sábado, 24 de junho de 2017

Prof.Terezinha Rego faz balanço do programa Farmácia Viva

Concurso Polícia Civil MA (PC MA): Comissão definida e edital nas próximas semanas!


O Maranhão vai ter concurso público para novos policiais nas próximas semanas. Na última semana, a Secretaria de Estado da Gestão e Previdência do Estado do Maranhão (SEGEP) publicou, no Diário Oficial do Poder Executivo, portarias sobre novos concursos públicos da Polícia Civil do Maranhão (PCMA). Foram instituídas as Comissões Setoriais dos concursos da Polícia Civil e para Delegado de Polícia Civil.

A finalidade dessas Comissões é auxiliar as comissões centrais no exercício de suas atribuições no que se refere as atividades relacionadas aos novos certames.

O certame já foi anunciado pelo governador Flávio Dino, durante entrevista à Rádio Timbira, transmitida para quase 40 emissoras de todo o estado.

“Agora é hora de novo concurso. Já autorizei a Polícia Civil, a Militar e os Bombeiros para que façam o edital e que as provas saiam neste ano, para que no próximo tenhamos mais policiais nomeados.”

“Nós temos agora o encerramento desse ciclo atinente ao concurso anterior e desde logo já determinei ao secretário Jefferson Portela a abertura de novo concurso público para a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil. Para que nós possamos continuar esse processo ainda nesse ano e no próximo ano”, informou.

A Polícia Civil do Maranhão (Concurso PC MA) lançou seu último certame em 2012. Em outra ocasião o governador já havia anunciado um novo certame para a corporação este ano. Integrante da lista dos concursos mais esperados para 2017, o concurso da Polícia Civil terá vagas efetivas com remunerações iniciais que variam de R$ 4.900,90 em início de carreira a R$ 16.00,64, dependendo do cargo escolhido.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Pesquisa afirma que Flávio Dino está 30 pontos na frente de Roseana Sarney

Sarney Filho admite incompetência e diz que ‘Só Deus’ pode garantir redução do desmatamento na Amazônia


Noruega vai cortar 50% dos repasses ao Fundo Amazônia devido aos resultados do Brasil.



Na Noruega, o ministro do Meio Ambiente Sarney Filho expôs a incompetência do governo Temer para frear o desmatamento na Amazônia. Em entrevista, ele disse que o governo brasileiro não pode garantir a redução do desmatamento no País. Deixou claro que está à espera de um milagre divino.


“Só Deus pode garantir isso [redução do desmatamento], mas eu posso garantir que todas as medidas para diminuir o desmatamento foram tomadas e nossa expectativa e esperança é que esse desmatamento diminua”, disse o ministro.


Após tendência de queda nos últimos anos, o desmatamento registrou um aumento de 58% em 2016, segundo estudo da Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).


Ao lado de Sarney Filho, o ministro norueguês de Meio Ambiente, Vidar Helgesen, anunciou que o país vai cortar 50% os repasses ao Fundo Amazônia devido aos resultados. Ele destacou que a medida pode ser revista se houver mudança nos indicadores ambientais brasileiros.


De 2009 e 2016, a Noruega aportou cerca de R$ 2,8 bilhões no Fundo Amazônia. O governo norueguês é o maior financiador externo para o combate ao desmatamento no Brasil.


Sarney Filho disse que o aumento do desmatamento deve-se a cortes no orçamento de proteção ambiental na administração anterior e que serão feitos novos aportes para o Ibama.


Autoridades norueguesas haviam alertado o Brasil antes da viagem. Em carta enviada ao ministro do Meio Ambiente da Noruega, Sarney Filho disse que não há perspectiva de retrocesso na Lei Geral de Licenciament e garantiu que o país mantém o compromisso com a sustentabilidade.


Antes de embargar para o exterior, o presidente Michel Temer vetou nesta segunda-feira (19) trechos da medida provisória que reduzia o território da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim (PA), na Amazônia Legal.


Aprovada em 16 de maio pelo plenário da Câmara dos Deputados, a Medida Provisória 756/2016 criou a Área de Proteção Ambiental (APA) Jamanxim, com área aproximada de 542 mil hectares. Para isso, a Flona do Jamanxim foi reduzida de 1,3 milhão de hectares para aproximadamente 557 mil hectares.


Já a MP 758/2016 alterou os limites da APA do Tapajós e do Parna do Jamanxim, desafetando, no último, duas áreas que totalizam 862 hectares e, concomitantemente, agregando a ele outra área de 51 mil hectares.


Ambientalistas alertaram que a mudança colocaria em risco a preservação da área onde vivem espécies nativas da Amazônia. Isso porque uma APA tem critérios de uso mais flexíveis, como pecuária e mineração.


Apesar do veto, o próprio ministro do Meio Ambiente afirmou que o Planalto enviaria um novo projeto de lei, com o mesmo teor, ao Congresso Nacional para tramitar em caráter de urgência.


A organização ambientalista Greenpeace questionou a eficácia do veto de Temer e classificou a medida como uma tentativa do presidente de melhorar a imagem de suas políticas ambientais antes da viagem à Noruega.


"O veto de Michel Temer corrige o processo, mas não a redução das áreas preservadas. A mudança de estatuto dessas áreas ia ser decidida por medidas provisórias. Agora, vão ser por meio de projeto de lei específico, discutido no Congresso. O veto só permite ao governo usar o instrumento certo para fazer o que queira", disse diretor de campanhas do Greenpeace no Brasil, Nilo D'Ávila, à agência de notícias AFP.


Em setembro de 2016, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) a suspensão imediata do trâmite de qualquer processo administrativo ou requerimento que tenha por objeto a recategorização e/ou desafetação da Floresta Nacional do Jamanxim.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Atualização de limites da Grande Ilha é tema de audiência pública no Maiobão



Na tarde da última quarta-feira (21), o prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB), participou de audiência pública sobre as atualizações cartográficas dos municípios da Ilha. O projeto de lei sobre as delimitações da Região Metropolitana de São Luis já está tramitando na Assembleia Legislativa para voto em Plenário.

Foram três projetos assinados no Legislativo e elaborados pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
IBGE. Neles constam os acordos entre os municípios de Paço do Lumiar e São José de Ribamar; São José de Ribamar e São Luís; além de Paço do Lumiar e Raposa. Esses acordos surgiram após um minucioso levantamento feito pelos próprios gestores que caíram em campo e percorreram todos os limites, junto com os órgãos competentes.

A ideia da audiência foi de reunir lideranças comunitárias, ouvir os moradores não só de Paço, mas de toda a Grande Ilha e mostrar o que resultou do acordo entre os municípios, permitindo a construção do consenso por meio da participação popular. Todo o trabalho foi divulgado, os participantes opinaram, fizeram algumas observações e aceitaram as adaptações.

Segundo o prefeito Domingos Dutra, esse não foi um trabalho sem critérios. Foi produzido por dois órgãos técnicos, tanto nacional quanto estadual, de credibilidade incontestável. “Nós, os gestores municipais, apenas acompanhamos, sugerimos e opinamos. Portanto, esse é um acordo sólido e responsável, que vai ser fundamental para definirmos quais as responsabilidades dos prefeitos e do Governo do Estado. Este momento histórico vai contribuir também para que o IBGE faça uma nova recontagem populacional do nosso Município, que oficialmente possui 138 mil habitantes, mas que na realidade tem 167 mil habitantes, fazendo com que Paço do Lumiar perca recursos”, observou o prefeito.

Na audiência pública estiveram presentes representantes da Comissão de Assuntos Municipais e de Desenvolvimento Regional da Assembleia, presidida pelo deputado Bira do Pindaré; os deputados Junior Verde, Cabo Campos e Wellington do Curso. Também presentes o vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro; o vice-prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio; o vice-prefeito de Raposa, Alan Aires; o presidente da Agência Metropolitana da Grande Ilha, Pedro Lucas Fernandes; o presidente do Imesc, Felipe de Holanda, e o engenheiro cartográfico da Divisão Territorial Brasileira do IBGE, José Henrique da Silva.

O deputado Bira do Pindaré, destacou a parceria com o Imesc. “Esta é uma excelente oportunidade para a conclusão do processo de revisão das divisas entre os municípios da Grande Ilha. O trabalho foi fortalecido pelo convênio celebrado entre o Imesc e a Assembleia Legislativa, permitindo que os acordos entre os municípios sejam fixados em lei. Esperamos com isso grande melhoria das condições de vida da população”, destacou o parlamentar.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Dino tem mais de 20 pontos de diferença sobre Roseana, aponta Exata


Destaques / 21 de junho de 2017 / 12h16 - Por Leandro Miranda


Pesquisa do Instituto Exata encomendada pelo Jornal Pequeno apontou uma larga vantagem do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), caso as eleições fossem hoje.

No cenário onde apenas os candidatos fossem Flávio Dino e Roseana Sarney, o governador marcou 51 pontos percentuais contra 28% da peemedebista. Outros 16% disseram nulo, branco, ou nenhum e 5% não sabem ou não responderam. O quadro também simula a possibilidade de um eventual segundo turno.

O número é bem próximo a outro dado divulgado ontem, 20, onde 58% dos entrevistados nessa mesma pesquisa disseram aprovar o atual Governo, ou seja, Dino tem um eleitorado consolidado que pode lhe garantir à reeleição.

A pesquisa Exata foi realizada entre os dias 14 e 17 de julho, foram ouvidos 1404 eleitores, a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o grau de confiabilidade é de 95%.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Em artigo no Jornal O Imparcial, o secretário de Saúde Carlos Lula falou dos avanços da saúde e do modelo de gestão que tem se consolidado.


Inauguração do Restaurante Popular do Maiobão em Paço do Lumiar


Restaurante Popular do Maiobão novo espaço mais amplo e confortável

O novo Restaurante Popular do Maiobão começou a funcionar em novo local. A ação é coordenada pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes). 
Para proporcionar mais comodidade e higiene aos usuários do Restaurante Popular do Maiobão, o serviço será ofertado agora em um prédio localizado na Avenida 12, nº 14, próximo ao Depósito de Material de Construção do Baiano. O grande diferencial do novo equipamento de segurança alimentar e nutricional do bairro são as instalações físicas agora bem mais amplas e melhor adequadas à atividade.

Antes funcionando em espaço menor e antigo, o Restaurante Popular do Maiobão ocupa um prédio novo, recém-construído para atender a todas as normas quanto ao conforto, higiene e acessibilidade às pessoas com necessidades especiais de locomoção e melhor usufruto do serviço pela população.

Diariamente são servidas no almoço até 1375 refeições e no jantar até 550. Atualmente, o restaurante funciona com 16 mesas de seis lugares e uma capacidade para atender 96 pessoas sentadas. No novo espaço, o número de mesas foi ampliado para 20 e a capacidade de atendimento será para 120 pessoas sentadas. O equipamento disponibiliza ainda sala de capacitação, sala de reunião, dentre outros setores administrativos.

O novo restaurante do Maiobão continuará funcionando em mesmo horário, das 11h às 14h30, no almoço; e das 17h30 às 19h30, no jantar, de segunda a sexta-feira. A refeição tem valor simbólico de R$ 2.

Elba Ramalho e Geraldo Azevedo no São João de Todos, em São Luís do Maranhão. Confira:



domingo, 18 de junho de 2017

Prefeitura de Paço antecipa a primeira parcela do 13º salário


Os servidores ativos, inativos e pensionistas de Paço do Lumiar receberam a primeira parcela do 13º salário de 2017 desde o dia 14 de junho. Segundo a Prefeitura, cerca de R$ 3 milhões estão sendo injetados na economia, especialmente no setor de comércio e serviços do município.


“Essa é uma medida muito importante porque estamos vivendo uma crise sem precedentes. Paço conseguiu antecipar o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro e apelamos aos servidores e aposentados que gastem no próprio município, ajudando a gerar renda aqui mesmo”, destacou o prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra.

O prefeito informou que, a partir de julho, a segunda parcela do 13º salário de Paço será paga no mês de aniversário do servidor, o que poderá ocorrer de julho a dezembro.

“Como é de conhecimento público, os municípios brasileiros estão enfrentando sérias dificuldades financeiras decorrentes da queda de arrecadação e da crise econômica que reduz o consumo e, consequentemente, a arrecadação de impostos. Com a Prefeitura de Paço não está sendo diferente. A crise nos atinge, mas com muita determinação temos contornado as dificuldades, priorizando nossos servidores, evitando os transtornos causados pelo atraso no pagamento dos salários”, resumiu Dutra.