sábado, 29 de abril de 2017

Gago e Crânio, jagunços de Marinho do Paço e Gilberto Aroso entram em contradição

Numa espécie de nota publicada em grupos de conversa, Crânio diz que neste assalto da matéria do Jornal Pequeno, ao prefeito de Cachoeira Grande, Chico Barbosa, no valor de R$ 90.000, ele não participou. 


Vulgo Gago, no intuito de ajudar seu amigo, acaba afirmando que Crânio cometeu sim crimes e já pagou: "Você é um ser humano, passivo de erros. Se você cometeu seus erros, respondeu, e não deve mais nada, você é um cidadão como todos os outros". Afirmou em áudio



 Já na matéria de 2007, Crânio confessa crimes passados, e se diz redimido da vida do crime. 



Sem comentários:

Enviar um comentário