Por Jully Camilo
Agentes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam no início da tarde de ontem (23), no Rio Poty Hotel, o ex-policial militar, Paulo Sérgio Sampaio Mendes, vulgo Paulo Crânio, acusado de assaltar o prefeito do município de Cachoeira Grande, Chico Barbosa. O assalto ocorreu em meados de março, na porta da residência de Barbosa, no Maiobão, de onde levaram a quantia de R$ 90.000 que seria utilizada para realizar pagamentos da prefeitura.
De acordo com o delegado da Deic, Roberto Mauro Silva Larrat, a juíza da Comarca de Paço do Lumiar, Gerusa de Castro Duarte Mendes, expediu um mandado de prisão contra Paulo Crânio desde o dia 26 de março, que foi cumprido hoje. Outro elemento conhecido por Evandro, que também teria participado do crime, foi preso há aproximadamente dois meses. “Ex-presidiário, Paulo Crânio atualmente faz parte da Ong Renascer, que trabalha com a ressocialização de detentos no presídio. A Ong estava com um estande de exposição no Rio Poty Hotel, para apresentar o material produzido pelos presos e no local os agentes reconheceram Paulo Crânio e efetuaram a prisão dele, que não teve tempo de oferecer resistência”, declarou o Larrat.
Paulo Crânio esteve envolvido em outros assaltos
Segundo Paulo Crânio, ele não teve nenhuma participação no assalto e afirmou não conhecer Edvan, muito menos o prefeito. “Sei que já fiz muita coisa errada, fui expulso da corporação (Polícia Militar) há 10 anos, quando pratiquei um assalto aos Correios de Presidente Juscelino, além de outros delitos. Mas agora estou tentando mudar de vida, me casei e quero enveredar por outros caminhos que não sejam o da criminalidade. Tenho residência fixa e nunca precisei me esconder. Não sei por que um mandado de março só foi cumprido agora, se todos sabiam onde eu morava”, afirmou o acusado.
A autoridade policial informou que Paulo Crânio foi conduzido para a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), por questões de segurança, onde permanecerá à disposição da justiça. O delegado do Maiobão deverá mandar buscá-lo em breve para o reconhecimento junto à vítima e outros procedimentos processuais.