quinta-feira, 3 de julho de 2014

A CASA CAIU: Leonardo Bruno poderá ter seu diploma cassado pela Justiça.

Vereador Leonardo Bruno está desesperado.
Além de perder a presidência da Câmara Municipal, o vereador Leonardo Bruno(PPS) corre o sério risco de ficar sem o mandato. Os Vereadores Jorge Marú(PROS); Sílvia Inácio (PRP); Marinho do Paço (PP); Marcelo Portela(PHS); Miau Oliveira (PCdoB); Vanusa Neves (PRB) Orlete Furtado (PTB) eAlderico Campos (DEM), protocolaram com pedido de urgência urgentíssima no Ministério Público uma representação contra edil.


O vereador Leonardo Bruno é acusado de fraudar documento público e cometer improbidade administrativa, seguido de estelionato. 

Entenda o caso.

Através do Edital de Convocação Nº 04/2014 (clique aqui e veja), o vereador Leonardo Bruno, resolveu antecipar para o dia 19, apesar do feriado de Corpus-Christi, a eleição da nova mesa diretora da Câmara Municipal para o biênio 2015-2016.

O presente ato de convocação foi lido no decorrer da Sessão Ordinária, realizada na terça - feira dia 17, bem como fixado no átrio principal da Câmara Municipal, na forma do art. 191 do Regimento Interno da casa.

Ocorre que o vereador Leonardo Bruno ao saber que não conseguiria obter a maioria dos vereadores na Câmara Municipal, resolveu fazer uma manobra absurda para obstruir a sessão de antecipação da eleição da mesa diretora. O edil utilizou a prerrogativa de que o vereador André Costa (PT do B) nesse ínterim deixou cargo na Secretaria de Agricultura e não tinha sido cientificado da realização da sessão.

Tendo em vista que o Regimento Interno da Câmara exige a convocação de todos os vereadores por edital e por comunicação pessoal, assim o presidente Leonardo Bruno com base no Artigo 132 e Parágrafo Único do regimento Interno, abriu a sessão e deu as devidas explicações aos vereadores presentes e declarou encerrada a sessão, afirmando que necessitava de nova convocação.

Porém a armação do então presidente Leonardo Bruno caiu por terra, a servidora Neidiane Pinto da Cruz que protocolou na Câmara Municipal o ofício assinado pelo prefeito Josemar Sobreiro confirmando a exoneração do vereador André Costa, confirmou que foi forçada a assinar o documento. Segundo o depoimento da servidora, ela foi levada por volta das 13h, do dia da antecipação da eleição da Câmara, 19/06 (quinta-feira), a um sítio nas proximidades do Aeroporto da Cidade, quando recebeu a ordem do vereador Leonardo Bruno, para assinar o recebimento de um documento, subscrito pelo Prefeito, com data retroativa.

Veja a representação contra Leonardo Bruno.





Sem comentários:

Enviar um comentário