sábado, 12 de janeiro de 2013

Bia Venâncio obteve liberação para retirar tornozeleira


Desde setembro, ela estava sendo monitorada por uma tornozeleira colocada pela PF.

Imirante
12/01/2013 12h53
Foto: Reprodução TV Mirante
SÃO LUÍS - A ex-prefeita do município de Paço do Lumiar, Bia Venâncio, obteve na justiça federal a liberação para a retirada da tornozeleira eletrônica que usava por determinação judicial, nessa sexta-feira (12). Desde setembro do ano passado, ela estava sendo monitorada por uma tornozeleira colocada na perna direita pela Polícia Federal (PF), por causa da investigação de um desvio de R$ 15.000.000 da Prefeitura de Paço do Lumiar.
A retirada da tornozeleira eletrônica, que a impedia de ter acesso ao prédio da Prefeitura de Paço do Lumiar e de sair da cidade sem autorização, foi feita por policiais federais. O outros investigados aguardam decisão judicial para retirar a tornozeleira.
Histórico
Além de Bia Venâncio, o filho dela Tiago Arôso, três secretários municipais e vários empresários também usaram tornozeleira. O ex-vereador de Paço de Lumiar, Júnior do Mojó - que já está preso por envolvimento no assassinato do empresário Marggion Andrade -, também, foi apontado pela polícia como integrante do esquema.
Segundo a PF, eles são suspeitos de desvio de verbas e de fraudes em licitações. Os desvios seriam referentes a recursos federais destinados a educação.
Na época, a prefeita se disse inocente das acusações. A determinação de monitorar os suspeitos 24 horas por meio da tornozeleira eletrônica foi uma determinação da Justiça Federal.
A fraude
De acordo com as investigações da Controladoria Geral da União (CGU), a quadrilha atuava na prefeitura de Paço do Lumiar fraudando licitações e desviando recursos públicos federais da educação, por meio de empresas fantasmas e vários tipos de documentos falsificados.
As investigações apontaram para o desvio de cerca de R$ 15.000.000, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE).

Sem comentários:

Publicar um comentário