quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Mudanças na equipe de governo

roseanasarney15De O Estado – De um total de 15 secretários de estado considerados pré-candidatos, pelo menos 10 deverão se afastar de suas funções ainda este mês para a disputa da eleição que se aproxima. Foi o que garantiu com exclusividade a O Estado a governadora Roseana Sarney (PMDB), que assegurou uma recomposição técnica dos cargos que ficarão vagos.
De acordo com a governadora, a sua intenção era de que os secretários com interesse na disputa eleitoral deixassem a administração estadual logo na primeira quinzena de janeiro. Mas, com o chamado recesso branco e os compromissos individuais de cada secretário, ainda não foi possível discutir o assunto de forma mais ampla, com todo o seu secretariado.
“Eu quero que eles se afastem até o dia 15 de janeiro, mas talvez isso não ocorra agora; talvez não dê tempo. Além de problemas de ordem pessoal no fim de ano, todo mundo tira um pouco o pé do acelerador, alguns viajaram no Natal, outros vão viajar no Réveillon. Então eu estou esperando todos chegarem para que a gente possa conversar e entrar num entendimento”, afirmou.
Sem citar nomes, a governadora garantiu que, de um total de 15 secretários pré-candidatos [ao Governo do Estado, Assembleia Legislativa à Câmara dos Deputados], pelo menos 10 devem concorrer às eleições do mês de outubro. “Fizemos um levantamento com o João Abreu [secretário-chefe da Casa Civil], e acho que ficará naquela média entre 10 e 12 secretários que deverão se afastar. Então já diminuiu um pouco, não serão mais 15 como prevíamos”, completou.
Ela afirmou que, apesar das dificuldades enfrentadas com o afastamento de parte de seu secretariado, há quadro suficiente para recompor os espaços que ficarão vazios na minirreforma. “É um problema, sem dúvida, mas estamos tranquilos e preparados para superá-lo”, afirmou.
Secretários – O Estado fez um levantamento dos secretários que devem se afastar ainda este mês – como assegurou a governadora – para a disputa da eleição que será conduzida pela Justiça Eleitoral em todo o país.
O secretário de Estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB), é um dos nomes com o afastamento assegurado da administração pública. Ele é o pré-candidato do grupo governista para substituir a governadora Roseana Sarney no Palácio dos Leões.
Outro que se afastará da estrutura de governo é o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad (PMDB). Ele foi eleito deputado estadual em 2010 e está licenciado do cargo. Deverá então retornar à Assembleia Legislativa e disputar a reeleição na Casa.
Outro deputado estadual licenciado e que retornará para o Legislativo é o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Victor Mendes (PV). Além dos dois deputados estaduais, há o deputado federal licenciado, Pedro Fernandes (PTB), secretário de estado da Educação, que retornará as suas atividades na Câmara Federal.
Outros secretários cotados para deixar a administração pública estadual são: Joaquim Haickel (PMDB), de Esporte e Lazer; Cláudio Trinchão (PSD), da Fazenda; Hildo Rocha (PMDB), das Cidades e Desenvolvimento Urbano; Ricardo Antônio Archer (PSL), de Assuntos Políticos; Aluisio Mendes (PSDC), de Segurança Pública; Fábio Gondim (PT), de Gestão e Previdência; José Antônio Heluy (PT), de Trabalho e Economia Solidária; Rodrigo Comerciário (PT), da Extraordinária de Articulação Institucional; José Costa (PT), de Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico; além de Ricardo Guterres (DEM), da Secretaria de Minas e Energia, e Alberto Franco (PMDB), da Secretaria Extraordinária de Assuntos Estratégicos.
Técnicos – A governadora Roseana Sarney (PMDB) assegurou que a recomposição de cargos na estrutura de Governo ocorrerá por personagens com perfis predominantemente técnicos. Ela afirmou que não aceitará indicação política por parte dos secretários que se afastarão de suas respectivas pastas e disse que o objetivo com a medida é evitar desequilíbrio entre os membros da base que disputarão a eleição em outubro.
“O número de secretários que devem sair é relativamente alto, mas cada cargo será ocupado por técnico. Eu quero colocar apenas técnicos para nos ajudar a tocar o Governo no restante do ano”, afirmou.
Ela deu duas justificativas para a decisão. A primeira consiste no fato de haver como exigência competência técnica para dar prosseguimento aos programas da gestão estadual. A segunda evita um racha na base aliada, tendo em vista que 2014 é ano eleitoral.
“Como é ano de eleição, muita gente vai querer ficar com a sua base e é por isso que eu vou colocar técnicos. Não vou permitir que ninguém coloque “fulano” para ajudar “beltrano”, nada disso. Eu quero que haja uma imparcialidade no Governo, até porque tem muitos candidatos e, como todos os deputados me ajudaram e os secretários também, melhor que empate o jogo, ou seja, que haja um equilíbrio. Todos devem ter as mesmas condições para a disputa”, enfatizou.
Roseana Sarney explicou que tudo isso será colocado aos secretários no encontro que deve acontecer ainda este mês para definir a data exata do afastamento daqueles que se colocam como pré-candidatos. Na conversa, ela agradecerá o empenho de cada um durante o período em que atuaram na administração e assumirá a prerrogativa de indicar pessoalmente os substitutos. O secretário-chefe da Casa Civil, João Abreu, participará da reunião e auxiliará a governadora na condução da minirreforma administrativa.

Sem comentários:

Enviar um comentário