa intenção, nós iríamos acatar essa decisão do partido, mas eu não encontrei apoio de ninguém dentro do partido, exceto o Sebastião Madeira, que já se manifestou contra o atual governo”, finalizou.

PAÇO REALIZA NESTE SÁBADO O DIA D PARA VACINAR CRIANÇAS E ADOLESCENTES


A Prefeitura de Paço do Lumiar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realiza neste sábado, 16, o dia D para atualizar a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias). A abertura oficial será realizada na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Maiobão, às 8h. Ao todo, haverá 16 postos de vacinação abertos em Paço do Lumiar neste sábado, das 8h às 17h, para atendimento ao público. A Semus iniciou a campanha de atualização da carteira na última segunda-feira (11).

Estão disponíveis nos postos as vacinas: BCG, Pentavalente, Pneumocócica, Meningocócica, Rotavírus, Hepatite A, Hepatite B, DTP, Vacina Inativada Poliomielite (VIP), Vacina Oral Poliomielite Atenuada (VOP), Tríplice, Tetra, DTpa, dT e HPV. É fundamental que toda a população-alvo compareça a um dos 16 postos de saúde da cidade com a caderneta de vacinação para que os profissionais de saúde possam avaliar se há doses que necessitam ser aplicadas.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Elizeu Costa, o objetivo da Campanha de Multivacinação é resgatar não-vacinados e completar o esquema de vacinação, visando atualizar a caderneta de acordo com o calendário nacional. "Desta forma é possível reduzir a incidência das doenças e manter controladas, eliminadas ou erradicadas as doenças imunopreveníveis", declarou o secretário.

MARCAÇÃO DE CONSULTAS: SEMUS DE PAÇO DO LUMIAR IMPLANTARÁ SISTEMA PARA ACABAR COM AGLOMERAÇÃO

Para acabar com o problema de longas filas todo mês na Central de Marcação de Consultas (Cemarc) do município, a Prefeitura de Paço do Lumiar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, aderiu ao Sistema Nacional de Regulação (Sisreg). O programa da web gerencia de forma inteligente todo o processo de marcação, visando melhorar e humanizar o atendimento. A partir da primeira semana de outubro, a Semus implantará mudanças na Cemarc visando melhorar o atendimento.  

O secretário interino de Saúde de Paço do Lumiar, Eliseu Costa, explicou que a adesão ao Sisreg significa mais agilidade e menos tempo de espera para os pacientes. “O novo sistema estará disponível no prazo de 60 dias”, informou.
Enquanto o Sisreg não entra em funcionamento, algumas mudanças serão feitas para melhorar o atendimento na Cemarc de Paço do Lumiar. A principal é que, a partir de outubro, as consultas serão agendadas por especialidade na primeira semana do mês. Em cada dia da semana haverá especialidades diferentes. Também serão retomados em outubro os exames laboratoriais, que estavam suspensos.

ESPECIALIDADES

Na primeira segunda-feira do mês haverá marcação para Ginecologia; Pediatria; Ultrassonografia; e exames de laboratório. Na primeira terça-feira, serão marcadas consultas de Urologia; Gastroenterologia; Otorrino e exames de laboratório. Na primeira quarta-feira, Ortopedia; Clínico-Geral; Geriatria e exames laboratoriais. Na primeira quinta-feira do mês serão marcadas consultas para Cardiologia; Dermatologia; Nutrição; Psiquiatria e exames laboratoriais. E na primeira sexta-feira, Psicologia; Fonoaudiologia; Oftalmologia e exames de laboratório.

“Distribuir as 18 especialidades ao longo da semana vai acabar com a aglomeração e o sofrimento das pessoas na Cemarc. Os pacientes poderão vir num dia certo, conforme a especialidade. Esta é uma das melhorias que a gestão do prefeito Domingos Dutra implantará na Saúde de Paço do Lumiar”, explicou o secretário de Saúde, Eliseu Costa, acrescentando que mais informações poderão ser obtidas na Central de Marcação de Consultas, que funciona na sede da Semus, na Avenida 13 do Maiobão.


A miséria, a pesquisa e a dissimulação para ocultar o avanço do governo Flávio Dino em 2015


    Flávio Dino em apenas um ano conseguiu melhorar os índices da Saúde, Segurança, Condições de Vida, Infraestrutura, e Educação, segundo pesquisa divulgada pela Exame
A mídia sarneysista ao divulgar o levantamento realizado pela consultoria Macroplan, publicado pela revista Exame, sobre as condições de vida nos 26 estados brasileiros e mais o Distrito Federal, desta vez se superou.
Ao contrário da contumaz manipulação, que lhe é característica, ela partiu para o completo absurdo ao interpretar os resultados da pesquisa com um cinismo e hipocrisia sem iguais.
A manipulação exige uma realidade a ser manipulada; a dissimulação oculta o que não se consegue manipular !
Uma coisa é descontextualizar um fato para redimensioná-lo de acordo com seus interesses; outra é se amparar na invencionice transtornada por seus anseios, como foi o caso da mídia sarneysista ao “noticiar” o ranking da consultoria Macroplan onde o Maranhão aparece como o pior local para se morar, como se isto fora resultado do governo Flávio Dino e não consequência dos quatro mandatos da ex-governadora Roseana Sarney, dois deles entre 2009 e 2014.
O Índice dos Desafios da Gestão Estadual (IDGE), desenvolvido pela consultoria, avaliou a situação de todas as unidades da federação em 28 indicadores agrupados em nove áreas (saúde, segurança, gestão pública, educação, juventude, infraestrutura, condições de vida, desenvolvimento econômico, e desenvolvimento social) de 2005 a 2015, o primeiro ano do atual governo contra os últimos seis de Roseana.
E isto sem contar a grave crise econômica iniciada em 2014 que resultou na queda do PIB e no significativo aumento da taxa de desemprego, que em 2015 afetou diretamente as áreas de desenvolvimento econômico e social. Em dez anos, a desigualdade de renda aumentou no Maranhão, que caiu do 5º para o 26º lugar.
Enquanto uns culpam Flávio por tudo, outros se limitaram ao biênio 2014/2015 para destacar um “expressivo retrocesso”, de um ano para o outro. Um equívoco, na melhor das hipóteses, por preguiça de apurar os dados, que contradizem a revista Exame e de certa forma a própria pesquisa, já que não há como explicar que o falido, por exemplo, estado do Rio de Janeiro, seja melhor local para morar do que o Maranhão!
Embora não se possa responsabilizar a administração Dino pelos resultados de dez anos e tampouco equiparar um ano de governo, 2015, em plena crise econômica, com seis, 2009/2014, entre os quais 2013 quando o Brasil teve o terceiro maior crescimento econômico do mundo, o “expressivo retrocesso” só existiu na cabeça e no bolso de quem perdeu as benesses do governo anterior.
Os números da Macroplan mostram, na verdade, avanços significativos se levarmos em conta o pouco tempo de mandado, a situação do Pais e a miséria arraigada depois de 40 anos de domínio da oligarquia Sarney no estado.
Comparando os 27 indicadores, os dados da transparência não foram atualizados, de 2015 com 2014,  o sexto ano consecutivo de mando de Roseana, o Maranhão teve crescimento em 11, manteve a mesma posição em 9 e teve queda em 7.
Na síntese dos indicadores o estado continuou na última colocação do ranking, mas aumentou o seu IDGE entre 14 e 15 de 0,423 para 0,432. Das 9 áreas que englobam os 28 indicadores, houve queda em quatro. Uma delas, a de Gestão Pública, que caiu de 0,336 para 0,335 não reflete a realidade de então por não incluir o índice atualizado da Transparência de 2015. O cálculo da qualidade das instituições foi feito apenas com a Taxa de Congestionamento da Justiça Estadual (1º grau), e esta evoluiu da 17º para a 14ª posição.
No entanto, o IDGE confirma a peculiaridade obscura do governo Roseana ao registrar que a Transparência despencou do 10º para a 22º lugar de 2010 a 2014, por coincidência o mesmo período de atuação de uma organização criminosa, que segundo o Ministério Público foi montada para desviar recursos públicos protegida por um filtro que impediam a publicidade dos gastos públicos, principalmente as isenções fiscais e compensações tributárias suspeitas. 
A partir do final de 2015 o Maranhão recebeu nota máxima e continua na primeira posição dos rankings divulgados pela Controladoria Geral da União, o atual Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle.
As outras quedas registradas pelo IDGE entre 2014 e 2015 foram nos indicadores de Desenvolvimento Econômico, de 0,384 para 0,373, Desenvolvimento Social, de 0,411 para 0,364, e Juventude, de 0,365 para 0,301.
Por outro lado, o Maranhão subiu posições nos indicadores de Condições de Vida (0,249 para 0,279); Infraestrutura (0,605 para 0,628), Segurança Pública (0,555 para 0,605), Saúde (0,437 para 0,459) e Educação (0,392 para 0,431).
Podem parecer pouco, mas já é um sinal de que o Maranhão realmente começou a mudar a partir de 1º de janeiro de 2015, pelo menos para a maioria dos maranhenses!