segunda-feira, 21 de abril de 2014

Definições sem traumas - Grupo Sarney

O Estado


Enquanto a oposição se engalfinha pelas vagas de candidato a vice-governador e de candidato a senador, o grupo liderado pela governadora Roseana Sarney (PMDB) garante ao pré-candidato a governador senador Lobão Filho (PMDB) a tranquilidade de não ter de entrar na bola dividida de ter de fazer escolhas complicadas para as duas vagas. Desde as primeiras conversas acerca do processo eleitoral, ficou definido, com toda clareza e sem possibilidade de reversão, que a vaga de candidato a vice-governador seria do PT e que a vaga de candidato a senador seria de qualquer outro partido que integra a coligação, a começar pelo PMDB. No caso da corrida senatorial, vale a viabilidade do aspirante. No caso do candidato a vice-governador, o PT tem a responsabilidade e o compromisso de fazer a indicação. Os demais partidos não se envolvem nesta escolha, por se tratar de um assunto interno da legenda petista. Ali, vários nomes já foram cogitados, mas, depois de uma série de movimentos internos, três saíram com cacife para pleitear a vaga: o deputado estadual José Carlos, o ex-secretário José Costa (Ciência e Tecnologia) e o ex-secretário José Antonio Heluy (Trabalho e Economia Solidária). No momento não há como mensurar o cacife de cada um. Já no que respeita ao Senado, a coluna mantém o que vem publicando há semanas: a vaga está entre o deputado federal e ex-ministro do Turismo Gastão Vieira e o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa Arnaldo Melo, ambos do PMDB. Há também a possibilidade de uma indicação do PTB, a partir de reivindicação feita por líderes petebistas sob o argumento de que a vaga está com o partido, representado pelo senador Epitácio Cafeteira. É cedo para arriscar um palpite sobre quem será o candidato a vice-governador ou quem vai disputar a senatoria na chapa de Lobão Filho, mas se pode afirmar que os dois candidatos sairão dessas listas.

Errado


Reportagem política publicada ontem pelo jornal Folha de S. Paulo dá o Maranhão como área indefinida no que diz respeito à posição do ex-presidente Lula. Errou feio, porque Lula já declarou apoio incondicional ao peemedebista Lobão Filho e orientou o PT no sentido de que reedite a aliança de 2010. E ainda criticou a corrida do comunista Flávio Dino atrás de presidenciáveis adversários da presidente Dilma Rousseff.

Rebateu


O vice-prefeito de São Luís e pré-candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSB), não reagiu à intenção do PSDB de lançar João Castelo ao Senado. O PSDB aliou-se a Flávio Dino (PCdoB) com a garantia de que poderá lançar Castelo ao Legislativo. SegundoRocha, apesar do tamanho e da importância dos tucanos, não há mais o que se discutir em relação à vaga.

Legenda


Na semana passada, a deputada estadual Gardênia Castelo (PSDB) revelou que o ex-prefeito João Castelo tem a intenção de disputar o Senado. E disse que o tucano não está nem um pouco preocupado com o acordo na oposição que garante a candidatura de Roberto Rocha pela chapa de Flávio Dino. - Para ser candidato ao Senado, Castelo precisa tão somente da legenda do partido, independentemente de qualquer outra coisa -, alertou.

Apoio


Além de contar com o apoio e legenda do PSDB para disputar o Senado, Castelo conta com forte articulação de José Reinaldo Tavares (PSB), desafeto de Roberto Rocha. É Tavares quem estimula Castelo a disputar a eleição para o Legislativo, com a garantia de base eleitoral para o tucano. Uma eventual candidatura de Castelo dificultaria bastante a eleição Rocha, que até então navegava como candidato único pela oposição.

Rediscussão


Os partidos que compõem a base de apoio a Flávio Dino (PCdoB) se reunirão esta semana para rediscutir a formação da chapa do comunista. O PSDB entrou no jogo com a exigência de indicar o candidato a vice-governador na chapa comunista. Com isso, o PDT, que até então tinha garantido o espaço, deve ficar de fora. A reunião, que já contará com membros do PSDB, abre nova crise no seio oposicionista.

Não serve


A turma da oposição festejou o fato de o petista tarso Genro, governador do Rio Grande do Sul, ter dito que no Maranhão votaria no comunista Flávio Dino. Genro é tão estranho que tem dentro de casa uma filha, Luciana Genro, que não reza na cartilha política dele – há quem diga até que ela não votou nele para governador. E depois, quem tem Dilma e Lula não precisa de um Genro chato.

PSDB também


Mas a vida de Roberto Rocha não é fácil também no próprio PSDB, partido que dirigiu por vários anos. Os tucanos se ressentem do fato de o agora socialista ter deixado a legenda às vésperas da eleição municipal de 2012 para montar palanque exatamente contra um tucano. Por causa disso, o PSDB entende que não tem obrigação alguma de apoiá-lo como candidato a senador.

Incrível!


Se as declarações do ex-deputado Julião Amim valerem como regra, o PDT está dando os últimos suspiros como partido político. Amim aceita que o comunista Flávio Dino esnobe a indicação do PDT para vice – o empresário balsense Márcio Honaiser – e dê a vaga ao tucano Carlos Brandão. Acha que o partido tem de engolir a espinha e ainda comemorar.

Janelas


As inserções partidárias no radio e na TV têm servido para dar visibilidade aos líderes das legendas. O ex-secretário estadual de fazenda, Cláudio Trinchão, que comanda o PSD no estado e é candidato a deputado federal tem protagonizado a campanha de filiação do partido. Já o deputado federal Cléber Verde tem mostrado as ações do PR no Maranhão, principalmente no campo da pesca.

Não deu


Bem posicionada nas eleições de 2012 e com potencial para uma campanha importante em 2014, a deputada Eliziane Gama (PPS) acabou tropeçando. Ela negociou com tantas frentes e vislumbrou tantas alternativas para viabilizar sua candidatura ao governo que se perdeu no emaranhado. Agora, mesmo não admitindo, estaria examinando a possibilidade de disputar o Senado. Será?!

E MAIS


O deputado Jota Pinto (PEN) parabeniza a governadora Roseana Sarney pelo Restaurante Popular, a seu ver um programa de largo alcance social.

Em tempo: cada uma das seis unidades do Restaurante Popular de São Luís fornece mil refeições por dia, a R$ 1,00, de segunda a sexta-feira.

Presidida pela deputada Eliziane Gama, a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa visitará os lixões existentes na Ilha de São Luís.

O deputado Antônio Pereira (DEM) comemora o início dos serviços de recuperação dos 125 quilômetros da MA-006, no trecho de Arame a Grajaú.

Tudo indica ser verdadeira a informação segundo a qual o médico Zéluis Lago vai mesmo disputar o Governo pelo PPL.

Sem comentários:

Enviar um comentário