sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Após operação em presídio - Pedrinhas - ônibus são incendiados em São Luís do Maranhão


Delegacia também foi alvo de tiros na noite desta sexta, 3.
SSP confirmou ataques no Jd. América, João Paulo e Av. Ferreira Gullar.

Jade Bonna e Igor AlmeidaDo G1 MA
55 comentários
Após a operação da Tropa de Choque no Complexo Penitenciário de Pedrinhas no Maranhão, quatro ônibus foram incendiados e uma delegacia foi alvo de tiros em São Luís na noite desta sexta-feira (3). O Secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, confirmou ao G1 que os ataques foram ordenados por detentos do presídio.
"O Serviço de Inteligência confirmou que esses ataques foram ordenados de dentro dos presídios, inclusive sabemos quem mandou e quem recebeu as ordens. Essa é, na verdade, uma resposta à moralização que estamos fazendo na segurança do Sistema Penitenciário", garantiu Mendes.
A Tropa de Choque da Polícia Militar encontrou, nesta sexta, uma pistola com cartucho e vários celulares no Complexo Penitenciário de Pedrinhas após entrar no local. A apreensão foi feita no Centro de Detenção Provisória (CDP).
Ônibus incendiado na Avenida Ferreira Gullar (Foto: De Jesus/O Estado)Ônibus incendiado na Avenida Ferreira Gullar (Foto: De Jesus/O Estado)
Dos quatro ônibus incendiados nesta noite, um foi totalmente destruído pelo fogo. O Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e o Serviço de Inteligência, de acordo com a SSP, foram deslocados para os bairros João Paulo, Jardim América,Vila Sarney Filho e nas proximidades da Avenida Ferreira Gullar, onde os veículos foram incendiados.
Além dos incêndios, a 9ª Delegacia de Polícia, localizada no bairro do São Francisco, foi alvejada com dois tiros. No momento do atentado, havia somente um vigilante no local, que não quis se identificar. Ninguém ficou ferido.
Pedrinhas em Paz
Uma operação denominada 'Pedrinhas em Paz' foi deflagrada nesta sexta-feira, com o objetivo de diminuir as mortes nas unidades prisionais do Maranhão. A operação vai aumentar a presença policial dentro das unidades e requalificar funcionários. Homens da Força Nacional estão no presídio para fazer uma nova vistoria.
No fim da tarde desta sexta, alguns presos foram retirados das unidades onde estavam e transferidos para outras. Também foram fixadas regras mais rígidas para as visitas aos detentos: agora só podem ser feitas por parentes de 1° grau e esposas, desde que seja comprovado o parentesco.
Veja a íntegra da nota da SSP
A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) informa que já identificou de onde saiu a ordem e quem as recebeu para a execução dos ataques ocorridos na noite desta sexta-feira (3), em São Luís, e já está trabalhando para  prender os envolvidos nos atos de vandalismo e violência.
A SSP ressalta que trabalha para garantir a segurança e a tranquilidade da população maranhense. Esclarece, ainda, que essas ações de bandidos são uma tentativa de reação às medidas adotadas, por meio da Polícia Militar, visando disciplinar, organizar e combater a criminalidade nas unidades prisionais da capital.
De acordo com o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), foram registrados quatro atos de vandalismo envolvendo ônibus coletivo, que foram incendiados, alguns parcialmente. O primeiro ocorreu no bairro João Paulo, onde cerca de 5 homens interceptaram o veículo, mandaram os passageiros descerem e atearam fogo. Houve atos também na Vila Sarney, Ilhinha e uma tentativa no Jardim América.
Em todas as ocorrências, as polícias Militar, Civil e o Corpo de Bombeiros foram acionados. O 9º Distrito Policial (São Francisco) também foi alvo dos bandidos, que dispararam tiros contra o prédio.
A SSP confirmou a morte do policial militar reformado Antonio Cesar Cerejo, no bairro do Maracanã, mas ainda não há indícios de que o crime esteja relacionado com os ataques.
Várias diligências estão sendo feitas neste momento, com reforço das operações, blitz e incursões do Sistema de Segurança em conjunto com as equipes de inteligência para localizar e prender os participantes destes atos criminosos. Imagens captadas pelo Sistema de Videomonitoramento também estão sendo analisadas pelas polícias e alguns envolvidos já foram identificados.
O Governo do Maranhão reafirma que não compactua com atos de violência e que continua agindo em conjunto com todos os setores e órgãos que atuam na defesa dos direitos humanos e daqueles que promovem a garantia da justiça e segurança.
Informa, ainda, que a Polícia Militar já está adotando providências complementares nas unidades prisionais de São Luís, como no Centro de Detenção Provisória (CDP), do Complexo Prisional de Pedrinhas.
Entre elas, estão a ampliação da vigilância com videomonitoramento; a intensificação das revistas nas celas; o aumento da fiscalização interna com o Batalhão de Choque e da fiscalização externa com rondas.

Sem comentários:

Enviar um comentário