sábado, 17 de outubro de 2015

"Aulão do Enem foi um sucesso" disse Wellington Sousa


Hoje pela manhã (17) os estudantes de Paço do Lumiar tiveram um momento cultura de extrema importância neste momento de preparação para o Enem. Uma super revisão. 


Os alunos compareceram em massa à quadra do colégio Cefran. O vereador Wellington Sousa, um dos idealizadores do evento agradeceu a presença de todos e também os parceiros.


"Obrigado aos estudantes que atenderam ao nosso chamado. Obrigado ao Governo do Estado e ao Secretário Bira do Pindaré que atenderam nossa solicitação. Obrigado à Escola CEFRAN, à professora Karla Maria e ao Prof. Josemar pelo apoio também. Agradeço a todos do grupo Wellington Sousa que se dedicaram a este momento". Relatou Wellington.




sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Ministra Rosa Weber concede limitar a Rubens Jr contra rito do impeachment na Câmara

Em uma segunda liminar sobre o caso nesta terça-feira 13, a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o rito definido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para dar sequência ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff no Congresso. A liminar do mandado de segurança 33.838 foi impetrado pelo deputado federal e vice-líder do PCdoB Rubens Pereira Jr.

Mais cedo, o ministro Teori Zavascki atendeu a um pedido do deputado Wadih Damous (PT-RJ) pelo cancelamento do procedimento estabelecido por Cunha, que previa que, em caso de rejeição do presidente da Câmara ao pedido, caberia recurso ao plenário, cuja aprovação dependeria de maioria simples.

Abaixo, a íntegra da decisão da ministra, publicada pelo portal jurídico Jota:
MEDIDA CAUTELAR EM MANDADO DE SEGURANÇA 33.838 DISTRITO FEDERAL RELATORA : MIN. ROSA WEBER IMPTE.(S) :RUBENS PEREIRA E SILVA JUNIOR ADV.(A/S) :PAULO MACHADO GUIMARÃES E OUTRO(A/S) IMPDO.(A/S) :PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS ADV.(A/S) :SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS Vistos etc.
1 – Trata-se de mandado de segurança, com pedido de liminar, impetrado pelo Deputado Federal Rubens Pereira e Silva Junior (PC do B/MA) contra ato do Presidente da Câmara dos Deputados consistente no não recebimento do recurso por ele manejado contra a Resposta oferecida pela autoridade coatora à Questão de Ordem nº 105, de 2015.

Sustenta-se na inicial que tal indeferimento, ao inconsistente argumento da preclusão, se fez em clara afronta ao art. 95, § 8º, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados ("O Deputado, em qualquer caso [diga-se, de deferimento ou indeferimento da questão], poderá recorrer da decisão da Presidência para o Plenário, sem efeito suspensivo, ouvindo-se a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, que terá o prazo máximo de três sessões para se pronunciar. Publicado o parecer da Comissão, o recurso será submetido na sessão seguinte ao Plenário"), consubstanciando "violação à prerrogativa parlamentar" (inicial, fl. 2).

2 – Segundo o relato do impetrante, a extensa Questão de Ordem nº 105, de autoria do Deputado Mendonça Filho (DEM/PE), apresentada em sessão ordinária de 15 de setembro e reiterada no dia seguinte, perquiria sobre o "trâmite de eventual processo e julgamento por crime de responsabilidade contra a Presidente da República" (inicial, fl. 2). A Resposta da autoridade coatora, a seu turno, desafiadora do recurso não recebido do impetrante, foi oferecida em Plenário em 24.9.2015, e ensejou o manejo, "imediatamente após a leitura", de recurso do Deputado Wadih Damous", este recebido "de maneira inusitada" pela autoridade coatora (inicial, fl. 3) como nova Questão de Ordem.

Ato contínuo ocorreu a inscrição do impetrante, oportunidade em que informado pela autoridade coatora "que falaria apenas após a apresentação de questão de ordem pelo deputado Mendonça Filho, que, por sua vez, manifestou-se após a intervenção do Deputado Chico Alencar" (inicial, fl. 3), ambos em pronunciamentos adstritos à matéria trazida no recurso do Deputado Wadih Damous. Chegado o momento de sua manifestação, reitera o impetrante ter recorrido contra a mesma Resposta à QO nº 105, quando interrompido pela autoridade coatora à afirmação de que "preclusa a matéria" porquanto "o momento para a interposição seria ao final da leitura da Resposta" (inicial, fl. 3).

Acrescenta que a matéria de fundo do presente mandado de segurança diz com o procedimento relativo à tramitação de denúncias por crimes de responsabilidade, com eventuais reflexos diretos sobre o mandato do Presidente da República. Pontua tratar-se de questão de relevo tal para a manutenção do Estado de Direito, como organizado na Constituição de 1988, que excede em muito a discussão meramente regimental ou de interesse interno da Câmara dos Deputados. Argumenta que o art. 51, III e IV, da Constituição Federal atribui às Casas Legislativas competência para elaboração de Regimentos próprios não só para que se respeite a separação de Poderes, mas também para "conferir previsibilidade e transparência aos Parlamentares e cidadãos sobre os processos internos que culminarão com a elaboração das leis" (inicial, fl. 5), do que se extrairia o direito subjetivo, líquido e certo dos Deputados Federais de fazer cumprir, judicialmente, as regras destinadas a assegurar a lisura da atividade parlamentar, afastado qualquer ato tendente à arbitrariedade.
Afirma não ser possível superar a ilegalidade praticada apesar do recebimento, pela mesma autoridade coatora, de um segundo recurso contra a decisão relativa ao recurso originário – atualmente na CCJ da Câmara -, por não dotado de efeito suspensivo e não haver prazo para julgamento (inicial, fl. 10).

Destaca relacionado o cerceamento sofrido a processo mais amplo, em que se pretende definir as regras sobre o processo e julgamento da Presidente da República diante de suposto crime de responsabilidade, por ato exclusivo do Presidente da Câmara dos Deputados, que estaria evitando o pronunciamento das instâncias colegiadas da Casa, seja por meio de consulta à CCJ, seja pelo não recebimento do recurso de sua autoria ao Plenário e, na mesma sessão, do Deputado Wadih Damous.
O pedido de liminar, no tocante ao perigo da demora, se baseia no fato de estar a autoridade coatora em vias de decidir "sobre inúmeras denúncias de crime de responsabilidade imputado à Presidente da República, e a qualquer momento poderá receber alguma delas – ou contra a rejeição de alguma delas poderá algum parlamentar recorrer – dando ensejo, assim, à aplicação do procedimento criado de maneira autocrática pela autoridade coatora" (inicial, fl. 11).

3 – Os pedidos estão assim deduzidos:

"(1) a concessão de medida liminar para:

(a) suspender a eficácia da resposta à questão de ordem nº 105 de 2015, até o julgamento do mérito deste mandado de segurança;

(b) a concessão de medida liminar para determinar à autoridade coatora que se abstenha de analisar qualquer denúncia de crime de responsabilidade contra a Presidente da República até o julgamento do mérito deste mandado de segurança;

(2) no mérito, a concessão da segurança para que seja anulado o ato impugnado, determinando-se à autoridade coatora que receba o recurso interposto pelo impetrante contra a resposta à questão de ordem nº 105 de 2015, procedendo-se nos ulteriores termos do Regimento Interno da Câmara" (inicial, fls. 11-12).

Requerida, ainda, a posterior juntada de procuração ao advogado signatário da inicial, mercê da urgência necessária à prática do ato.
Feito este breve relato, EXAMINO.

4 – Defiro desde logo a juntada, em até 15 (quinze) dias, da procuração em favor do advogado signatário da inicial, nos termos do art. 37 e parágrafo único do CPC.

5 – Como reiteradamente tenho enfatizado (v.g. MS 32.885, decisão monocrática de 23.4.2014), na esteira da jurisprudência desta Suprema Corte e em respeito à independência dos Poderes consagrada no texto constitucional, tenho pautado a minha atuação nesta Casa pela máxima deferência à autonomia dos Poderes quando o conteúdo das questões políticas em debate nas Casas Legislativas se reveste de natureza eminentemente interna corporis e, nessa medida, se mostra estranho à competência do Supremo Tribunal Federal (v.g., MS 32.033/DF, MS 31.475/DF e MS 31.444/DF, também de minha relatoria). Abrem-se, contudo, as portas da jurisdição constitucional sempre que em jogo o texto da Lei Maior, cabendo ao Poder Judiciário o exercício do controle da juridicidade da atividade parlamentar. Nessa linha, ao Deputado Federal esta Suprema Corte reconhece o direito subjetivo ao devido processo legislativo e ao exercício pleno de suas prerrogativas parlamentares.
Faço tais registros porque a controvérsia, na espécie, apenas aparentemente se circunscreve aos limites das questões de natureza interna corporis, em especial no que diz com a prevalência, ou não, do fundamento da preclusão expendido pela autoridade coatora para indeferir o processamento do recurso do ora impetrante contra a Resposta à Questão de Ordem nº 105/15, considerada a interposição em plenário na primeira oportunidade em que a ele conferida a palavra, mantido em pauta o assunto por força de acalorados debates, sem solução de continuidade, e presente a impossibilidade fática de manifestação simultânea de vários Deputados. Não há como desconsiderar, pelo menos em juízo precário de delibação, a controvérsia como um todo, nos moldes em que posta no mandamus, a ferir tema de inegável relevância e envergadura constitucional, pertinente à definição das regras sobre o processo e o julgamento de Presidente da República por crime de responsabilidade, objeto do art. 85, parágrafo único, da Constituição, e a apontar dificultada a deliberação do Plenário sobre incidentes a respeito. Visualizada nessa perspectiva, desvela-se, pelo menos em juízo perfunctório, o caráter materialmente constitucional do seu conteúdo.

6 – Nesse contexto, presente o fumus boni juris, diante da iminência de exame pelo Presidente da Câmara de Deputados de "inúmeras denúncias de crime de responsabilidade imputado à Presidente da República", a ensejar aplicação do procedimento criado na Resposta, impõe-se o deferimento da liminar para evitar o comprometimento do pedido final deduzido ("concessão da segurança para que seja anulado o ato impugnado, determinando-se à autoridade coatora que receba o recurso interposto pelo impetrante contra a resposta à questão de ordem nº 105 de 2015, procedendo-se nos ulteriores termos do Regimento Interno da Câmara").

Ex positis, forte no art. 7º, III, da Lei nº 12.016/09, diante de fundamento relevante e para prevenir a ineficácia da medida, caso finalmente deferida, e com o caráter precário próprio aos juízos perfunctórios, defiro a liminar para suspender a eficácia da Resposta à Questão de Ordem nº 105, de 2015, bem como todos os procedimentos tendentes a sua execução, até o julgamento do mérito do presente mandado de segurança.

Notifique-se a autoridade apontada como coatora para que preste informações, em dez dias (arts. 7º, I, da Lei 12.016/09 e 203 do RISTF). Cientifique-se a AGU (art. 7º, II, da Lei 12.016/09). Após, vista ao Ministério Público Federal (arts. 12, caput, da Lei 12.016/09 e 205 do RISTF).

Publique-se.

Brasília, 13 de outubro de 2015.

PROCON-MA garante que ingressos de meia-entrada sejam disponibilizados desde o 1º dia de venda

Depois de garantir o benefício da meia-entrada para todos os espaços de eventos, o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON-MA) realizou mais um marco nas relações de consumo dos maranhenses. A novidade é que com base no art. 4º, II da lei nº8087/90, os beneficiários da meia-entrada poderão adquirir seus ingressos desde o 1º dia de venda ao público geral.

O presidente o órgão, Duarte Júnior, mencionou que com isso haverá melhoria na prestação do serviço, diminuindo as filas quilométricas que os consumidores enfrentavam. “Conseguimos garantir os direitos dos consumidores, extinguindo as conhecidas e desconfortáveis filas a que eles eram submetidos na tentativa de conseguir o ingresso. O consumidor que perceber descumprimento da lei deve formalizar a denúncia”, destacou.

Em outros municípios maranhenses, como Balsas e Santa Inês, a portaria que regulamenta o benefício tem garantido a meia-entrada para estudantes. Em reunião realizada entre a unidade do PROCON MA em Balsas e produtores de eventos local, que promoveram, recentemente, o show de Aviões do Forró, ficou acordado que a organização do evento disponibilizaria, durante dois dias, ingressos para estudantes. Essa conquista tinha sido adquirida também em evento anterior, no “Show das Coleguinhas”, ritmo de forró embalado por Simone e Simaria, em que os estudantes tiveram acesso ao ingresso de meia-entrada nos pontos de venda.

Conforme o Coordenador do órgão, Wilton Barros de Oliveira, promotores de evento costumavam descumprir a portaria 34/2015, que permite que a venda seja feita em data específica, desde que avisem o local em que a meia-entrada será vendida e façam a divulgação ao público em geral, simultaneamente ao período de divulgação do evento e, ainda, com antecedência mínima de 72h. Essa portaria também prevê a disponibilização de 40% da quantidade total de ingressos para venda de meia-entrada.

No município de Santa Inês, os consumidores tiveram problemas para comprar a meia-entrada para o show de Aviões do Forró. A Brurs Eventos estava descumprindo a norma e foi orientada pela unidade do PROCON-Ma em Santa Inês a regularizar a situação. “Recebemos várias denúncias, notificamos a empresa e eles aderiram a portaria. Em seguida, outras denúncias foram formalizadas, novamente entramos em contato, desta vez eles alegaram que a venda não foi feita devido a não apresentação da carteira de estudante”, contou o coordenador da unidade, Jesion Rodrigues.

Outra orientação recebida pelos produtores de eventos foi de garantir a venda dos 40% de ingressos para estudantes, mesmo que essa venda não seja feita apenas no dia anunciado, se estendendo a outros dias até que a porcentagem seja atingida e a antecedência mínima de 72h do evento.

O consumidor que se sentir lesado deve formalizar uma denúncia na unidade do órgão em seu município. A denúncia também pode ser feita pelo aplicativo do Procon, pelo Portal do Consumidor (www.procon.ma.gov.br), nos postos avançados ou pelas redes sociais (instagram: @proconmaranhao, twitter: @proconmaranhao e facebook: Procon Maranhão).

Para saber mais sobre a Portaria 34/2015, acesse o site http://www.procon.ma.gov.br/portaria/

Artigo - Flávio Dino: Mais direitos para a pessoa com deficiência

Um dos maiores avanços consagrados pela Constituição Federal de 1988, sabiamente batizada pelo grande estadista Ulysses Guimarães como a “Constituição Cidadã”, foi estabelecer que o poder não apenas emana do povo, mas também é o povo quem o exerce diretamente ou por meio de representantes eleitos. A participação popular nas instâncias decisórias do poder estatal é o meio para cumprir esta diretriz da nossa Carta Magna, que no último dia 5 de outubro completou 27 anos. Em respeito a essa diretriz constitucional, todos os dias o nosso governo se reúne com entidades da sociedade civil, dos vários segmentos, que nos ajudam com suas reivindicações e ideias. Em continuidade a esse processo, no último dia 5 de outubro recebi, no dia do aniversário da Constituição, o Fórum da Pessoa com Deficiência e Patologias, que reúne entidades de diferentes regiões do Maranhão que debatem e atuam na defesa dessa causa.

No Maranhão, são mais de um milhão de pessoas com algum tipo de deficiência, que precisam de políticas que supram a histórica ausência do poder público na promoção de seus direitos. Para diminuir esses obstáculos, é preciso que os poderes estatais e sociais levem a inclusão para o centro da formulação das suas ações. E é por isso que, na mesa de diálogo com o Fórum, deliberamos juntos a criação da Secretaria Adjunta dos Direitos da Pessoa com Deficiência, vinculada à Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular.

Tratamos não apenas da ampliação de espaços governamentais, mas de garantir a concretização progressiva de direitos previstos na Convenção Internacional da Pessoa com Deficiência, ratificada pelo Congresso Nacional quando lá estive, representando o povo do Maranhão. Em coerência com a nossa visão política, ao longo dos nossos primeiros meses de administração, elaboramos e começamos a colocar em prática importantes programas estaduais voltados para a superação das barreiras do meio e promoção de mais igualdade.

Um deles é o programa Casa Cidadã, que vai reformar ou adaptar 1.000 residências para disponibilizar melhores condições de vida para pessoas com deficiência de baixa renda. Os primeiros beneficiados começaram esta semana a receber a visita de nossas equipes que, a partir da busca ativa com auxílio do Cadastro Único do Governo Federal e do Cadastro do Fórum Maranhense de Pessoas com Deficiência e Patologias, estão identificando as melhorias e mudanças necessárias caso a caso.

Para facilitar a mobilidade urbana, também estamos em processo de licitação de um programa inovador no Maranhão, chamado “Travessia”. Serão veículos de transporte adaptados que estarão disponíveis, com serviço agendado por telefone, para deslocamento adequado de pessoas com deficiência. Também este ano, aprovamos no Maranhão a isenção do pagamento do IPVA para pessoas com deficiência, estendendo o benefício para autistas e seus representantes legais. E merece destaque o êxito alcançado com o Dia D promovido pela Secretaria do Trabalho, com várias contratações realizadas por empresas locais, constituindo-se importante conquista do segmento.

Em nosso diálogo com o Fórum, muitos outros caminhos foram apontados para que o Maranhão seja um Estado cada vez mais inclusivo, abrangendo temas relativos à saúde, educação e trabalho, entre outros. A partir de suas demandas, o Governo do Maranhão buscará exemplos como o de Goiás para a ampliação da distribuição de cadeiras de rodas, que tem um custo elevado para a imensa maioria das pessoas.

Para mim essa é uma luta que não se inicia agora, como demonstrei com a apresentação, em 2010, da emenda à lei que criou o Programa “Minha Casa, Minha Vida”. Com a sua aprovação, foi garantida prioridade na concessão de novas moradias às famílias de que façam parte pessoas com deficiência.

As decisões advindas da reunião com o Fórum das Pessoas com Deficiência reforçam o quanto é importante uma gestão calcada na participação popular. Assim tem sido desde o início da nossa administração, com o diálogo sobre pautas para avançar na promoção de direitos para todos, com a minha presença e/ou de secretários de Estado. A estrada da inclusão é aquela pela qual o Maranhão optou, no mesmo simbólico dia 5 de outubro, em 2014, quando obtivemos a histórica vitória eleitoral das forças populares e democráticas. Por ela continuaremos sempre.

Deputado Wellington é empossado como vice-presidente de assuntos sociais da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia da UNALE

Na última sexta-feira (09), o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) foi empossado como vice-presidente de Assuntos Sociais da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia da UNALE. A posse aconteceu durante o I Seminário da mais nova Secretaria Especial, em  João Pessoa (PB).
Na ocasião, Wellington, que já é secretário de Direitos Humanos do Parlamento Amazônico, ressaltou a importância de integrar a secretaria e enfatizou a necessidade de se articular, em caráter de urgência, políticas públicas que fomentem a educação e democratizem o acesso à ciência e tecnologia.
"É com muita honra que integramos a mais nova Secretaria da UNALE. Compreendemos a educação como aquilo que deve ser colocado em primeiro lugar. No Maranhão, em específico, ainda temos muito a superar e, por isso, ressalto a importância de poder integrar tal Secretaria, já que isso implicará em uma discussão mais ampla sobre a educação, ciência e tecnologia e, assim, articular políticas públicas que defendam o meio mais eficaz na concretização de sonhos: a educação", afirmou o parlamentar.
ENTENDA A MAIS NOVA SECRETARIA  DA UNALE
A mais nova Secretaria da UNALE discutirá sobre assuntos referentes à Educação, Ciência e Tecnologia, a fim de promover debates sobre a temática e articular políticas públicas que façam referência às problemáticas no sistema educacional.
A Secretaria possui a seguinte composição:
- Presidente: Ricardo Barbosa (PB);
- Vice- presidente de Assuntos Sociais: Wellington do Curso (MA);
- Vice-presidente de Assuntos Legislativos:  Josias da Vitória (ES);
- Vice-presidente de Assuntos Políticos: Eliane Pinheiro (GO);
- Secretária: Lenir Rodrigues (RO).

Deputado Wellington do Curso destaca Dia dos Professores e defende valorização da categoria

Na manhã desta quinta-feira (15), o vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Wellington do Curso (PPS), utilizou a tribuna para parabenizar todos os professores pelo transcurso da data.
Na ocasião, o parlamentar fez referência aos inúmeros desafios que os professores enfrentam e destacou Projetos de Lei, de sua autoria, que já apresentou em defesa da classe.
“Hoje é o dia dos professores, profissionais estes que sustentam a grande responsabilidade de transmitir o conhecimento. Enquanto educador, compreendo a educação como o meio mais eficaz na transformação de realidades, o que enfatiza mais ainda a admiração que é devida aos profissionais que disseminam o conhecimento e enfatizam a aprendizagem.  Por isso, já apresentei inúmeros Projetos em defesa dos professores, dentre eles o PL 167/2015, que  dispõe sobre a Política de Prevenção à violência contra educadores; e ainda o PL 166/2015, que dispõe sobre a criação do Programa Estadual de Saúde Vocal e Auditiva dos professores e integrantes do quadro do magistério e do quadro de apoio da rede estadual de ensino do estado do Maranhão. Por não serem de competência do Parlamento Estadual, estarei encaminhando tais projetos, na forma de anteprojeto, ao Governo do Estado. Precisamos articular ações em defesa da educação e, assim, em defesa, respeito e reconhecimento aos professores, que são agentes transformadores de realidades”, discursou o deputado.
ENTENDA OS PROJETOS:
• PL 167/2015: dispõe sobre a Política de Prevenção à violência contra educadores. Tal política tem por objetivo estimular a reflexão acerca da violência física ou moral cometida contra educadores, no exercício de suas atividades acadêmicas e educacionais nas escolas e nas comunidades; além de implementar medidas preventivas, cautelares e punitivas para situações em que educadores, em decorrência do exercício de suas funções, estejam sob risco de violência que possa comprometer sua integridade física ou moral.
• PL 166/2015: dispõe sobre a criação do Programa Estadual de Saúde Vocal e Auditiva. O referido programa tem por objetivo o atendimento médico preventivo e corretivo dos problemas vocais e auditivos a que estão sujeitos os profissionais da educação, bem como medicá-los e orientá-los a respeito das medidas que devam ser tomadas para melhorar suas condições de saúde para falar e ouvir.

Márcio Jerry sobre ataques de Andréa Murad : “É o esperneio do que há de pior na política maranhense”

Publicado Raimundo Garrone

O jornalista Márcio Jerry, Secretário de Assuntos Políticos e Federativos do Maranhão, é sem dúvida o alvo preferido dos adversários do governador Flávio Dino. São ataques diários, especialmente feitos pelos meios de comunicação da família Sarney ou a ela ligados, e da deputada Andréa Murad, que repete na Assembléia Legislativa o que o pai dela, Ricardo Murad, fala de Jerry em redes sociais. Por que tantos ataques ? Por que Márcio Jerry é alvo ? O blog perguntou ao próprio em entrevista por telefone.


Blog – Ao que o senhor atribui os ataques continuados da oposição ?

Márcio Jerry – Não são da oposição como um todo, são ataques de uma mesma fonte, um mesmo setor da oposição, minoritário, exatamente aquele setor da política mais desqualificado, mais suspeito de falcatruas, mais desmoralizado perante a opinião pública do Maranhão.

Blog – Ricardo e Andréa Murad ?

Márcio Jerry – Sim, eles tem uma obsessão em me caluniar, difamar, mentir a meu respeito. É incrível como projetam em mim, injustamente, problemas afetos a eles. Veja o caso do helicóptero. Ela é acusada de se utilizar indevidamente de helicópteros pagos com dinheiro público, então o que faz para erguer uma cortina de fumaça ? Inventa uma mentira desvairada e me acusa de usar helicóptero para ir a uma chácara às 9 da noite. Claro que isso é coisa de tresloucado, tamanha é a mentira…Tanto que a desafiei a mostrar uma prova e ela nunca apresentará porque jamais utilizei helicóptero do GTA ou qualquer outro para ir a essa “Chácara”.

Blog – Mas por que o senhor é o alvo?

Márcio Jerry – Alvo é o governo, é o governador Flávio Dino. Eles não se conformam com a manifestação soberana do nosso povo, não se conformam em ver pessoas de reputação ilibada comandando o Maranhão, achavam que o poder para sempre seria deles para alimentar com o dinheiro do povo os privilégios deles. É o esperneio do que há de pior na política maranhense, do subproduto mais fétido desse longo período oligárquico.

Blog – Esses ataques lhe incomodam em que medida?

Márcio Jerry – Ser alvo de mentiras sempre é incômodo, sempre desagradável, Tenho uma vida limpa, absolutamente limpa. Como servidor público sempre me pautei com muita correção, tenho orgulho disso. Trabalho com dedicação, em função dos objetivos traçados pelo governador Flávio Dino e sendo coerente com os princípios da vida inteira. A verdade sempre prevalece, mas as mentiras lançadas contra pessoas de bem sempre incomodam.

Blog – Chega a desanimar ?

Márcio Jerry – De jeito nenhum. Sirvo a um projeto de emancipação das pessoas, dos trabalhadores, do nosso povo. Sou militante de uma causa que é maior que um governo. E isto me anima sempre. Respondo, reajo, e sigo em frente com altivez, cabeça erguida, coração sereno por saber que combato a boa causa. Essa gente aí o que faz é espernear porque perdeu privilégios, mamatas, e vivem apavorados com medo da Justiça.

Blog – Como o senhor gosta de afirmar numa rede social, avante ?

Márcio Jerry – Claro, avante ! A mudança liderada pelo governador Flávio Dino está só no seu começo. O Maranhão está no rumo certo, entregue em boas, honestas e justas mãos, e assim seguirá até que a justiça e as oportunidades cheguem para todos os maranhenses

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

AULÃO DO ENEM NO MAIOBÃO NESTE SÁBADO NA QUADRA DO CEFRAN, PARTICIPE!

A pedido do vereador Wellington Sousa - PSB, o Governo do Estado do Maranhão através da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, do nosso amigo Dep. Bira doPindare, traz a Paço do Lumiar o AULAO DO ENEM, grande revisão para prova que será realizada nos dias 24 e 25 de outubro. Mais uma ação conjunta entre Vereador Wellington Sousa e Dep. Bira do Pindare em benefício dos estudantes luminenses.
DATA DO AULÃO: 17/ 10/ 2015
LOCAL: QUADRA DO CEFRAN
HORÁRIO: A PARTIR DAS 8 H
"Estudantes de Paço do Lumiar, participem do AULÃO do ENEM. Solicitamos junto à Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado e o Secretário Bira do Pindaré inseriu Paço do Lumiar para a realização do AULÃO do ENEM. As inscrições poderão ser feitas no local do Aulão que será dia 17.10, a partir das 8h00, na quadra do CEFRAN que, através da Professora Karla Maria, é parceiro do AULÃO. Apostilas gratuitas!!!" Wellington Sousa