quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Sony diz que 'perde dinheiro' com venda de PlayStation 4 a R$ 4 mil


Ao G1, executivos dizem que foco agora é começar a fabricar PS4 no país.
Tributarista sugere que empresa incluiu custo Brasil no preço do produto.

Gustavo Petró*Do G1, em São Paulo
750 comentários
Preço do PlayStation 4 (PS4) no Brasil (Foto: Arte/G1)
O PlayStation 4 vendido no Brasil por R$ 4 mil faz do novo videogame da Sony o mais caro do mundo. A empresa tenta justificar dizendo que, mesmo com o alto valor, a empresa "perde dinheiro" com a venda do videogame no Brasil e culpa a cascata de impostos que produtos importados têm no país.

O cálculo é questionado pelo advogado tributarista Miguel Silva, sócio do escritório Miguel Silva & Yamachita advogados. Em entrevista ao G1, ele sugere que além da carga tributária de quase 70% sobre os videogames, as multinacionais estão colocando o custo de embaraço, logística e distribuição, ou 'custo Brasil', no preço final do produto.
Já João Eloi Olenike, presidente do Instituto Brasileiro de Pesquisas Tributárias (IBPT), afirma que a Sony não só exibiu corretamente os tributos como deixou de incluir alguns.
G1 conversou com Mark Stanley, vice-presidente e gerente-geral de PlayStation para a América Latina, e Anderson Gracias, gerente da divisão PlayStation da Sony Brasil. O objetivo dos dois executivos é mostrar ao público a conta feita pela companhia para trazer o PlayStation 4 a R$ 4 mil.
De acordo com a empresa, R$ 858, 21,5% do preço do PlayStation 4, é o valor de transferência do console, ou seja, o valor que a Sony Brasil paga para cada unidade do videogame que será importado. A empresa afirma que R$ 2.524, 63% do valor final do produto, são impostos cobrados para trazer o console para o país como IPI, imposto de importação, Pis e Cofins. Estes valores são somados à margem do varejista que irá vender o PS4 e à margem do distribuidor, que é a Sony Brasil, em um total de 22%.
O total da conta chega a R$ 4.257. A Sony ainda diz "devolve para o negócio" R$ 258, 6,5% do valor do produto, para conseguir fechar o preço do varejo de R$ 3.999, que os executivos consideram "o mais baixo o possível". "Eu poderia dizer que a Sony não está ganhando nenhum centavo. Na verdade, estamos perdendo. Tudo isso é imposto em cascata, imposto sobre imposto. Esse é o maior problema do nosso país", diz Gracias.

Sem comentários:

Enviar um comentário