quinta-feira, 1 de agosto de 2013

MACONHA - NUNCA USEI, NEM TENHO VONTADE! por CLAYTON COLLINS


A pior coisa é saber que oportunidades não faltam. Todo jovem, na maioria das vezes, sem saber o mal que vai lhe causar, acha uma 'curtição'.


Não sabendo ele, que praticar sport, assistir um filme, bater um papo com a galera, proporciona a mesma sensação que essa droga, até melhores.

Mas ai, vem a questão; liberar ou não? Mas qual o bem que vai causar as pessoas, os mais afetados serão os jovens, que ainda não sabem ao certo o preço caro que isso vai lhes causar.

Deveriam primeiro pensar em liberar escolas de qualidade, hospitais, moradias. Isso sim deveria ser liberado pro povo.

Mas a grande desculpa é 'tapar o sol com a peneira' dizendo que vai diminuir a criminalidade, porque os traficantes não irão mais se interessar em vender, mas o grande detalhe é que será industrializada pelas fabricadoras de cigarros, provavelmente. 

Essa gente que tem muito intere$$e nisso. E incentiva essas manifestações nas ruas, pra ficarem mais ricos que já são - ABSURDO!

NÃO A LIBERAÇÃO DA MACONHA!

MACONHA, ESSA BRISA EU NÃO CURTO. Saiba porque:

Especialista em dependência química é contrário à liberação da maconha
Deputados uruguaios aprovam a legalização que irá para análise no Senado.

Diogo Vargas

Na quarta-feira, dia 31 de julho, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou o projeto de lei que legaliza a produção e o consumo da maconha. Agora o projeto deve passar por análise pelo Senado, mas é esperado que seja aprovado com facilidade.

O Diário Catarinense entrevistou o psiquiatra Marcos Zaleski, 53 anos, referência em tratamento de dependência química e um ferrenho especialista contrário à liberação da maconha.

Diário Catarinense: A liberação acabaria com o tráfico de maconha?
Marcos Zaleski: Não. A liberação de forma alguma resolve o tráfico. Isso porque, por exemplo, há tráfico e contrabando de substâncias legalizadas como o cigarro.

DC: O senhor concorda com o argumento que diminuiria a violência?
Zaleski: Não. Porque vai continuar o tráfico de cocaína e também vai aumentar o consumo. A violência está ligada ao tráfico e também ao uso da cocaína. A liberação só tende a criar uma zona de mais conforto ao usuário.

DC: Por que o senhor é contrário a liberação da maconha?
Zaleski: Qualquer cidadão deve pensar em reduzir a disponibilidade de drogas e usuários. A droga liberada também vai ocasionar graves problemas de saúde, superlotar ainda mais os leitos e agravar ainda mais a questão de saúde no Brasil.

DC: Quais males a maconha faz para a saúde?
Zaleski: Há diminuição da concentração, da perda da memória. Tenho tratado casos de surtos psicóticos, pode ter a esquizofrenia precipitada, além de problemas pulmonares.

DC: A maconha faz menos mal que o cigarro e o álcool?
Zaleski: Não é verdade. São drogas distintas, diferentes e o consumo de álcool não é proibido a menores de 18 anos, que desde que tenham autorização dos pais podem beber. Se essas pessoas que dizem que o álcool tem efeitos piores, por que elas não fazem campanhas de restrição ao consumo do álcool?

3 comentários:

  1. Meu Jovem por favor pergunte para assessoria do prefeito quando é que vão pagar os alugueis dos veículos que ja vai entrar para o 3º mês e ate agora nunca olhamos a cor desse dinheiro. ficam só dizendo é hoje, é amanhã e nada. por favor nos faça este favor

    ResponderEliminar
  2. Amigo na segunda Feira a partir do meio dia nós que somos propietrios de veiculos com alugel atrasados a quase 3 meses, vamos parar. ate que a prefeitura pague os contratos em atraso.pedimos o seu apoio.

    ResponderEliminar
  3. seu locao vai si informar antes de falar merdas pois a legalizaçao da maconha ira ajudar a acabar
    com o crime e gerar fins lucrativos como o tabaco e o alcou geram para o governo e como e uma planta
    medicinal podera desenvover remedios melhores para o tratamento de outras drogas
    e somente 2/ por cento sera para o uso recreativo do publico
    da ate pra faze gazolina com o oleo de maconha q sai bem mais barato do q gasolina

    ResponderEliminar