domingo, 5 de julho de 2020

Pesquisa do Instituto Prever aponta aprovação de 63,2% de Flávio Dino em São Luís


5 de julho de 2020 : 08:50



3
A pesquisa do Instituto Prever apontou que o governador Flávio Dino (PCdoB), tem aprovação de 63,2% pelo eleitorado de São Luís. Os números foram coletados através de 1006 questionários entre os dias 29 de junho e 2 de julho.
De acordo com o levantamento, Flávio Dino tem seu governo classificado como ótimo por 10,9% dos ludovicenses, outros 33,3% classificam como bom, 31,4% dizem que o governo é regular, 8,8% avaliam como ruim e 14,1% como péssimo. Não souberam responder representaram 1,5%.
No quesito aprovação, Flávio Dino recebeu 63,2% e desaprovado 34,1%. Não souberam responder representam 2,7%. Curiosamente, os números foram bem semelhantes aos divulgados pelo Instituto Exata no Jornal Pequeno deste domingo (5), o que confirma que institutos estão fazendo pesquisas eleitorais, mas mantendo os números sob sigilo.
Na pesquisa Exata, Flávio tem 65% de aprovação e 32% de desaprovação. 3% não sabem ou não responderam, ou seja, números oscilando dentro de uma margem de erro dos números do Instituto Prever.
A pesquisa do Instituto Prever possui uma margem de erro máxima estimada considerando um modelo de amostragem aleatória simples de 1006 entrevistas que é de 3% para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%. O plano amostral consta de quotas proporcionais existentes no município pesquisado de acordo com as variáveis, Sexo, Faixa Etária e escolaridade referenciadas na base de dados do mês de maio de 2020 do TSE. A pesquisa está registrada com o seguinte protocolo MA-04571/2020.

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Dep.Márcio Jerry quer saber se Justiça e GSI receberam vídeos de hospitais e pacientes com covid-19 após apelo de Bolsonaro

Depois de pedir esclarecimentos ao ministério da Justiça, o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) quer saber do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), General Augusto Heleno, quantos e quais hospitais públicos e de campanha no país tiveram seus interiores filmados depois do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pedir a apoiadores que "arranjassem" um jeito de entrar para “verificar” a real dimensão da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Nos documentos, ambos protocolados na Câmara, o parlamentar pede que a pasta de André Mendonça, o GSI e a Agência Brasileira de Informações (Abin), comandados pelo General, revelem quais as iniciativas adotadas para verificar a procedência, a autenticidade e a veracidade das imagens nos possíveis vídeos encaminhados e pede esclarecimentos sobre as medidas adotadas em cada um dos casos. O congressista requisita, ainda, que os dois ministros de Estado esclareçam quais dispositivos legais serão usados pela Justiça, Polícia Federal, GSI e Abin para solicitar a responsabilização das autoridades de cada uma das instituições supostamente filmadas.

No dia 11 de junho, durante uma transmissão na internet, Bolsonaro levantou suspeitas de que os dados referentes às mortes pelo coronavírus no país estariam sendo manipulados para atingir o seu governo, mas não apresentou provas. O presidente chegou a dizer que “muita gente estava fazendo isso e mais gente tinha que fazer para mostrar se os leitos estavam ocupados ou não”. Ele pediu ainda que o material fosse enviado para a Polícia Federal ou para a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que investigariam o caso.

Márcio Jerry argumenta que o “presidente foi enfático” ao fazer a recomendação a seus aliados e que, dias depois desse apelo, foram registradas “várias invasões a hospitais públicos por parlamentares estaduais e municipais e por populares, numa clara violação, pondo em risco a saúde deles próprios e de outras pessoas, causando tumulto e agredindo profissionais de saúde”.

Os requerimentos de informação são um mecanismo constitucional para requerer dados de Ministros de Estado e titulares de órgãos subordinados à Presidência da República.

De acordo com o artigo 50 da Constituição Federal, Câmara dos Deputados e o Senado Federal, ou qualquer de suas comissões, poderão convocar Ministro de Estado para prestar, pessoalmente, informações sobre assunto previamente determinado, importando crime de responsabilidade a ausência sem justificação adequada. O prazo legal para envio das respostas é de 30 dias, mas as autoridades do Governo não têm cumprido a legislação.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é reaberto para visitação


Reabertura das atividades turísticas será gradual e começa a partir desta quarta-feira (1º). Por conta da pandemia, número de visitantes no parque foi reduzido para 55% da capacidade de público.

Por Rafaelle Fróes, G1 MA — São Luís, MA
 

Circuito Betânia, nos Lençóis Maranhenses — Foto: Celso Tavares/G1
Circuito Betânia, nos Lençóis Maranhenses — Foto: Celso Tavares/G1
O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão vinculado do Ministério do Meio Ambiente, autorizou a reabertura para visitação pública no Parque dos Lençóis Maranhenses, localizado no litoral do Maranhão, a partir desta quarta-feira (1º). O parque estava fechado desde o dia 23 de março por conta da pandemia do novo coronavírus.
A portaria nº 752 de 29 de junho, foi publicada na terça-feira (30) no Diário Oficial da União (DOU). O documento determina que as atividades turísticas sejam reabertas gradualmente. Além disso, o número de visitantes no parque foi reduzido até 55% da sua capacidade do público.
A reabertura deve respeitar as medidas de prevenção de contra a Covid-19 estabelecidas pelo estado do Maranhão e pelos municípios de BarreirinhasSanto Amaro do Maranhão e Primeira Cruz, que estão localizados dentro da unidade de conservação.
As recomendações se aplicam para todos os prestadores de serviços, agências e operadores de turismo que atuam no Parque dos Lençóis e os turistas devem ser orientados sobre as novas determinações. O uso de máscara, por exemplo, será obrigatório durante todo o período de visitação dentro do parque.
Já em relação aos banhos nas tradicionais piscinas naturais, por exemplo, os visitantes devem evitar aglomerações e a interação social com outros grupos. Visitações em locais que pertencem à moradores tradicionais, só poderão ser realizados sob consulta e autorização dos donos.

Veja outras medidas impostas:

  • Turistas devem ter acesso ao álcool em gel 70% para a higienização das mãos nas estruturas abertas à visitação e nos transportes terrestres e aquaviários;
  • Restaurantes devem manter distância mínima de 2 metros entre as mesas e 1 metro entre as cadeiras. Filas de espera e caixas devem também ter distanciamento que serão sinalizadas no piso;
  • Para os locais que não for possível a retirada de mesas e cadeiras, os estabelecimentos devem interditar de forma alternada e fazer a sinalização para os turistas;
  • Cardápios e objetos de uso coletivo devem ser higienizados constantemente;
  • Máquinas de débito e crédito devem estar fixas ou envelopadas com filme plástico e desinfetadas após cada uso;
  • Equipamentos de Proteção Individual (EPI) não devem ser compartilhados coletivamente durante os passeios;
  • Os ambientes comuns devem ser mantidos ventilados, com janelas e portas abertas, sempre que possível;
  • Transportes terrestres e aquaviários devem priorizar a ventilação natural. Ao final de cada viagem, os ambientes devem ser limpos e desinfectados;
  • Pisos, corrimãos, lixeiras, balcões, maçanetas e outros objetos de uso coletivo devem ser higienizados constantemente;
  • Jornais, revistas, panfletos e outros objetos devem ser removidos de locais de comum acesso para evitar a transmissão direta;
  • Venda on-line de ingressos, serviços ou agendamentos para atrações ou serviços turísticos devem ser estimuladas para evitar aglomerações;

Lençóis Maranhenses

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses foi criado em 1981 e integra a chamada 'Rota das Emoções'. Com uma área total de 156,5 mil hectares, parte do parque integra os municípios de Barreirinhas, Primeira Cruz e Santo Amaro do Maranhão, considerados portas de entrada.
Anualmente, o parque recebe milhares de turistas brasileiros e estrangeiros, principalmente entre os meses de julho a dezembro, considerado o período seco em todo o litoral do Maranhão e com altas temperaturas.
O governo federal incluiu os Lençóis Maranhenses no plano de privatização. O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto de 2019, após uma reunião com o conselho de Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Sargento do CTA é morto a tiro durante ocorrência em São Domingos do Maranhão



Um sargento lotado no Centro Tático Aéreo (CTA), identificado como Cantanhede, foi morto a tiro na manhã desta quarta-feira (1°) ao atender ocorrência em São Domingos do Maranhão, cidade distante 380 quilômetros de São Luís.
Cantanhede fazia parte de uma equipe do CTA que foi deslocada em uma aeronave para dar apoio a uma guarnição. Eles foram tentar conter um homem com problemas mentais que empunhava uma arma de fogo atirando e ameaçando pessoas na comunidade do povoado Viola, em São Domingos.
Momentos antes do sargento ser alvejado, um soldado identificado como Danilo já havia sido ferido a tiro pelo homem. O policial deu entrada no hospital de Presidente Dutra em estado grave e passa por procedimento cirúrgico.
Cantanhede morreu a caminho do hospital, já o suspeito que feriu os policiais foi morto no confronto com a polícia.

terça-feira, 30 de junho de 2020

"Único país do mundo sem ministros da Educação e da Saúde", diz Márcio Jerry

Vice-líder do PCdoB, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) chamou de “piada de mau gosto” a dupla formada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o quase ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli.

Nesta terça-feira (30), apenas cinco dias depois de ser anunciado para o cargo pelo presidente, Decotelli formalizou sua saída do governo, após uma série de inconsistência em seu currículo virem à tona. Com a nova baixa, Brasil passará pela terceira transição da pasta durante a gestão Bolsonaro.

“Uma piada de mau gosto essa dupla Bolsonaro & Decotelli. Brasil todo dia sendo envergonhado por esse acidente trágico chamado Bolsonaro”, definiu o deputado.

Lamentando a situação do país, o parlamentar também comentou o ineditismo criado pelo presidente por manter vazias as pastas da Saúde e da Educação, simultaneamente.

"Bolsonaro consegue coisas incríveis, infelizmente. Por exemplo, fazer do Brasil o único país do mundo sem ministros da Educação e da Saúde", destacou.

Acusado de plagiar no mestrado, de mentir sobre suas titulações de doutorado e pós-doutorado, o candidato ao MEC também foi abertamente contestado acerca de um suposto apoio empresarial para uma de suas teses e quanto ao vínculo como professor na Fundação Getúlio Vargas. Ele havia sido escolhido por Jair Bolsonaro para estancar críticas envolvendo o ex-ministro Abraham Weintraub e para dar uma imagem técnica ao ministério.

Câmara aprova Projeto de Lei que reajusta a tabela salarial de cargos e carreiras dos profissionais do magistério de Paço do Lumiar

A Câmara Municipal de Paço do Lumiar aprovou, por unanimidade, na manhã desta terça-feira (30), durante sessão extraordinária remota, o Projeto de Lei n° 02/2020, que dispõe sobre o reajuste da tabela salarial do plano de cargos, carreiras e salários e a valorização dos profissionais do magistério da educação básica do município de Paço do Lumiar. A sessão foi presidida pelo vereador Fernando Muniz.

O vereador Wellington Sousa ressaltou que, sem valorização e incentivo não se faz educação decente, como a sociedade merece. Ele frisou que a valorização é fundamental para esse processo. Welligton também discorreu acerca do Projeto de Lei n°05/2020, que institui o Junho Branco, voltado para o debate de conscientização e enfrentamento, através de políticas públicas, para os problemas provocados pelas drogas, sejam lícitas ou ilícitas. O vereador afirmou que a prevenção é sempre o melhor caminho.

Ao se pronunciar, o vereador Miguel Ângelo ressaltou os benefícios alcançados para os bairros, entre eles o residencial Safira. O vereador fez um registro acerca do trabalho de melhoria na infraestrutura no respectivo bairro.
O parlamentar finalizou destacando que a Câmara tem cumprido o seu papel, e aproveitou para contribuir com a proposta que institui o Junho Branco, ressaltando que já conseguiu aprovar o Janeiro Branco, voltado para ofertar atendimento psicológico e que um assunto liga o outro, portanto se dispôs a colaborar com o projeto, considerando a necessidade de se debater sobre a problemática das drogas no munícipio.

O parlamentar Leonardo Bruno pontuou sobre a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no Maiobão, inaugurada há uma semana. O vereador fez agradecimentos e disse que o serviço é resultado dos esforços do Legislativo e do Executivo municipal, junto ao Governo do Estado. O vereador argumentou que houve um empenho efetivo da Câmara ao realizar cobranças por meio de indicações e manifestos públicos. O parlamentar declarou ainda que anseia que os poderes possam unir forças a partir de agora para o funcionamento das Unidades Básicas de Sáude (UBSs), que precisam ser equipadas e inauguradas.

A vereadora Vanusa Neves discursou destancando a importância das parcerias e da união para o bem da população e para fazer o município crescer. Ressaltou sobre o trabalho da gestão municipal em garantir políticas públicas na área da educação, saúde e infraestrutura para as zonas rural e urbana. A vereadora encerrou sua fala pedindo que a prefeitura providencie ambulâncias para atender a zona rural, especialmente as localidades mais distantes e de difícil acesso.

A vereadora Drielle da Pindoba iniciou sua fala pedindo apoio dos colegas quanto a aprovação de suas indicações e pontuou sobre a reinstalação do Conselho Municipal de Cultura.
A parlamentar declarou a sua angústia e descontentamento por estar finalizando o primeiro semestre do ano de 2020 sem que a gestão municipal tenha executado políticas públicas essenciais. No entanto, afirmou que os vereadores têm buscado fazer o seu papel, cobrando, fiscalizando, e que apesar disso, gostaria de ver mais políticas públicas sendo evetivadas no munícipio.

O vereador Inácio Ferreira falou sobre a importância da união para levar soluções à comunidade. O parlamentar agradeceu o trabalho da gestão municipal e destacou as benfeitorias sendo realizadas em bairros como Saramanta, Safira e Lima Verde.

Já o vereador Júlio Pinheiro destacou as reformas realizadas nas escolas das zonas urbana e rural, exemplificando a localidade de Mocajituba. O parlamentar falou da celeridade no processo e a valorização de obra local, e disse que quando há vontade de fazer, se consegue realizar benefícios com responsabilidade e transparência.

A sessão também foi marcada pela aprovação de todas as indicações apresentadas na pauta, pelos parlamentares.

FGV nega que nomeado para o MEC tenha sido professor efetivo na instituição


Currículo acadêmico de Decotelli descreve vínculo institucional de "professor" de 2001 a 2018; fundação diz que ele atuou como colaborador em cursos de formação continuada
Assinatura do Termo de Posse do senhor Carlos Alberto Decotelli, Ministro da Educação Foto: Marcos Correa / Agência O Globo
Assinatura do Termo de Posse do senhor Carlos Alberto Decotelli, Ministro da Educação Foto: Marcos Correa / Agência O Globo
BRASÍLIA — A Fundação Getulio Vargas (FGV) negou, por meio de nota, que Carlos Alberto Decotteli, escolhido por Jair Bolsonaro para ocupar o Ministério da Educação (MEC), tenha sido professor das escolas da instituição. Segundo a fundação, ele atuou como professor colaborador "apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos".

Em seu currículo, Decotelli aponta ter sido professor na FGV, entre 2001 e 2018, sem especificar o tipo de relação com a instituição, indicando um vínculo efetivo. No meio acadêmico, a prática pode ser considerada pouco transparente, uma vez que há formas de denominar a vinculação como "colaborador". A fundação ressalta ainda que o ministro "não foi pesquisador da FGV, tampouco teve pesquisa financiada pela instituição”.
Uma série de inconsistências foram apontadas no currículo acadêmico de Decotteli, publicado por ele na plataforma Lattes, nos últimos dias. Com a repercussão dos dados maquiados no documento, a posse do novo ministro, que estava marcada para esta terça-feira (30), foi suspensa. Auxiliares do presidente admitem que a situação do novo ministro da Educação no governo é 'complicada' e que sua permanência está em risco .

Leia : Após reunião com Bolsonaro, Decotelli diz: 'sou ministro'
Decotteli chegou a alterar o currículo na plataforma Lattes , do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), depois que o reitor da Universidade Nacional de Rosário (Argentina) revelou que o ministro não tem o título de doutor pela instituição. Agora, consta apenas que Decotteli cursou os créditos.
Há ainda acusações de que o titular do MEC teria plagiado trechos da dissertação de mestrado apresentada em 2008 na própria FGV. O ministro negou que tivesse tido a intenção de fraudar o trabalho.
Ontem, outra distorção no currículo de Decotelli ficou evidente. Mesmo sem ter doutorado, continuava constando na plataforma Lattes um "pós-doutorado" que ele diz ter feito na Universidade de Wüppertal, na Alemanha. A instituição confirmou ao GLOBO que Decotelli fez uma pesquisa na universidade em 2016, por três meses, mas destacou não ter emitido qualquer título a ele. Um pós-doutorado não é um título acadêmico formal, mas é um termo usado em referência apenas a pesquisas feitas após um acadêmico obter um título de doutor — pré-requisito que Decotelli não tem.

Procurado para comentar sobre a nota da FGV, o MEC não respondeu até a publicação deste texto.