quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Reinaldo Gottino da Tv Record, reconhece coragem de Nubia Feitosa.

A secretária de Administração Gestão e Finanças de Paço do Lumiar, Núbia Feitosa foi baleada por um homem que brigava com a esposa na rua. Antes de levar o tiro, a primeira-dama tentou convencer o atirador a largar a arma e ligou para um funcionário do prefeito, um militar aposentado, que foi até o local para ajudar. Núbia passou por uma cirurgia e recebeu alta.

Nubia comentou:"Eu parei o carro e fui até ela e disse, venha comigo para o meu carro.  Deixa ela em paz, eu só vou levá-la pra casa, disse o acompanhante. E ela me seguiu até quase a porta do meu caro. Mas, imediatamente ele ficou louco. Quando ela não quis mais me acompanhar, eu já compreendi que ela já estava tentando me salvar. Porque já sabia que ele era muito perigoso. Ela me salvou muitas vezes. Ele estava preparado para matar, disparou 10 tiros, ele queria matar. Era um matador. Ou eu, ou ela. Que bom que não tenha sido nenhum das duas. Eu acho que essa máxima, ela é fruto de uma cultura sórdida, de poderio masculino, sempre na tentativa de convencer a mulher e as pessoas de que não deveriam se envolver nos espancamentos que historicamente ocorreram na vida entre homens e mulheres. Essa é uma máxima ridícula, machista. Eu não sou feminista, eu sou mulher, sou pessoa. Eu não me vejo não fazendo aquilo ainda hoje, eu não me vejo no futuro  passando incólume por outra situação desta. A máxima que tem que existir é: que nós somos pessoas, que o Direito Penal é claro. Que a Lei Maria da Penha é clara. Qualquer pessoa pode fazer o flagrante, e evitar a morte de uma outra pessoa".  Enfatizou a secretária.

Gottino comentou: "Parabéns pra essa senhora, primeira-dama. Ela viu uma briga na rua, um homem agredindo uma mulher, ela não pensou duas vezes. Ela desceu do carro e foi lá.  pra tentar salvar essa mulher. Salvou. Mas levou 3 tiros. Tá viva. Mas ela arriscou a própria vida pra isso. Porque ela diz que não suporta ver uma mulher sendo agredida. olha gostei da atitude dela". Relatou

Persival comentou: "Ela não foi indiferente. Não foi omissa, foi solidária. Correu um grande risco. E provavelmente como disse você, o agressor, o atirador, o matador. Ele iria atingir aquela mulher com quem estava discutindo. Agora o grave disso, é que ele é policial militar. Veja só. Tá com uma arma poderosa, uma pistola ponto 40. Essa história de ir pro Comando Geral da Policia Militar. Não tem nada disso comando ai do Maranhão. Até porque tentativa de homicídio é tribunal do júri, e comando da polícia militar não tem nada haver com isso. É justiça comum. Não tem privilégio nenhum". Finalizou.

Veja o vídeo:

Sem comentários:

Enviar um comentário