sábado, 22 de outubro de 2016

Na estrada de Ribamar, Dutra, prefeito eleito, agradece ao povo

O prefeito eleito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, esteve nesta manhã de sábado (22), na Estrada de Ribamar a MA-201, agradecendo os votos de confiança.

Dutra cumprimentou a todos que trafegava no local, motoristas, pedestres, motociclistas, desde as crianças aos mais idosos, além de estudantes que ali trafegavam. 

O comunista que inciou suas caminhada desde semana passada pelo município, em agradecimento, sinaliza o seu comprometimento com o povo e afirma que sua gestão será participativa.



Ministério Público apura fraudes na cota parlamentar

Casos suspeitos incluem pedidos de reembolso por serviços não comprovados e a contratação por deputados de empresas investigadas

O Ministério Público Federal investiga suspeita de desvios da cota parlamentar de pelo menos 30 deputados e alguns que já perderam o mandato. Além do salário, da verba de gabinete e do auxílio-moradia, os parlamentares ainda recebem até R$ 45 mil de reembolso por mês para aluguel de veículos, passagens, combustível, hospedagem e a manutenção de um escritório em sua cidade de origem. 

Um dos casos de irregularidades investigados é o do líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), aberto este ano. Segundo investigações da Procuradoria da República, Moura pagou R$ 460 mil à Cloud Technology, entre 2013 e 2016, mas os documentos apresentados pela consultora não comprovam a prestação de serviço. Os investigadores também não encontraram a companhia no endereço informado. O processo, assim como pelo menos outros sete casos, segue sob sigilo na Justiça.

Foto: André Dusek/ Estadão

Sessão de votação do pedido de perda de mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidida pelo presidente da Camara Rodrigo Maia (DEM RJ) no Plenário da Camara dos Deputados em Brasilia.

Moura também usou parte de sua cota, entre 2013 e 2014, para contratar os serviços de uma empresa cujos donos são alvo de investigação no Sergipe, a Elo Consultoria. A empresa é acusada de assinar contratos fictícios para justificar gastos de vereadores. Em março deste ano, policiais e promotores do Sergipe deflagraram a Operação Indenizar-se e fizeram buscas na Câmara de Aracaju. No total, 15 dos 24 vereadores são investigados no caso, assim como os sócios da Elo.

O deputado Wadih Damous (PT-RJ) é investigado por contratos com a empresa Beinfo Soluções em Tecnologia, cujos sócios são filiados ao PT e teriam realizado doações, pessoalmente e por meio de terceiros, à campanha do petista.

TCU. O uso do “cotão” também é objeto de análise do Tribunal de Contas da União (TCU). A investigação teve início em 2013, após 20 parlamentares terem sido denunciados por apresentar notas falsas de aluguel de automóveis para maquiar irregularidades. Agora, o TCU diz haver indícios de que os recursos continuam sendo utilizados de forma irregular. Em parecer técnico preliminar da corte de contas também há indicações de que a Câmara não estaria seguindo as orientações de fiscalização feitas pelo TCU.

O relator do processo é o ministro Walton Alencar, o mesmo que determinou, em 2014, que se realizasse o monitoramento no uso das cotas. O parecer técnico preliminar, contudo, vê indícios de que as irregularidades se mantiveram e que não há controle adequado. O relatório ainda não é conclusivo.

No primeiro semestre de 2016, os parlamentares da Casa receberam cerca de R$ 100 milhões em reembolsos para o “exercício do mandato”. Entre as despesas, a divulgação do mandato parlamentar é a área de maior gasto dos deputados. Nos primeiros seis meses do ano, foram gastos mais de R$ 20 milhõescom propaganda. A emissão de bilhetes aéreos fica em segundo lugar (R$ 17,2 milhões), seguida pelo aluguel de automóveis (R$ 11 milhões).

Os limites mensais da cota variam conforme o Estado de cada um dos 513 deputados e são acumulados ao longo do ano. A quantia leva em consideração a distância que o parlamentar precisa percorrer até à capital federal para trabalhar durante a semana. O Estado com a menor verba é o Distrito Federal, R$ 30.788,66. Já os deputados de Roraima são os que têm direito ao maior valor, até R$ 45.612,53. Líderes e vice-líderes partidários e presidentes e vice-presidentes de comissões ganham R$ 1.300 a mais por mês.

Casos suspeitos. Somente a partir de 2014 os deputados foram obrigados a apresentar notas fiscais dos gastos, que também começaram a ser divulgados no site da Câmara. O acesso aos dados facilitou o trabalho de organizações independentes, como a Operação Política Supervisionada (OPS), que, em três anos, identificou 178 parlamentares com possíveis irregularidades nos gastos e 42 fornecedores suspeitos. A OPS afirma que já foram devolvidos mais de R$ 5 milhões aos cofres públicos com as denúncias.

Uma consultoria jurídica contratada pelo primeiro-secretário da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), plagiou trabalhos universitários e reportagens em pareceres técnicos. Mansur pagou ao menos R$ 100 mil à consultoria, que ainda presta serviços ao parlamentar.

Outro caso é o do deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), que comprou quase 3 toneladas de papel A4 e 16 mil lápis escolares nos últimos dois anos, o que custou cerca de R$ 120 mil. O deputado Paulo Feijó (PR-RJ) abastecia o carro apenas no posto de combustível do seu genro. Para evitar um processo, ele se comprometeu a devolver os R$ 100 mil em parcelas à Câmara.

Outro caso suspeito é o do deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), que, mesmo sem ter comparecido à Câmara no primeiro semestre de 2016, recebeu R$ 100 mil para cobrir despesas como aluguel de veículo e passagens aéreas, até para Brasília.

Já o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), somente em junho deste ano, pediu reembolso de cerca de R$ 47.500 mil pelo envio de cartas a eleitores.

Justiça decide que ex-governador siga preso por tempo indeterminado

Prisão temporária foi convertida em preventiva, neste sábado (22). Outros suspeitos de envolvimento em fraudes também permanecem presos.

Do G1 TO
Ex-governador Sandoval chega ao IML de Palmas (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Ex-governador Sandoval chega ao IML de Palmas (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
A Justiça Federal converteu as prisões temporárias em preventivas do ex-governador Sandoval Cardoso (SD) e de mais sete pessoas, investigados pela Polícia Federal na Operação Ápia. A prisão temporária dos envolvidos venceu neste sábado (22) e diante da decisão não há prazo para que eles ganhem a liberdade. A Justiça também manteve a prisão domiciliar, com monitoramento eletrônico, de um empresário.
A defesa do ex-governador se diz surpresa com a decisão da Justiça e que avalia as medidas a serem tomadas.
Na última terça-feira (18), a Justiça havia decidido prorrogar a prisão temporária de Sandoval Cardoso por mais cinco dias. Mas agora, ao determinar a prisão preventiva, ele e os outros envolvidos ficarão detidos por tempo indeterminado.
Seis devem continuar na Casa de Prisão Provisória de Palmas e um no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, já que se trata de um ex-militar. O fiscal de contratos da Agência de Máquinas e Transportes (Agetrans), Donizeth de Oliveira, é considerado foragido.
A solicitação da prisão preventiva foi feita pela Polícia Federal (PF) e encaminhada pelo Ministério Público Federal (MPF) à Justiça com a alegação de que a medida é “indispensável para a manutenção da ordem econômica e garantia da ordem pública”.
Esquema
Segundo informações da Polícia Federal, a organização suspeita de fraudar licitações de terraplanagem e pavimentação asfáltica no Tocantins funcionava em três núcleos compostos por políticos, servidores públicos e empresários. A suspeita é de que o grupo tenha desviado cerca de R$ 200 milhões.
Entre os investigados está o ex-governador Sandoval Cardoso, que teve prisão preventiva decretada e se apresentou na noite de quinta-feira (13). Além do ex-governador Siqueira Campos, que já cumpriu um mandado de condução coercitiva e foi levado para prestar depoimento.
Segundo o superintendente regional da PF no Tocantins, Arcelino Vieira, os núcleos eram formados com a intenção de fraudar e burlar a fiscalização de forma a conseguir lucrar com os serviços, que muitas vezes não eram executados.
"O núcleo político era composto por pessoas que compunham o alto escalão do Estado, dois ex-governadores [Sandoval Cardoso e Siqueira Campos] que, através de contratos com Banco do Brasil, conseguiram empréstimos internacionais", disse.
O superintendente explicou que os empréstimos estavam fundamentados em uma lei estadual, a qual também autorizou o estado a criar um comitê executivo que gerava os recursos e os distribuía para várias secretarias estaduais. Uma delas era a Secretaria de Infraestrutura (Agetrans) que fazia a licitação e o acompanhamento de todas as obras.
Segundo a investigação da PF, os recursos adquiridos através de três linhas de crédito somavam R$ 1,2 bilhão. Deste valor, a Agetrans ficou com R$ 850 milhões para investir em obras nas rodovias, mas os contratos receberam aditivos que se computados, ultrapassariam R$ 1 bilhão.
"Os editais eram recheados de cláusulas restritivas à concorrência que favoreciam empresários do grupo. Ao final se constatou que havia ajuste de preços para dividir o lote entre seis empresas. Está bem clara a existência de um cartel para o fim de fraudar as licitações e desviar dinheiro público federal", explicou o procurador da república José Ricardo Teixeira.

Lava Jato investiga se Cunha aplicou dinheiro de propina em ações na bolsa

Segundo relatório, ele movimentou R$ 25 milhões entre 2009 e 2013.
MPF diz que ele recebeu propina no mesmo período.

A força-tarefa da Operação Lava Jato investiga se o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha lucrou na bolsa de valores aplicando dinheiro de propina. Segundo relatório da BM&F Bovespa, o peemedebista movimentou cerca de R$ 25 milhões em ações entre os anos de 2009 e 2013. O documento foi anexado ao processo em que o político é réu, na Lava Jato. Ele nega qualquer irregularidade.

O relatório mostra que somente as movimentações de compra e venda de papéis da Petrobras somaram R$ 24 milhões.

No entanto, nas declarações de imposto de renda de Eduardo Cunha, não consta quanto ele recebeu de dividendos dos investimentos.

Segundo as investigações da Lava Jato, foi no mesmo período abordado pelo relatório da BM&F Bovespa, que Cunha recebeu propinas por contratos firmados entre fornecedores da Petrobras e a estatal.

O Ministério Público Federal (MPF) reuniu informações de que Cunha recebeu pelo menos US$ 6,5 milhões. Os procuradores dizem que o dinheiro era referente à participação dele, para que os contratos com as empresas fossem fechados.

Em junho deste ano, o juiz federal que conduz o processo que Cunha responde por improbidade administrativa mandou bloquear mais de R$ 200 milhões das contas de Cunha. No entanto, nada foi encontrado nos bancos onde ele possui conta no Brasil. A Bolsa de Valores de São Paulo também informou que ele não possuía mais nenhum ativo em negociação.

Outro lado
Procurada, a defesa de Eduardo Cunha negou que o ex-deputado tenha praticado qualquer conduta ilegal. Os advogados também disseram que ele estará à disposição das autoridades.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Na Pindoba, Dutra, prefeito eleito de Paço do Lumiar, reafirma compromisso com o povo

(Dutra, ao lado dos candidatos da sua coligação)
Para a população da Pindoba, o prefeito eleito, Domingos Dutra falou da importância da comunidade e de sua produção, assim como a dos portos de Paço do Lumiar, e relatou que já está se esforçando para melhorar suas condições. Agradeceu os votos de confiança, ressaltando que agora é o prefeito de todos, inclusive dos que não votaram nele. 

Deixou bem claro que não será um "prefeito de gabinete"  e estará sempre ao lado da população num governo participativo. Resumiu rapidamente seu desejo de que Paço do Lumiar seja uma cidade moderna. "Por onde eu tenho passado, tenho recebido os parabéns, e as pessoas desde as mais simples, até as autoridades, estão dizendo que agora Paço do Lumiar dará certo". Disse o prefeito eleito, Domingos Dutra.

A VEZ DAS MULHERES NO PODER


A primeira dama de Paço do Lumiar, Núbia Feitosa falou da importância da educação no município e parabenizou Paula da Pindoba pela honestidade e pelo trabalho pela comunidade. Falou que pela primeira vez, temos alguém que foi criado e sabe da realidade vivida pelos trabalhadores rurais, no poder. Para fazer a diferença. Afirmou Núbia.

"Eu cheguei e disse que ela seria sim a vice prefeita de Paço do Lumiar, mas ela disse que até então nenhuma pessoa pobre tinha chegado ao poder. E eu reafirmei: 'é nesse poder que os mais humildes terão vez". Finalizou Núbia, primeira dama, declarando que está se dedicando ao máximo, mais ainda, aos problemas e ao diagnóstico de Paço do Lumiar, para começar um bom e efetivo trabalho.

DEU TUDO CERTO


Dutra finalizou sua fala com a música que embalou a campanha 65 - Vai dar tudo certo. Cantou com a população e ao chegar no refrão 'Vai dar tudo certo', ele fez a troca de frases por: "Já deu tudo certo". 

"QUEM DISSE QUE EU NÃO ACREDITAVA EM DEUS SE DEU MAL"


Agradeceu a Deus pela vitória, e disse que era uma grande mentira o que seus adversários haviam espalhado pela cidade, dizendo que Dutra não acreditava em Deus. "Eu agradeço a Deus pela vitória, ao povo e aos que não se venderam pelas 30 moedas".

"A VICE TERIA QUE SER MULHER E DA ZONA RURAL"


A vice prefeita eleita, Paula da Pindoba, ressaltou seu empenho em lutar, ainda mais pela comunidade em que vive. Falou que as mulheres nunca serão esquecidas e que os trabalhadores do campo, terão vez nesse governo. "Eu estou a inteira disposição não só dessa comunidade, mas de todo Paço do Lumiar, para ao lado do prefeito Dutra, lutar por uma melhor qualidade de vida para o nosso povo sofrido".

AO LADO DO POVO


Prefeito eleito e vice, agradecendo os votos de confiança da população da Pindoba. Bem recepcionados por todos, os novos representantes do povo, foram de casa em casa, de porta em porta, sentir de perto, e reafirmar que 'deu tudo certo'.

JUVENTUDE65

Dutra, prefeito; Collins,Coordenador da JUPAÇO; Paula, vice-prefeita; Thiago Rocha - Vice.pres.UJS-PAÇO
A JUPAÇO - Juventude Unida de Paço do Lumiar, e UJS-PAÇO sempre ao lado do prefeito eleito Domingos Dutra e da vice-Paula da Pindoba, conversando e agradecendo os jovens, princialmente os que votaram pela primeira vez, e disseminando a informação de que o compromisso da gestão do PCdoB, será honrado.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Moro autoriza saída de Youssef de penitenciária em novembro deste ano

Doleiro condenado na Lava Jato fez acordo de delação premiada.
Ele ficará sem escolta, com tornozeleira, e terá celular em prisão domiciliar.

Doleiro só poderá receber a visita de advogados e familiares, sempre no período da manhã (Foto: Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta quinta-feira (20) uma série de regras para que o doleiro Alberto Youssef possa cumprir prisão domiciliar. De acordo com a decisão, ele deve sair da carceragem do Complexo Médico-Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba no dia 17 de novembro. Neste dia, serão completados dois anos e oito meses da prisão do doleiro.

O juiz explicou que o acordo de colaboração que Youssef fechou com o Ministério Público Federal previa que ele cumprisse pelo menos três anos de prisão em regime fechado. No entanto, o acordo foi revisto e homologado novamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na nova versão, o doleiro poderia cumprir os últimos quatro meses em prisão domiciliar.

De acordo com Moro, Youssef deverá usar uma tornozeleira, nesses quatro meses. O juiz considera que não será necessária escolta para garantir que o doleiro permaneça em casa, pois ele estará usando o equipamento eletrônico. “Considerando que Alberto Youssef já terá cumprido a maior parte da pena fixada em regime fechado, parece improvável que intente fuga nos quatro meses remanescentes em prisão domiliciar. Além disso, há custos com escolta que dificultariam a sua realização”, disse o juiz.

Moro também autorizou que Youssef tenha um celular à disposição. No entanto, ele só poderá usar o aparelho para ligações de emergência e para pessoas previamente liberadas para visita-lo em casa. O aparelho poderá ser grampeado, para o monitoramento do doleiro.

As visitas serão restritas aos advogados, familiares, filha e esposa. Ele só poderá receber essas pessoas entre 8h e 12h, segundo o juiz, que também autorizou que Youssef possa sair do apartamento para ir até a academia do condomínio, para realizar sessões de fisioterapia.

O acordo de delação de Youssef prevê ainda que, após o cumprimento dos três anos de prisão (dois anos e oito meses na cadeia e quatro meses em casa), Youssef seja transferido imediatamente para o regime aberto, ou seja, estará livre para ir e vir aonde quiser. A única restrição é que ele fica impedido de cometer novos crimes num prazo de 10 anos, sob o risco de ter que responder integralmente aos processos que foram abertos contra ele.

Condenações
Embora tenha feito o acordo de delação premiada, Youssef foi condenado como os demais réus da Lava Jato em nove processos até o momento. Os crimes atribuídos a ele nessas ações penais são de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Se não tivesse feito o acordo, ele já teria somado penas que chegam a 121 anos e 11 meses de prisão, apenas na Operação Lava Jato.

Procon/MA e Cref/MA interditam academias irregulares no Maiobão e outros bairros.




O Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon/MA) e o Conselho Regional de Educação Física (Cref-MA) interditaram três academias, nesta terça-feira (18), em São Luís. A operação iniciada segunda-feira (17), na região do Maiobão, no município de Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís, já interditou oito academias. As ações prosseguem durante as próximas semanas em parceria com a Polícia Militar do Maranhão (PMMA). A previsão é 35 academias devem ser fiscalizadas em São Luís.

De acordo com o presidente do Procon/MA, Duarte Júnior, a operação previne que os consumidores sofram qualquer dano ou sejam lesionados durante a prática de atividades físicas. “Identificamos que algumas academias da Região Metropolitana de São Luís estão funcionando sem alvará, sem atestado da Vigilância Sanitária e sem a presença de um profissional registrado no CREF, o que pode gerar um dano à vida, saúde e segurança do consumidor. Por isso, estamos interditando esses estabelecimentos a fim de que possam se regularizar e oferecer um serviço de qualidade aos consumidores maranhenses.”

Segundo a coordenadora de Fiscalização e Orientação do CREF-MA, Gisela Ruy, todos os estabelecimentos que passaram por sanção foram orientados a se regularizar há pelo menos um ano. “Todas essas academias já tiveram a orientação do Conselho Regional de Educação Física sobre tudo o que é necessário pra ser um estabelecimento regular. Academias irregulares podem estar oferecendo ambientes insalubres ao consumidor, e podem submeter seus alunos ao risco de lesão, às vezes irreversível”, alertou a fiscal.

As interdições foram realizadas devido à recorrência da infração ao disposto no Artigo 18\Parágrafo 6°, do Código de Defesa do Consumidor, segundo o qual são impróprios para o consumo os produtos e serviços que põem em risco a vida, saúde e segurança do consumidor. As academias poderão retomar sua atividade normal assim que se regularizarem segundo aos requisitos exigidos pela lei.

Tiveram suas atividades temporariamente suspensas as academias JV (J. Câmara), Global Fitness (Maiobão), Apolo (Vila Kiola), Alteres (Vila Flamengo), Turiuba Fitness (Residencial Turiuba), Sport Fitness (São Francisco), Matrix (São Francisco) e Gênesis (Coreia).

Em setembro deste ano, 20 academias foram fiscalizadas durante uma operação em Balsas, e 11 delas foram interditadas. Após a ação, seis das 11 academias interditadas já conseguiram se regularizar e retomaram suas atividades. No ano passado, cerca de 50 academias foram fiscalizadas em São Luís, Imperatriz, Timon e Santa Inês. Vinte estabelecimentos foram interditados e a maioria conseguiu se regularizar e voltar a funcionar normalmente, oferecendo mais qualidade e segurança aos consumidores.

Paço do Lumiar - Oficina debate gestão de resíduos sólidos.



População de Paço do Lumiar participou com interesse da oficina

Via Rilton Silva

A oficina “Gestão Integrada de Resíduos Sólidos: construindo soluções” foi realizada nesta quarta-feira, 19, na sede das Promotorias de Justiça de Paço do Lumiar, destinada a gestores públicos, vereadores, empresários locais, líderes comunitários, associações de catadores de lixo e populares em geral. O prefeito eleito do município, Domingos Dutra, e o promotor de justiça Marco Aurélio Barros, da 3ª Promotor da Fazenda Pública, estiveram presentes.

O evento é resultado de uma parceria da 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Paço do Lumiar com o Instituto Maranhão Sustentável, entidade que pesquisa e desenvolve ações para promover o desenvolvimento sustentável.


Promotora Nadja Cerqueira

Na abertura, a titular da 3ª Promotoria, promotora de justiça Nádia Cerqueira, explicou que o objetivo do treinamento, que também será desenvolvido em outras etapas, é promover a capacitação de diversos segmentos da sociedade sobre a política de resíduos sólidos e buscar alternativas sustentáveis para a questão ambiental. “Espero que todos possamos aproveitar os conhecimentos aqui compartilhados, para que obtenhamos condições de enfrentar a realidade, ainda presente dos lixões, o que é algo inadmissível”, enfatizou a representante do Ministério Público.

A bióloga Luzenice Macedo, com mestrado em Saúde e Ambiente e especialização em gestão ambiental, ministrou a oficina. “Nossa meta principal aqui é provocar, levar a reflexão, para a gente se sentir indignado com a difícil problemática dos resíduos sólidos, pois não se pode aceitar mais tanto descaso”, afirmou.

Entre os temas abordados, que estão inseridos na Política Nacional de Resíduos Sólidos, destacam-se: educação ambiental, ciclo de vida do produto, logística reversa, consórcios ambientais, usinas de compostagem. Para a especialista, o encaminhamento da solução do problema dos resíduos sólidos na Ilha de São Luís passa, necessariamente, por uma ação articulada entre os municípios que a integram. “Tem que haver o pensamento metropolitano não só nesta área”, sugere.

Luzenice Macedo deu exemplos de algumas experiências bem sucedidas no país no tratamento do lixo. “Nas localidades em que funciona bem este setor,são altos os níveis de cooperação, comunicação e solução criativa”, pontuou.

Documentário

Durante a oficina a equipe da produtora Studio A, que está finalizando o documentário "Mar de Lixo"*, apresentou um fragmento do trabalho. O diretor Taciano Brito explicou que o filme, cujo lançamento está previsto para janeiro de 2017, retrata a problemática do lixão de Paço do Lumiar e de São José de Ribamar, situados na Ilha de São Luís. “Nosso objetivo com o filme é colaborar para construir um movimento com foco na educação ambiental, que contribua para mudar a realidade e, quem sabe, sirva de exemplos para outras localidades em situação semelhante”, afirmou.

O engajamento da produtora somou-se à parceria do Instituto Maranhão Sustentável para promover articulações em favor do ativismo socioambiental e de busca de soluções para o problema documentado.

Defesa de Cunha cogita fazer reclamação contra Moro no Supremo Tribunal Federal

Advogados do ex-presidente da Câmara acham que mandado de prisão foi um desrespeito à decisão anterior da Corte

TALITA FERNANDES
20/10/2016 - 17h41 - Atualizado 20/10/2016 21h26
Eduardo Cunha faz sua defesa no plenário da Câmara dos Deputados antes de iniciar a votação de sua cassação (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
A defesa  do ex-presidente Eduardo Cunha estuda fazer uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do juiz Sergio Moro que determinou a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados. Cunha foi preso preventivamente na quarta-feira (19). Seus advogados acreditam que quando o ministro do STFTeori Zavascki decidiu-se pelo afastamento do ex-deputado do comando da casa, o magistrado entendeu que o pedido de prisão feito pelo Ministério Público Federal estava prejudicado. Teori, ainda segundo essa linha, interpretou que Cunha não representava mais risco para o andamento das investigações.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

TRANSIÇÃO - PREFEITURA DE PAÇO DO LUMIAR: Josemar, Dutra

Prefeito eleito, Dutra e a primeira Dama, Nubia juntamente com a sua equipe de transição reuniram-se com o atual Prefeito, Josemar e sua equipe, onde discutiram a transição de governo, foram muito bem recebidos.