sábado, 3 de janeiro de 2015

Acusado de envolvimento em denúncias, Lobão deixa ministério e defende Graça Foster

O agora ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão (PMDB) deixou a pasta na manhã desta sexta-feira (2). Em um discurso de quase 30 minutos, Lobão não mencionou as denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras, investigadas pela operação Lava Jato, mas disse prezar e admirar Graça Foster, que comanda a empresa. “Devo citar a importância da Petrobras para o Brasil, sem a qual o país seria menor do que hoje é. Dirigindo-me a todos, menciono o nome da doutora Graça Foster, a quem prezo e admiro”, afirmou.
De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o pai de Edinho Lobão teria sido um dos políticos beneficiados pelo esquema, segundo delação premiada do ex-diretor Paulo Roberto Costa.
A Petrobras vem sendo investigada pela PF por suspeitas de licitações fraudulentas envolvendo empreiteiras. De acordo com a Polícia Federal, há suspeitas de que pelo menos R$ 10 bilhões tenham sido desviados pelo esquema.

Sem comentários:

Enviar um comentário