quinta-feira, 4 de maio de 2017

Sampaio promete recorrer da decisão do TJD-MA

  •  
Presidente do Sampaio, Sérgio Frota, vai perdi a suspensão do Estadual por meio de liminar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)
0
Sérgio Frota questiona posivél falta de isenção no julgamento
Sérgio Frota questiona posivél falta de isenção no julgamento (Foto: Biné Morais)
SÃO LUÍS - O presidente do Sampaio Corrêa, Sérgio Frota, questiona a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva do Maranhão (TJD-MA), que deferiu o mandado de garantia ao Moto Club, eliminando o Tricolor do segundo turno do Campeonato Maranhense. Para o dirigente, o julgamento não teve isenção e vai perdi a suspensão do Estadual por meio de liminar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).
O dirigente do Sampaio não se conformou com a decisão do TJD e disse que o resultado do julgamento foi equivocado. “Lamento profundamente o que ocorreu esta noite no Pleno do TJD. Conquistamos o direito de disputar a vaga dentro de campo, de acordo com o regulamento, que indica a vantagem à equipe com melhor índice técnico, na fase de classificação do segundo turno, como previsto no Art.11. No entanto, uma decisão equivocada nos tira essa condição legítima”, disse.
Sérgio Frota cita como prova da suspeição do relator da ação movida pelo Moto, Gutemberg Braga Junior, ao antecipar o seu voto no grupo de Whatsapp dos auditores do TJD-MA, e ainda tenta influenciar os colegas: “Facilite e muito a decisão do colegiado”, publicado pelo auditor. “O Tribunal de Justiça do Maranhão escreveu ontem (terça-feira) uma das páginas mais tristes de sua história. Vimos um julgamento onde o relator “sorteado”, pois ninguém viu o sorteio do Senhor Gutemberg Braga Junior, que apresentou um processo eivado de parcialidade. Isso é um desrespeito. Todos viram os termos utilizados pelo relator naquela postagem. Aquilo é claramente uma revelação de voto antecipado e uma tentativa cabal de sugestionar os demais auditores. Isso, está claro. Pedimos também a suspeição do auditor Eduardo Duailibi, que possui uma procuração assinada conjuntamente com o advogado que deu entrada no mandado de garantia do Moto Club. Isso é no mínimo antiético. O colegiado do TJD, numa atitude corporativista, indeferiu o nosso pedido”, afirmou.
Sérgio Frota já adiantou que irá recorrer ao STJD e enumera os prejuízos causados pela decisão considera por ele equivocada do TJD-MA. “Concentramos, alugamos ônibus e viajamos até Barra do Corda, para o Tribunal ter um entendimento diferente do regulamento e nos causar tamanho dano. Nenhum desses cinco auditores tem a mínima noção dos custos e o que é administrar um clube de futebol. Vamos recorrer e temos certeza que, lá, vai ocorrer um julgamento isento. Além do recurso entramos com pedido de liminar solicitando a suspensão do Estadual até que o nosso recurso seja julgado no STJD”, declarou.
Decepcionado com o resultado do julgamento no TJD-MA, Sérgio Frota disse que sente desmotivado para continuar no futebol. “Minha vontade era abandonar o futebol por conta de uma decisão equivocada dessa natureza. Só não faço em respeito a todos que acreditaram em nosso trabalho à frente do clube ao longo desses 10 anos. Vou continuar lutando para que o direito legítimo do Sampaio em participar da decisão do segundo turno seja respeitado”, completou.

Sem comentários:

Enviar um comentário