sexta-feira, 23 de outubro de 2015

ENEM - Não deu pra estudar direito, o que eu faço?

As dicas a seguir vão ajudar você que não teve tanto tempo assim para se dedicar aos estudos e está com medo de levar bomba. Quando fizer a prova, procure se concentrar no que sabe, e use essas táticas para tentar garantir uma nota mediana.Não deu para estudar tanto para a prova do ENEM? Sem problemas, confira as dicas!

Dica 1: o ENEM é politicamente correto

Nunca se esqueça: um dos princípios básicos do ENEM é levar aos candidatos valores éticos e sociais, favoráveis ao meio-ambiente, aos diretos humanos, à saúde, à justiça social etc. e, portanto, você deve ficar atento a isso. Por exemplo, se em uma questão de física houver um texto gigante sobre como economizar na hora de preparar um alimento, preste atenção nas alternativas: a correta deverá estar ligada à economia em casa!

Por mais que a resposta pareça estar em uma alternativa mais simples e lógica, é provável que, na verdade, esteja em um contexto social que foi citado no texto da questão. É algo como uma espécie de lição de moral, vai vendo!

Dica 2: não é politicamente correto? Tá errado!

Aqui vai um exemplo clássico: já rolou, no ENEM, uma questão a respeito dos danos causados pelos anabolizantes e, obviamente, a alternativa correta discriminava o uso dessas substâncias. Ok, tem muita gente por aí que malha, faz uso de anabolizantes e discorda dessa informação em algum grau, mas não precisa deixar essa opinião clara bem na hora da prova, certo? A probabilidade de a resposta correta vetar as famosas “bombas” é muito, mas muito grande.

Dica 3: "nunca", "sempre"e seus variantes, no geral, estão nas questões incorretas

As questões do ENEM dificilmente afirmam ou negam algo com certeza absoluta, então, fique esperto!É fácil detectar uma alternativa errada: palavras como “sempre ou “nunca”, “tudo” ou “todo”, “só” ou “somente”, tendem a ser falsas. Já se você apostar em alternativas que levam palavras como “alguns” ou “geralmente”, tem muito mais chances de acertar respostas de uma questão.

Dica 4: desconfie da alternativa com resposta maior

O ENEM é pró em preparar alternativas gigantescas para cada questão, o que contribui para o desespero a confusão de qualquer aluno. Para se safar dessa, saiba que, na maioria das vezes, a alternativa com o texto mais extenso está ERRADA. Isso porque esse texto mais longo permite o uso de mais palavras e expressões só para fazer o aluno quebrar a cabeça para responder. Pode checar nos últimos gabaritos, a maior parte das alternativas corretas possui textos curtos.

Mas não se engane, que vez ou outra pode acontecer exatamente o contrário. Uma alternativa mais longa, que se destoa de outras mega curtas pode ser a correta!

Dica 5: fique esperta com a alternativa diferente das outras superparecidas. A chance de ela ser a certa é grande

Sabe aquela pergunta que apresenta quatro alternativas bem parecidas, além de outra que é totalmente nada a ver em relação às outras? Quando isso acontece, o mais comum é pensarmos que se quatro de cinco alternativas semelhantes, então a correta tem que ser uma delas, certo? ERRADO! Quando isso acontece no ENEM, geralmente a questão correta é justamente aquela que está sozinha, e que costuma passar despercebida. Se liga!

Dica 6: elimine as alternativas absurdas

Se você deu de cara com uma pergunta sobre a qual não faz idéia da resposta, saiba que duas das cinco alternativas obrigatoriamente são absurdas e não têm nada a ver com a resposta certa, então, comece tesourando essas. Daí, você já tem 33% de chance de acertar, já que faltam três alternativas.

Continue: as outras duas opções erradas que restaram são feitas justamente para tentar enganar o candidato e convencê-lo de que estão certas. Nessa hora, se algo lhe soar um pouco estranho, mesmo que de leve, provavelmente se trata de uma resposta incorreta que deve ser eliminada. Depois disso fica fácil, pois sobram duas alternativas e você já tem 50% de chance de acerto. Tente se concentrar e assinalar a resposta correta.


Outras dicas do prof. Carlos Revétria

Sem comentários:

Enviar um comentário