quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

E QUANDO A SAUDADE BATER... Por Gilberto Nunes

>> AMA GIL? COMPARTILHA...<<
Texto escrito no final de 2007 em homenagem aos alunos da oitava série da Escola Padre Maurício.

Todos se preparam pra partida.
Ajeita uma coisa aqui, conserta outra ali. Tudo tem que estar preparado pro "Gran Finale". E que final. Foram anos marcantes em que alguns ficaram marcados. E todos apaixonados. Apaixonados por este local e pelas histórias que aqui foram contadas. E vividas também. O que nos torna especial é justamente isso. Aqui não temos só alunos.

Temos vidas. Vidas que erram, que acertam, que choram, que se alegram. E cada um de vocês faz parte dessa história. Mas você tem que ir. Vai em boa hora. Trilhar outros caminhos. Enfrentar novos desafios. E cada lágrima que sair dos seus olhos é uma semente que germinando se transforma na árvore da sua história vital.

Você vai deixar lembranças. Aquelas "pequenas coisas" que te tornam inesquecível. São os bons momentos que superam os ruins. Que fazem você ser o que é. O ano foi difícil . Mas pior seria sem você por perto.

Por isso não é hora de tristeza. É momento de gratidão.
De agradecer pelas vitórias obtidas e por aquelas que ainda virão. De ser grato por aqueles que ficam e por todos que o acompanharão. E de celebrar a vida, pois de qualquer modo ela continua.

E muitas histórias ainda serão contadas por você. Entretanto lembre sempre das lições que você aprendeu aqui. Do conhecimento partilhado e do adquirido . Principalmente, lembre que você não é um aluno. Sua luz própria brilha mais a cada dia.

E quando a saudade bater não precisa atender. Lugar no seu coração ela não vai encontrar, pois quem é especial sempre perto vai estar.

E na vida não há finais. Apenas começos que se encontram no grande palco da humanidade.

E você vive um agora.

Gilberto Nunes, professor da Escola Padre Maurício.

Sem comentários:

Enviar um comentário