quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Polícia tira usuários de drogas da Cracolândia do João Paulo

Operação retirou ontem 17 viciados em crack de área na Avenida Projetada.
Saulo Maclean
A Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) comandou, no início da manhã de ontem, mais uma operação para recolher usuários de drogas, em situação de rua, na Avenida Projetada, no bairro João Paulo, também conhecida como Cracolândia do João Paulo. Em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), os investigadores removeram 17 viciados em crack, e os conduziram ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-AD), no bairro Monte Castelo.
O delegado Joviano Furtado, coordenador da Supervisão de Áreas Integradas de Segurança Pública (Saisp) Oeste, informou que a iniciativa, apesar de nem sempre resultar na prisão dos traficantes de drogas que abastecem as bocas de fumo da área, serve para a recuperação de alguns dos viciados. "Na última operação que deflagramos, em abril, recolhemos 29 usuários de crack. Destes, sete aceitaram o tratamento e quatro conseguiram se recuperar", disse Furtado.
Na operação de ontem, 12 homens, quatro mulheres e um adolescente de 15 anos foram recolhidos da Feira do João Paulo. A maioria deles estava portando facas na cintura. Um dos comerciantes mais antigos no local, o vendedor de melancias Antônio Onofre, de 58 anos, disse que a presença dos usuários de crack na Avenida Projetada, além de espantar os clientes, coloca os feirantes em situação de risco constante, uma vez que os viciados chegam a roubar para sustentar o vício.
"Eles andam armados o tempo todo. Enquanto os traficantes ficam escondidos, vendendo a droga de longe, os usuários se matam aqui, na frente de todos. São homens, mulheres - algumas delas gestantes -, crianças e adolescentes; aqui você encontra todo tipo de viciado. Por volta das 5h, é fácil encontrá-los em um grupo bem maior, de aproximadamente 50 pessoas. Eles ficam sentados no calçadão, escondidos atrás dos caminhões estacionados", revelou o feirante.
Tratamento - Cerca de 40 minutos após o recolhimento dos usuários de crack, a equipe de policiais civis, formada por 16 investigadores e um delegado, em quatro viaturas, conduziram os viciados em situação de rua à sede do Caps-AD Estadual, na Rua Conde D'Eu, no bairro Monte Castelo. No centro especializado, profissionais na área da saúde iniciaram o tratamento, submetendo os dependentes químicos a uma avaliação médica.
"Aqui, eles passam por uma higienização: tomam banho, escovam os dentes e recebem novas roupas. Em seguida, são alimentados e hidratados, uma vez que o consumo de crack provoca intensa desidratação no organismo. Na sequência, os usuários e suas famílias são identificados; e após a avaliação médica, iniciamos o processo de desintoxicação. Alguns precisam ser encaminhados para o tratamento psiquiátrico", disse o diretor do Caps-AD, Marcelo Soares Costa.
Durante toda a manhã, os usuários de crack recolhidos da Cracolândia do João Paulo foram acompanhados por uma equipe médica, composta por dois psiquiatras; dois psicólogos; três assistentes sociais; três enfermeiras; e três técnicas em enfermagem, além de uma comissão de apoio administrativo. Como está vinculado ao Estado, o Caps-AD no Monte Castelo dispõe de vagas no Hospital Estadual Nina Rodrigues para os dependentes químicos que apresentarem distúrbios mentais.

Mais

Esta foi a quinta operação da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), no bairro João Paulo, desde o início do ano passado. As duas primeiras ações policiais aconteceram em abril do ano passado, época em que foram recolhidos 28 usuários de crack; e presos em flagrantes cinco traficantes de drogas da localidade, que em seguida foram liberados pela Justiça.
A terceira operação aconteceu em novembro de 2011, quando a Polícia Civil tirou das ruas 18 viciados; e prendeu dois traficantes de drogas que haviam assumido as bocas de fumo deixadas pelos cinco primeiros presos inicialmente. A movimentação de compra e venda de entorpecentes na área é monitorada pela equipe de investigadores do 2º Distrito Policial (João Paulo).

Sem comentários:

Publicar um comentário