sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Lideranças nacionais marcarão presença na posse de Flávio Dino

A posse do primeiro governador eleito pelo PCdoB está movimentando lideranças políticas de todo o Brasil. Marcada para o dia 1º de janeiro de 2015, às 17h, em frente ao Palácio dos Leões, a cerimônia terá a presença de caravanas de todos os 217 municípios do Estado e membros da executiva nacional do PCdoB.
Uma das presenças mais aguardadas é do líder camponês e fundador nacional do PT, Manoel da Conceição. Representante simbólico das lutas democráticas do Maranhão, Manoel da Conceição participará da cerimônia de posse como parte da luta social do Estado e como representante de centenas de milhares de maranhenses que inspiraram, participaram e contribuíram para a virada de página do Maranhão.
Com o compromisso de promover igualdade social em seu mandato, Flávio Dino foi eleito 64% dos votos em primeiro turno. Rompendo um ciclo político que durou quase 50 anos, o governador eleito tomará posse em praça pública – em frente ao Palácio dos Leões, reunindo toda a população em cerimônia aberta ao público.
Pessoas de todo o Brasil têm manifestado apoio ao projeto encampado por Flávio Dino – de superação das desigualdades sociais no Maranhão, como é o caso do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), ranking no qual aparece em penúltimo lugar entre os estados brasileiros.
Para presenciar o momento histórico de mudança política no estado do Maranhão, lideranças de vários estados do Brasil estarão presentes.
Entre as lideranças nacionais e membros da executiva nacional do PCdoB são esperados nomes como Luciana Santos (deputada federal eleita presidente nacional do PCdoB), Orlando Silva (ex-ministro dos Esportes), Walter Sorrentino (secretário nacional de organização), Nádia Campeão (vice-prefeita de São Paulo), Jô Moraes (deputada federal), Lélio Costa (deputado estadual -PA) -, Virgínia Barros (presidente nacional da UNE), Renan Tiago Alencar (presidente nacional da UJS), Haroldo Lima (ex-presidente da ANP e ex-deputado federal), Dilermando Toni - membro da direção nacional do PCdoB -, entre outros.

Prefeitura de São Luís avança na efetivação de parcerias do “São Luís, Cidade Jardim”

A Prefeitura de São Luís está avançando na mobilização da sociedade para adesão ao macroprograma “São Luís, Cidade Jardim”, idealizado pela gestão do prefeito Edivaldo para transformar os espaços públicos da capital em locais ajardinados e ambientalmente aprazíveis. A iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade em geral.
Iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade em geral
Iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade em geral
“O programa vem exatamente com a proposta de promover iniciativas que melhorem os aspectos ambientais e paisagísticos da nossa cidade e estimulem nos moradores o espírito de pertencimento a São Luís. Essas ações terão um impacto positivo na qualidade de vida da população, uma prioridade de governo do prefeito Edivaldo”, explica o presidente do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur), Luís Carlos Borralho.
No eixo Jardim da Minha Empresa, foram fechadas novas parcerias. A Escola Crescimento adotará a rotatória da Avenida do Vale, obra que deverá ser executada nos meses de janeiro e fevereiro 2015, conforme planejamento da escola. A empresa de educação infantil Creche e Aparece, localizada na Avenida São Carlos também aderiu ao programa e iniciou o processo de adoção da rotatória do Olho d’Água. As obras já foram iniciadas e devem ser concluídas até o final da primeira quinzena de janeiro.
Outro novo parceiro do programa é o Restaurante Cabana do Sol, que adotou o canteiro triangular entre a Avenida dos Holandeses e a Rua João Damasceno, no Farol de São Marcos, via de acesso ao estabelecimento. O projeto contemplou a reposição do gramado, implantação de palmeiras ornamentais, espécies herbácias com padrões de cores variadas e a recuperação do meio fio já existente.
CIDADE JARDIM
O São Luís Cidade Jardim se divide em oito eixos de ação: Portais da Minha Cidade, Jardim da Minha Escola, Jardim da Minha Casa, Jardim da Minha Rua, Jardim da Minha Praia, Minha Calçada, Minha Árvore e Jardim da Minha Empresa. O objetivo é desenvolver ações nesses vários eixos, como a implantação de portais nas entradas e saídas da cidade, auxiliar a criação de jardins ecológicos nas escolas e incentivar a jardinagem doméstica. Além disso, o programa trabalha a valorização de terras ociosas urbanas e periurbanas, com planejamento, conservação e manutenção da paisagem nas praças, avenidas, canteiros, entre outros espaços públicos.

Roseana distribuiu R$ 117 milhões em convênios antes de deixar o governo

Por Garrone

Às vésperas de encerrar o ano e mudar de gestão, o governo do Maranhão renovou, nos últimos dois meses, 172 convênios com prefeituras. Praticamente todas as administrações beneficiadas são governadas por aliados do grupo político dos Sarney, que deixará o governo do Estado em 1º de janeiro de 2015.

Após a derrota nas urnas nas eleições de 2014 –quando Flavio Dino (PCdoB) foi eleito o novo governador do Maranhão já no primeiro turno–, foram fechados convênios que totalizam R$ 117 milhões. Os contratos têm prazo final de execução entre os meses de janeiro e março de 2015, e envolvem diversos tipo de obras.

Apesar de já estar em período de transição, o novo governo alega não ter sido informado oficialmente sobre os gastos, e afirma que soube apenas após a publicação atrasada de diários oficiais do Estado.

Os convênios foram assinados e divulgados apenas após a renúncia de Roseana. Durante os 20 dias que antecederam a renúncia da agora ex-governadora e filha do senador José Sarney (PMDB-AP) e a posse do presidente da Assembleia –Arnaldo Melo (PMDB)– no governo maranhense, o Diário Oficial do Estado não foi publicado. Todas as edições que circulariam nesses dias foram colocadas à disposição para consulta com data retroativa.

Com rival no comando, capital fica fora da lista de cidades premiadas

Apesar de ser a capital do Estado e concentrar quase 20% da população, São Luís não foi beneficiada com nenhum convênio. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) é aliado político de Flávio Dino.

O prefeito afirma que, nos dois anos em que esteve à frente da gestão de São Luís, o governo do Estado não o procurou, nem fechou nenhum convênio de repasse de recursos.

Mas se a capital ficou fora, pequenas prefeituras do interior foram agraciadas com convênios que preveem distribuição de verbas substanciais. Uma delas é a de Coroatá (247 km de São Luís), que receberá R$ 1,6 milhão dos cofres estaduais. A prefeita Maria Teresa Trovão Murad (PMDB) é esposa de Ricardo Murad, deputado estadual e cunhado de Roseana Sarney.

A prefeitura de Codó também foi outra beneficiada, com convênios que somam R$ 1,5 milhão. Envolvido em denúncias de compra de votos, o prefeito Zito Rolim (PV) é apoiador histórico do grupo Sarney.

Nova administração do MA protesta contra convênios retroativos

A assinatura retroativa dos convênios foi recebida sob protestos do novo governo. Uma das dúvidas da gestão Flávio Dino é saber se os convênios serão pagos com o orçamento de 2014, ou se serão deixados na conta do novo governo, que começa em 1° de janeiro de 2015

“Não há dúvida de que há direcionamento político. Se eles forem pagos no fim do governo, a toque de caixa, é um indicativo que pode haver um trabalho de passar um ‘caixa zero’”, afirmou o coordenador da transição, Marcelo Tavares (PSB).

Tavares afirma que uma das primeiras medidas que o novo governo vai adotar é a analise dos convênios retroativos.

“Todos os casos que forem identificados com indício de irregularidades serão encaminhados para a Secretaria de Transparência e Controle para levar às instâncias cabíveis”, disse.

A reportagem do UOL procurou a secretaria de Comunicação do Maranhão durante a última semana, com pedido de explicações sobre os convênios e seus pagamentos, mas não obteve resposta até a publicação.

Em entrevista concedida à Folha na semana passada, o governador eleito Flávio Dino criticou a renúncia de Roseana e afirmou que ela vai entregar um governo.

“Estão interrompendo os pagamentos na área da saúde, que não tem concurso público há cerca de 20 anos. A dívida com os precatórios está explodindo, e a gente não sabe o que vai ser quitado e o que vai ficar para o ano que vem”.

Folha: pior escola do país fica no Maranhão e não tem biblioteca

Três entre as dez escolas com os piores desempenhos no Enem 2013 estão no Maranhão. No povoado de Cachimbos, município de Jatobá (a 433 km de São Luís), está a última das 14.715 do ranking: a escola estadual Centro de Ensino Aluísio Azevedo.
Na cidade de 8.526 habitantes, a Aluísio Azevedo “segue o modelo da maioria das escolas do Maranhão”, diz o professor de inglês Reijunior Santos Soares. “Temos uma estrutura precária, falta material, orientação e gestão.”
A escola tem apenas 23 alunos –classificados pelo Inep como de nível socioeconômico “muito Baixo”.
Apesar de no cadastro oficial da escola constar itens como laboratório de informática e biblioteca, a realidade parece ser outra. “Temos é uma sala cheia de livros empilhados”, diz Rarison Coelho, 21, ex-aluno e ex-funcionário do colégio.
A nota média da escola, 397,03, corresponde a pouco mais da metade do desempenho da melhor escola, o colégio Objetivo Integrado, de São Paulo. Procurada, a Secretaria Estadual de Educação não respondeu. O diretor da escola não foi encontrado.
Apenas duas posições acima, na antepenúltima colocação no ranking, está o Colégio Estadual Professora Leda Tajra, em Buriti Bravo, município com 22 mil habitantes.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Julião Amin diz que o trabalhador e o jovem aprendiz terão prioridade no governo Flávio Dino

Julião Amin, Flávio Dino
Julião Amin, Secretário do Trabalho e da Economia Solidária do governo Flávio Dino relata que está montando a sua equipe de trabalho para que possa atuar com eficácia em todo o estado do Maranhão, proporcionando a inclusão, a capacitação, com foco também no jovem aprendiz. Foi categórico ao reconhecer a necessidade da preparação do jovem para a inserção no mercado de trabalho. 

"Esse é o nosso objetivo maior, oferecer o que há de melhor para o trabalhador Maranhense". Julião ainda falou que o seu partido, PDT, está engajado e direcionado com as metas do governador eleito Flávio Dino que é a redução da pobreza no Maranhão e consequentemente a elevação do seu IDH.


O secretário sabe como ninguém a importância de qualificar o jovem, pois começou a trabalhar muito cedo por conta de programas de qualificação de aprendiz. "Quero me espelhar nisso, sei do valor e da importância do jovem na sociedade". Disse Amin.

Julião Amim tem um diploma de deputado federal

Os 55 mil votos recebidos pelo candidato a deputado federal Deoclides Macêdo (PDT) – anulados em virtude da cassação do registro por rejeição de contas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão – foram computados hoje pelo TSE e garantem o mandato de deputado federal a Julião Amin (PDT).

Com a decisão, o até então eleito deputado federal Alberto Filho perde o mandato para que o presidente do PDT no Maranhão, possa assumir. Além disso, a decisão altera a diplomação já realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, realizada na última sexta-feira.

Durante a cerimônia, o presidente do TRE-MA havia diplomado Alberto Filho como deputado federal e Julião Amin como suplente do deputado federal Weverton rocha (PDT). Agora, o TRE emitirá novos diplomas, desta vez de deputado federal a Julião e de suplente a Alberto Filho.


Veja depoimento:


Clã-sarney perde vaga na Câmara; Flávio Dino garante mais um aliado em Brasília


Por Domingos Costa
O sarneysista filho do Prefeito de Bacabal, assim como o pai um  inoperante, Alberto Filho (PMDB)
Sarneysista-inoperante filho do Prefeito de Bacabal, Alberto Filho (PMDB) e a ex-governadora Roseana Sarney
O sarneysista filho do Prefeito de Bacabal, assim como o pai um  inoperante, Alberto Filho (PMDB), perdeu a vaga de deputado federal que até então tinha “conquistado” na eleição de outubro.
Em liminar concedida na tarde desta terça-feira 23/12, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, deferiu a candidatura do ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, que concorreu nas últimas eleições ao cargo de deputado federal, e validou os votos do pedetista.
Os votos do ex-prefeito de Porto Franco aliado do governador eleito Flávio Dino, tinham sido invalidados por conta de problemas junto ao TCE- Tribunal de Contas do Estado. Com a decisão favorável a Deoclides, que obteve 56 mil votos e foi o 3º candidato mais bem votado da coligação, são contabilizados e a coligação “Todos pelo Maranhão 2″ ganha mais uma vaga para deputado federal, elegendo o presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista no Maranhão (PDT), Julião Amim, e deixando o ex-prefeito como primeiro suplente.
JuliaoAmim_Ato_Politico_PDT_Foto_NaelReis
Deputado Federal Julião Amim(PDT) aliado do Governador Flávio Dino(PCdoB)
Julião que foi convidado pelo futuro governador, Flávio Dino(PCdoB), para assumir a secretaria do Trabalho e Economia Solidária, já anunciou que permanecerá na secretaria, de forma que abre a vaga para Deoclides Macedo.
Ou seja, na matemática da política maranhense, o clã-sarney diminui uma vaga na Câmara Federal e o Governador Flávio Dino soma uma cadeira em seu favor.
Sinais claros que a oligarquia perdeu a eleição e a força política que teve durante 50 anos no poder.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Três das dez piores escolas no Enem estão no Maranhão

Folha de São Paulo – Três entre as dez escolas com os piores desempenhos no Enem 2013 estão no Maranhão. No povoado de Cachimbos, município de Jatobá (a 433 km de São Luís), está a última das 14.715 do ranking: a escola estadual Centro de Ensino Aluísio Azevedo.

Na cidade de 8.526 habitantes, a Aluísio Azevedo “segue o modelo da maioria das escolas do Maranhão”, diz o professor de inglês Reijunior Santos Soares. “Temos uma estrutura precária, falta material, orientação e gestão, mas essa é a realidade daqui.”

A escola tem apenas 23 alunos -classificados pelo Inep como de nível socioeconômico “muito Baixo”.

Apesar de no cadastro oficial da escola constar itens como laboratório de informática e biblioteca, a realidade parece ser outra. “Não dá para falar que temos uma biblioteca, temos é uma sala cheia de livros empilhados”, diz Rarison Coelho, 21, ex-aluno e ex-funcionário do colégio.

A nota média da escola no exame, 397,03, corresponde a pouco mais da metade do desempenho da melhor escola, o colégio Objetivo Integrado, de São Paulo.

Procurada, a Secretaria Estadual de Educação não respondeu. O diretor do colégio não foi encontrado.

A escola, no entanto, não é a única do Estado entre as últimas do país.

Apenas duas posições acima, na antepenúltima colocação, está o Colégio Estadual Professora Leda Tajra, em Buriti Bravo, município com 22 mil habitantes.

Procurada, a Secretaria Estadual de Educação não respondeu até as 17h.

Entre as 100 piores escolas, 44 estão na região Nordeste. Com 15 escolas nesta lista, o Piauí é o Estado com o maior número de escolas entre as com menor desempenho. Em seguida aparecem o Maranhão (9), Ceará (7), Sergipe (5), Rio Grande do Norte (4) e Bahia (4).

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (22) pelo Inep, do Ministério da Educação, responsável pelo exame, e tabulados pela Folha.

Para calcular as médias das escolas pelo país, foram consideradas as quatro provas objetivas -linguagens e códigos, matemática, ciências humanas e ciências da natureza.

Desfile apresenta produtos confeccionados pelos artesãos luminenses

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Paço do Lumiar- SEMDES, e a Secretaria Municipal de Agricultura -SEMAPA promoveram, no encerramento da Feira Natalina Luminense, no Viva Maiobão, um desfile de moda com os produtos do artesanato local.
Na passarela, além da desenvoltura dos modelos, foram avaliadas a originalidade e criatividade de cada peça. Artigos esculpidos em vidro, roupas em E.V.A., latinhas de refrigerante, ‘fuxico’, fibra da folha da bananeira, palmeiras de tucum e garrafas pet surpreenderam o público presente.
A secretária de Desenvolvimento Social, Ivone Oliveira ressaltou que o desfile, sem caráter competitivo, foi uma forma de mostrar à população o trabalho desenvolvido pelos artesãos de Paço do Lumiar, e afirmar o compromisso da gestão municipal em ações e parcerias de fortalecimento da economia solidária no município.
Participaram do desfile, as entidades expositoras da feira: a Associação de Mulheres de Paço do Lumiar, Grupo de Artesãs do Porto de Mocajituba, Grupo de Mulheres Artesãs do Mojó, Projeto Xique-Xique, Associação de Mulheres Recicladoras de Vidro, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, o Centro de Referencia em Assistência Social (CRAS), Projeto Akoni e artesãos individuais.

Marcelo Tavares faz balanço da Transição: documentos enviados foram precários e insuficientes

Coordenador da equipe de transição designada por Flávio Dino diz que não teve acesso aos documentos solicitados e seguem sem informações concretas
Ao fazer um balanço sobre o período de transição, Marcelo Tavares, coordenador da Equipe de Transição do governador eleito Flávio Dino, avaliou que o processo praticamente inexistiu, já que a equipe do próximo governo teve acesso apenas a informações incompletas, truncadas e insuficientes. Para Marcelo, a aparente disponibilidade do governo que se finda não representou nada de concreto. “O processo de transição foi precário e insuficiente. Fomos recebidos para fotos, mas não recebemos informações concretas”, explicou Tavares.
O coordenador da equipe de transição designada por Flávio Dino voltou a explicar que o ritmo de recebimento de informações requeridas junto ao atual governo foi inadequado: das 32 solicitações com pedidos de detalhamento da estrutura e do orçamento de cada órgão, apenas 09 foram respondidas – muito menos da metade. “O que eles disponibilizaram foram apernas as informações mais óbvias. As que já são realmente públicas e constam nos diários oficiais e na internet. Já os contratos de pagamentos, por exemplo, nós nunca recebemos”, afirmou.
A folha de pagamento do Estado, a execução orçamentária atual, informações sobre contratos, convênios, precatórios, demonstrativo de obras e as ações prioritárias de cada pasta não foram repassados à equipe do próximo governo. Além disso, segundo Tavares, muitos dos contratos que são de conhecimento público são onerosos e inviabilizam o funcionamento da máquina pública.
“Essa administração tem algumas situações que precisam ser vencidas imediatamente. Existem muitos contratos que vampirizam a máquina pública e nós não tivemos acesso detalhado a eles. Para se ter uma ideia, alguns contratos chegam a representar metade do orçamento de uma pasta”,  disse fazendo menção aos contratos da área da saúde e administração penitenciária.
Falando da necessidade de expor à população os excessos administrativos do governo que se finda, Marcelo Tavares garantiu que haverá uma coletiva ainda em janeiro de 2015 para mostrar detalhadamente como foi aplicado o dinheiro público até dezembro de 2014. Um dos casos citados por ele diz respeito à compra do Hotel São Francisco. “A Seduc comprou um hotel completamente sucateado por R$ 25 milhões. Vamos mostrar à população de forma detalhada. Faremos um esclarecimento para que a população avalie o que foi feito com o dinheiro público no Estado”.
Dívidas, contratos e empréstimos
“Tem muita coisa estranha nesse governo”, disse Tavares ao explicar que a gestão que se finda pode não deixar dinheiro em caixa e que existem muitas dívidas a serem quitadas. Ele lembrou que há três anos o governo Roseana Sarney não paga os precatórios (dívida que só este ano soma quase R$ 300 milhões) e que a primeira parcela do empréstimo do BNDES de quase R$ 7 bilhões chegará em fevereiro de 2015.
“Precisamos olhar para atrás até para não comprometer os atos de gestão, mas isso não pode comprometer o compromisso que temos com o presente e com o futuro”, afirmou Tavares, ao explicar que se houver contratos suspeitos ou irregularidades, eles serão encaminhados para investigação. 

Em visita ao PCdoB, deputado Zé Carlos relata a Márcio Jerry que deseja contribuir com o novo Maranhão

Henrique, Márcio Jerry, Zé Carlos
Márcio Jerry, pres.do PCdoB-MA recebeu hoje (22) o deputado federal eleito, Zé Carlos (PT). Para Jerry foi "Uma conversa muito produtiva, muito promissora o deputado Zé Carlos estará junto conosco nessa grande tarefa de efetivamente mudar o Maranhão. É uma alegria muito grande ter recebido o companheiro Zé Carlos e o companheiro Henrique aqui na sede do nosso partido, PCdoB". Disse Márcio.


Já o deputado relatou que deseja contribuir com o seu mandato para essa mudança que o Maranhão tanto necessita. "Começamos a discutir como é que nós vamos poder contribuir, fortalecer esse novo momento que o estado do Maranhão agora vai ter a partir do dia 1°, e o meu mandado poder fortalecer esse sonho dos maranhenses que é a transformação que o Maranhão precisa". Relatou Zé Carlos.

Veja o depoimento:

Tatiana Pereira promove roda de conversa com a juventude do Polo Coroadinho, e detalha sua agenda

Roda de Conversa
Aconteceu (20) a primeira Roda de Conversa dos jovens de nosso Polo. Tivemos a participação dos próximos secretários de Juventude do Maranhão, Tatiana Pereira, e Jefferson Portela, Segurança Pública.
Foram quase seis horas de um bom bate-papo, lincados numa "verdadeira rede social" - a vida e suas experiências reais, o dia-a-dia, os problemas e as buscas de uma juventude que sonha..
Numa constante troca de ideias, os jovens falaram sobre situações que os afligem, como os espaços de educação, trabalho, respeito, oportunidades, futuro.. com, também, grandes contribuições - Laudicéia e Ana Celia (Semcas), Andreia (Unicef).
Uma roda de exposição de pensamentos e atitudes, diante dessa nossa experiência prática, diária, desafiadora. A juventude se mostrou propositiva e quer mais ser ouvida!

Palavras de Tatiana Pereira, secretária de Juventude.
"Muito feliz uma ideia compartilhada e realizada por todos e todas que tem fé na aquilo que faz. Dia 20/12 a juventude da área polo Coroadinho mostra que pautar política públicas é papel de todos e todas. Uma roda edificada por pensamentos coletivos onde a mediação das ideias contou-se com s participação de Andrea (Unicef), Laudiceia e Ana Ana Celia Santos Santos (Semcas), Jefferson Portela (Secretário de Segurança indicado pelo Governador Flávio Dino e minha Tati Pereira (Secretária de Juventude indicada pelo Governador Flávio Dino. Entre os temas debatidos tem -se educação, trabalho, situação da segurança pública e da juventude. 
Uma roda onde as conversas fluíam propositivas. A felicidade maior e que as falas direcionam que a participação social e um instrumento fundamental pra grande mudanças. Estou muito feliz e vamos realizar outros momentos como estes. Valeu companheiro de luta Charles. Dé. Ana Celia. Alexsandro Pereira. Josivaldo Costa. Mazinho. Geörge Gabardine. Fernanda Cruvel. Julyanna Costa Jhú. Karine".

Missa em ação de graças

Missa na comunidade Bom Jesus da Lapa no Coroadinho, em ação de graças em agradecimento ao cargo de secretária de estado da juventude.
Caio, Tati, Rodrigo

Tatiana Pereira recebeu na sede do PCdoB os coordenadores do PSDB jovem, que na ocasião lhe entregaram um Plano de políticas Públicas para a Juventude do Maranhão. Caio Carvalhal e Rodrigo Aguiar defenderam que os jovens precisam estar inseridos no cenário político, bem como participar das questões que envolvem o seu dia-a-dia; seja na cidade, estado ou país".

Em resumo o plano tem 4 eixos: Política, Educação, Cultura, Desporto e Lazer. "Visa colaborar com ações constantes das necessidades básicas do jovem". Disse Rodrigo Aguiar.

Flávio Dino fará auditorias na Sema, Saúde e Infraestrutura

Por Gilberto Lima/ Leandro Miranda, com edição

O governador eleito Flávio Dino determinará auditoria em todas as secretarias do Estado. No entanto, não pretende contratar empresas de renome no ramo de auditoria, pois o custo seria alto e oneraria o cofre do Estado.
O objetivo  é utilizar auditores do próprio quadro funcional do Estado. Para ele, a população não entenderia a medida de contratar uma auditoria independente, logo no início do governo, com muitos problemas a serem enfrentados, principalmente no que se refere às finanças.
O governador entende que há necessidade de se ter um diagnóstico completo de tudo o que foi feito em cada pasta nos últimos anos, principalmente de que forma foram aplicados os recursos públicos. Todos os contratos firmados pelo governo Roseana Sarney devem passar por análise minuciosa.
Pelo que se tem conhecimento, os alvos principais, num primeiro momento, serão as secretarias de saúde, infraestrutura e meio ambiente. Esta última acaba de ser alvo de uma operação conjunta de polícias, envolvendo servidores em esquema de corrupção.

Roseana Sarney: Saída pela porta dos fundos

Por Leandro Miranda

Antes do adeus, a governadora Roseana Sarney autorizou  licenças que comprometem a segurança pública do Estado  e interrompeu pagamentos no setor de Saúde.
Antes do adeus, a governadora Roseana Sarney autorizou
licenças que comprometem a segurança pública do Estado
e interrompeu pagamentos no setor de Saúde.
Istoé – Para evitar o constrangimento de entregar a faixa a seu arquirrival, Roseana Sarney renunciou ao cargo de governadora do Maranhão 20 dias antes do fim de seu mandato. O gesto amedrontado e deselegante é apenas uma parte do desastroso processo de transição maranhense. Orientada pelo pai, o ex-presidente José Sarney, que se despediu na quinta-feira 18 do Senado, Roseana deixou como herança para o sucessor, o governador eleito Flávio Dino (PCdoB), um Estado endividado e cheio de armadilhas administrativas. “Ela deixou a confusão para trás e sumiu. Vou tomar posse no escuro”, afirmou o futuro governador, que se elegeu com a promessa de dar fim à dinastia de cinco décadas da família Sarney. Dino ainda desconhece o tamanho do rombo. Só saberá ao certo no dia 1º quando tomar posse. Faltam informações sobre contratos, liberações de verbas a prefeituras e pagamentos de funcionários. O que é possível perceber, até agora, é estarrecedor. Antes de sair, a governadora autorizou licenças que comprometem a segurança pública do Estado e interrompeu pagamentos no setor de Saúde, há duas décadas sem concursos públicos. “A dívida com os precatórios é gigantesca. Não sabemos o que vai ser pago e o que vai ficar para o próximo ano”, lamenta Dino.
O Estado vive dias de apreensão e paralisia, enquanto Roseana desfruta de férias nos Estados Unidos, depois de a Assembléia Legislativa autorizar uma pensão vitalícia de R$ 24 mil para ela. Prefeitos aliados da ex-governadora e empreiteiros correm para a capital, em busca de notícias sobre o pagamento de convênios atrasados. Para agradar ao eleitorado, muitas obras foram entregues antes das eleições. Os prefeitos contavam com a liberação de pelo menos R$ 74 milhões em recursos do Estado e penduraram a conta com as empreiteiras. Mas os repasses ainda não vieram. Agora, o governador em exercício precisa decidir se sangra ainda mais as contas do governo para honrar as dívidas de Roseana ou se cancela os convênios. Todas as opções são ruins para o novo governador. Se pagar, o Estado sofrerá mais um baque no caixa, que não está cobrindo nem mesmo as despesas com áreas cruciais como Saúde e Educação. O calote dos convênios, por outro lado, acirrará a hostilidade política dos ex-aliados da família Sarney. “Sou vítima de uma sabotagem”, acusa Dino.
roseanaOs empresários amigos da família Sarney, no entanto, não foram abandonados por Roseana. Pelo contrário, estão muito bem aquinhoados. Antes de renunciar ao cargo, ela assinou renovação de contratos que só venceriam no decorrer de 2015. Para a surpresa do sucessor, as decisões saíram no “Diário Oficial” com 20 dias de atraso. Mesmo sabendo que estaria fora do governo, Roseana deixou outra bomba para o governador eleito desarmar. Brindou um grupo de coronéis da Polícia Militar com um curso de “tecnologia em segurança pública” por dois anos, mesmo diante da explosão dos índices de violência no Maranhão. Inexplicavelmente, o curso com previsão para começar este mês acontecerá em outro Estado, o Rio Grande do Norte. A consultoria contratada para ministrar as aulas à cúpula da PM do Maranhão custará R$ 9 milhões aos já combalidos cofres do Estado. Numa encruzilhada, Dino tenta ao menos adiar a data da viagem, para não ver a PM desfalcada às vésperas de assumir o mandato. Antes de renunciar, Roseana ainda tentou assinar um contrato de R$ 1,3 bilhão relativo à administração penitenciária, equivalente a 8% do orçamento total do Maranhão. Essa medida, no entanto, a nova administração conseguiu reverter.
Ao mesmo tempo que cria dificuldades para o novo governo, Roseana trabalhou para não deixar rastros sobre problemas de sua gestão. A sessão de pessoal do “Diário Oficial” já trouxe exoneração de 200 funcionários comissionados. Muitos deles nem sequer cumpriam o meio expediente de trabalho do governo e outros pertenciam à família da governadora e de seu marido, Jorge Murad. Ao deixar o Senado, na quinta-feira 18, Sarney nem enrubesceu a face ao dizer que deixava o Maranhão “na vanguarda” do País.

Roseana Sarney extinguiu a Rádio Timbira

Por Leandro Miranda
Um dos alicerces da política de comunicação do futuro governo, conforme o próprio Flávio Dino (PCdoB) faz questão de frisar em entrevistas para sites locais e nacionais, a Rádio Timbira do Maranhão foi extinta ainda no primeiro governo de Roseana Sarney (PMDB), deixando de existir como personalidade jurídica para tornar-se um apêndice sucateado da Secretaria de Comunicação do Maranhão.
Em outubro de 1995, a então governadora enviou projeto de Lei à Assembleia Legislativa do Maranhão extinguindo a Timbira, depois que o Ministério da Comunicação proibiu que a concessão da emissora fosse privatizada. O projeto foi aprovado pelo legislativo e, desde então, a rádio foi integrada à estrutura da Secom.
Dez anos depois, o governo Jackson Lago ensaiou dar autonomia à emissora. Um projeto ainda chegou a tramitar pela Casa Civil, quando a Secom era uma secretaria extraordinária. O tal projeto deveria ser enviado à Assembleia para que, uma vez aprovado, a Timbira voltasse a ter autonomia administrativa e financeira, como empresa pública de comunicação. Em seguida, a Secom foi transformada em secretaria ordinária e os projetos não foram adiante. No entanto, o governador Jackson autorizou investimentos da ordem de R$ 300 mil para aquisição de equipamentos, dentre eles um transmissor moderno, que está em operação.
O então gestor, jornalista e radialista Gilberto Lima, diz que deixou dois estúdios novos montados no prédio da emissora, na Rua do Correio, no Bairro de Fátima. O transmissor já estava na sede da emissora, aguardando somente a instalação para entrar em operação. Ao então secretário Zeca Pinheiro não interessava dar autonomia à Timbira, pois o projeto dele era entregar a gestão da emissora a uma empresa do ramo da comunicação.
Na semana passada, o futuro titular da Secom, Robson Paz, constatou in loco a necessidade de reestruturação da emissora. “Sobre visita à Rádio Timbira: Uma coisa é reconhecer esforço e dedicação de um gestor para colocar uma emissora de rádio no ar. Outra é o sucateamento e abandono da Rádio Timbira promovido por sucessivos governos de Roseana Sarney”, afirmou Robson Paz, após vistoriar os estúdios.
Paz pôde ver de perto o descaso do governo Roseana com a coisa pública e confirmar o que Flávio Dino já havia tratado na imprensa, a primeira rádio do Maranhão está deteriorada e necessita urgentemente passar por uma reformulação.

Irregular, academia do RN não poderia oferecer cursos a coronéis maranhenses

Por Leandro Miranda

Coronéis Ivaldo Barbosa e Zanoni Porto entre os contemplados com curso de dois anos no Rio Grande do Norte.
Coronéis Ivaldo Barbosa e Zanoni Porto defendem a realização de curso irregular em instituição do Rio Grande do Norte.
Beneficiada com o edital lançado pela Polícia Militar do Maranhão para a realização de um curso de especialização que contemplaria uma dúzia de coronéis apadrinhados do clã Sarney, a Academia Coronel Walterler não está apta a oferecer qualquer tipo de treinamento, por não ser reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).
Investigada pelo Ministério Público do Maranhão desde 2010, a instituição pertence ao Tenente Coronel da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, José Walterler dos Santos Silva, que até já recebeu das mãos da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) uma medalha de mérito militar.
Walterler responde a duas condenações por Improbidade Administrativa e nem poderia contratar com o Poder Público – direta ou indiretamente. Ele protela a execução das sentenças por meio de recursos, apesar de constar na lista de fichas-sujas do seu estado.
De acordo com fontes da Segurança Pública, o curso oferecido por Walterler custaria aos cofres públicos cerca de R$ 3 milhões e permitiria que coronéis à beira da aposentadoria desfrutassem de longas férias no litoral do Rio Grande do Norte, com direito a subsídios mensais, hospedagens e passagens de familiares bancadas com o dinheiro do contribuinte.
A pressão da opinião pública e as críticas da própria corporação levaram o atual comando da PM a reconsiderar a manobra política que visava desfalcar a tropa, criando dificuldades para o próximo governador em meio a maior crise de segurança pública do Maranhão.